Voltar
Rally Dos Sertões

Depois do vendaval, Sertões 2020 começa com desfalque nas motos

Prólogo definiu ordem de largada dos competidores para a primeira etapa; piloto francês da Yamaha foi diagnosticado com covid-19 e está fora da prova

Fausto Macieira

30/10/2020 - 3 minutos, 47 segundos


piloto-acelera-moto-sertoes
Bissinho Zavatti, da equipe Honda Racing, foi o terceiro mais rápido no prólogo do Sertões 2020. Crédito: Vinicius Branca/Mundo Press

Uma forte ventania sacudiu a grande estrutura montada no Autódromo Velocittá, em Mogi Guaçu (SP), onde aconteceu o prólogo, que definiu a ordem de largada do Sertões 2020. Mais um sinal de que quando o meio ambiente não colabora, o esforço humano, por mais capacitado que seja, sai perdendo.

Foi o que aconteceu com o experiente piloto francês Adrien Metge, 34 anos, dono de vários títulos no Brasil e no exterior. Adrien testou positivo para Covid-19 e, mesmo sem sentir os efeitos da doença, não poderá competir. Com isso, a equipe Yamaha perde um dos seus principais concorrentes, mas segue na briga com o catarinense Ricardo Martins, de 40 anos, e com o mineiro Túlio Malta. de 29 anos, que representam a fábrica.

Na equipe Honda Racing, cuidados mil com pilotos e equipamentos. Tunico Maciel, mineiro de 26 anos, atual campeão brasileiro de rally cross country e bicampeão do Sertões, está no auge da forma física e técnica para levar a equipe oficial ao décimo título na Moto1, antiga categoria Super Production. Durante a fase aguda da pandemia ele treinou diariamente com outro piloto consagrado da Honda Racing, Bruno Crivillin, multicampeão brasileiro que também é destaque no Mundial de Enduro.

O paulista Jean Azevedo, 46 anos, maior vencedor da história do Sertões, estará ao lado do Tunico no time vermelho Honda na Moto1. Sete títulos no  Sertões, dez campeonatos brasileiros da modalidade e três títulos no Rally Dakar o credenciam como um dos favoritos da prova, na qual vai competir pela 25ª vez.

Tunico Maciel, da equipe Honda Racing, busca terceiro título consecutivo entre as motos no Sertões 2020. Crédito: Gustavo Epifânio/Mundo Press

Julio ‘Bissinho’ Zavatti e o novato Thiago Veloso completam a equipe oficial de fábrica. Tetracampeão do Sertões e bicampeão brasileiro na classe Brasil, para motos nacionais, o mineiro Bissinho, de 34 anos, entra na vaga do lesionado Gregório Caselani, campeão geral do sertões em 2016 – e assume o guidão da CRF 450RX. Veloso, 36 anos, especialista em provas de enduro, assume a Honda CRF 250F para fazer sua estreia em ralis de longa duração.

Serão 60 participantes na modalidade motos do Rally dos Sertões 2020, inclusive duas mulheres, Moara Sacilotti (Yamaha) e a francesa, nascida na Guiana Francesa, Laura Lopes (KTM), que vão competir na classe Over 45. Temos mais um francês da Guiana na prova, Gerard Pauchet (KTM), também na classe 45+.

Outro estreante de peso é o paranaense Emerson Loth, o ‘Bombadinho’ (KTM), 35 anos, campeão brasileiro de enduro regularidade.

Resultado do prólogo

As motos abriram o circuito de 4.7 km montado no Autódromo Velocittá, em Mogi Guaçu, nesta sexta-feira.

Depois de um reconhecimento do percurso, os pilotos disputaram o prólogo, uma volta contra-relógio que define a ordem de largada da primeira etapa. O importante no prólogo é acelerar o suficiente para garantir uma boa posição de largada, ou seja, um lugar nos top 10.

Vencer eleva a autoestima, claro, mas não representa grande vantagem. Além de não ter a referência do rastro de quem já passou, o ponteiro é o primeiro a ter que lidar com os imprevistos do caminho.

Somados os tempos, o mais veloz foi Ricardo Martins (Yamaha), com 4m27s3, meros 0,8 segundos abaixo do tempo de Marcelo Medeiros (Yamaha), com o único quadriciclo na competição. Bissinho Zavatti (Honda), Jean Azevedo (Honda), Túlio Malta (Yamaha), Tunico Maciel (Honda), Bruno Leles (Yamaha), Maurício Fernandes (Husqvarna), Luciano Gomes (Yamaha) e Thiago Veloso (Honda) completam os dez mais rápidos.

“Eu uso o prólogo mais para conter um pouco a ansiedade. Gostei muito, deu uma acalmada nos ânimos. Estou bastante focado, a moto está muito boa, perfeita. Amanhã começa de verdade” declarou o atual bicampeão das motos, Tunico Maciel, que larga em quarto para a primeira etapa.

Como no rali, a categoria quadriciclo larga inicialmente depois das motos, todos os pilotos de moto a partir da 3ª posição sobem de posto. Mas a partir das próximas etapas a ordem de largada será a do resultado do dia anterior.

Neste sábado os pilotos encaram a primeira etapa de percurso em linha, 585 km através da bela região da Serra da Canastra, sendo 205 km em trecho especial cronometrado.

Em suma, com mais de 4.500 quilômetros no horizonte, a monumental aventura do Rally dos Sertões 2020 começou.

Eba!

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login