Voltar
Mobilidade para quê?

Trânsito nas cidades: afinal, como torná-lo mais seguro e eficiente?

A realidade é que os acidentes alcançam números alarmantes, e isso é apenas uma consequência da ineficiência do trânsito nas cidades. Então, o que é preciso ser feito para torná-lo mais seguro e satisfatório? A resposta para essa e outras perguntas serão conhecidas neste artigo!

7 minutos, 17 segundos de leitura

07/05/2021

Você pode avaliar empiricamente a qualidade no trânsito nas cidades parando rapidamente para pensar na última vez em que usou algum transporte público, táxi ou mesmo seu carro particular para se deslocar de um ponto a outro. Provavelmente, isso levou mais tempo do que você gostaria e, talvez, tenha presenciado alguma colisão, seja com o veículo em que estava ou de terceiros.

A realidade é que os acidentes alcançam números alarmantes, e isso é apenas uma consequência da ineficiência do trânsito nas cidades. Então, o que é preciso ser feito para torná-lo mais seguro e satisfatório? A resposta para essa e outras perguntas serão conhecidas neste artigo!

As principais causas dos acidentes de trânsito

Conforme mostram alguns dados da ONU, cerca de 1,35 milhão de pessoas perdem a vida em acidentes de trânsito todos os anos. 93% dessas mortes acontecem em países de baixa e média renda, apesar de eles só concentrarem aproximadamente 60% dos veículos de todo mundo. Esse fator sugere a importância de trabalhar a segurança no tráfego desses locais.

De acordo com um levantamento realizado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, enquanto a cada 10 minutos uma pessoa morre vítima de violência pública no país, a cada 12, uma morre no trânsito — são cerca de 5 mortes por hora. O Brasil é o 5º país com mais mortes no trânsito.

Entre as ocorrências mais frequentes estão:

  • colisão traseira;
  • saída de pista;
  • capotamento;
  • colisão frontal;
  • batida em objeto físico;
  • colisão com motocicleta;
  • atropelamento.

As causas de tantos sinistros são diversas, mas podem surgir de três variáveis principais: os motoristas, os veículos e as vias. Portanto, podem ocorrer por falha ou desatenção humana, por algum problema no veículo ou mesmo por condições intransitáveis das vias.

De acordo com o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro, em 2019 as principais causas de acidentes no trânsito foram:

  • falta de atenção (26.921);
  • desobediência à sinalização (8.474);
  • velocidade incompatível (6.026);
  • ingestão de álcool (5.903).

Ainda é preciso considerar os problemas ocasionados pelas condições de algumas rodovias no país, o que inclui deteriorações e buracos na pista, má sinalização ou ausência dela e assim por diante.

Para superar esses números, é crucial entender que a violência no trânsito deve ser combatida com a conscientização das pessoas (pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas) e do desenvolvimento de tecnologias que tornem a mobilidade: conectada, fluida e segura.

A violência no trânsito e suas consequências

A violência no trânsito é uma das principais causas de mortes no mundo, matando tanto quanto a violência pública. Além disso, de acordo com os últimos levantamentos realizados pela ONU (Organização das Nações Unidas), essa é a principal causa de morte entre jovens de 15 e 29 anos em todo o planeta.

Isso pode ser associado ao estilo de vida das pessoas, combinando o consumo de álcool e o excesso de velocidade ao volante. Além disso, o uso do celular enquanto dirige também vem apontando como um fator preocupante e causador de muitos acidentes, especialmente entre os mais jovens.

Além do custo irreparável da perda de diversas vidas em função da violência no trânsito, o problema ainda afeta a economia nacional.

No Brasil, em 2018, houve um prejuízo de R$ 96,5 bilhões em danos materiais e perdas da capacidade produtiva. Muitas pessoas acabam sendo retiradas do mercado de trabalho, tanto de forma temporária (durante a sua recuperação) quanto definitiva (invalidez e morte).

Isso afeta também o Produto Interno Bruto (PIB). Os gastos incluem internações hospitalares, centros cirúrgicos, socorristas, polícia, danos materiais, engarrafamentos, problemas provocados nas vias e assim por diante.

Além disso, mesmo nos casos em que não ocorrem acidentes, há um prejuízo. Cerca de 1/3 dos deslocamentos nas cidades são feitos por automóveis com apenas uma pessoa, que ocupam espaço nas ruas. O resultado disso é o aumento de congestionamentos, que afeta diretamente a qualidade de vida de toda a sociedade

A Bosch é parte da solução para este problema

A Bosch está empenhada no desenvolvimento de veículos mais eficientes e seguros, reduzindo, assim, o número de acidentes no trânsito. Além disso, a empresa se compromete com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que incluem a redução, pela metade, das mortes e ferimentos globais por acidentes nas estradas.

As tecnologias de assistência ao condutor são a base para tornar o trânsito nas cidades e rodovias mais seguro e confortável. Nesse sentido, os sistemas de segurança da Bosch vêm ajudando a prevenir acidentes por décadas, salvando vidas e até mesmo reduzindo a gravidade dos ferimentos quando eles ocorrem.

A empresa também é pioneira em soluções nas áreas de segurança ativa e passiva e assistência e conforto ao condutor, tecnologias precursoras para a direção autônoma. Esses recursos são cruciais para auxiliar o motorista e para oferecer soluções em situações críticas. A Bosch está ensinando o veículo a dirigir, tornando-o mais eficiente e seguro ao reduzir o número de acidentes de trânsito.

Por isso, a Bosch trabalha para integrar automação, conectividade e eletrificação. Juntos, eles permitem criar conceitos e ecossistemas de veículos, fomentando uma nova era de mobilidade, mais segura, funcional e sustentável.

Programa Eletrônico de Estabilidade – ESP®, que se torna obrigatório em 100% dos novos projetos de veículos produzidos em 2024, salva vidas ao evitar que o controle do carro seja perdido em derrapagens, por exemplo. Seus sensores ficam o tempo todo ativos de forma que qualquer alteração súbita na direção seja corrigida em tempo de colocar o veículo de volta na rota desejada.

Além disso, a Bosch foi a responsável pela introdução do ABS no mercado. O sistema antibloqueio de frenagem permite maior controle sobre o veículo, mesmo naqueles casos em que o freio sofre uma pressão rápida. Dessa forma, as rodas não são bloqueadas e o motorista consegue continuar comandando a direção. O recurso está disponível inclusive para motos.

Junto de todos esses recursos, o Sistema de Controle de Tração (TCS) compõe as opções ofertadas pela Bosch para a melhor segurança no trânsito. Seu funcionamento evita que as rodas fiquem girando em falso durante uma arrancada ou aceleração. Isso melhora a tração do veículo e, consequentemente, sua segurança e estabilidade.

Entre as soluções desenvolvidas pela Bosch está a Assistência para permanência na faixa. Um dispositivo que ajuda a manter o veículo dentro da faixa de rodagem e aciona um alerta sonoro sempre que o carro se aproxima do limite sem dar a seta. Se o aviso não funcionar, essa tecnologia ainda corrige a rota de forma automática, evitando que o veículo saia da pista, seja por distração ou sonolência do motorista.

Frenagem automática de Emergência (AEB) também contribui para aumentar a segurança no trânsito, já que ela visa reduzir as colisões traseiras em veículos rodando acima de 30 km/h. Com radar ou câmera, o sistema analisa o tráfego e identifica os potenciais obstáculos, freando o veículo e alertando o motorista. Se não houver resposta, o próprio sistema aciona a frenagem completa, evitando uma batida.

O airbag, apesar de conhecido, é outro recurso importante que faz toda diferença em uma situação de emergência. Enquanto o ABS tem a intenção de evitar um acidente (segurança ativa), os sensores de impacto para airbags ajudam a minimizar as consequências (segurança passiva) quando ele é inevitável.

Os dispositivos são, em associação ao cinto de segurança, uma parte elementar do conceito moderno de segurança, oferecendo mais proteção para cabeça, pescoço e peito dos ocupantes.

Como você viu, diversos fatores influenciam no trânsito nas cidades, contribuindo ou atrapalhando a sua segurança e eficácia. Desde os acidentes mais simples até os mais graves, todos causam consequências sérias para a economia.

Se você gostou deste conteúdo sobre o trânsito nas cidades e quer que outras pessoas tenham acesso a essas informações, compartilhe agora mesmo este post em suas redes sociais!

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login