Voltar
Rally Dos Sertões

Moto Honda vai a 170 km/h no Sertões

Preparação da CRF 450RX da equipe Honda Racing Brasil inclui novo mapa de injeção, escapamento e relação “alongada” para aumentar a velocidade final; conheça

04/11/2020 - 3 minutos, 24 segundos


moto-de-rali-salta-no-sertões-2020
“Usamos uma relação mais longa, para reduzir o consumo de combustível e manter o giro do motor mais baixo”, explica o experiente Jean Azevedo, que disputa o Sertões pela 25ª vez. Foto: Victor Eleutério / Mundo Press

Maior vencedora do Rally dos Sertões, com nove títulos na categoria Motos, a Honda Racing é a equipe a ser batida na 28ª edição da prova, que começou em 30 de outubro, em São Paulo, e termina em 7 de novembro, no Maranhão. Afinal, o atual bicampeão (2018 e 2019), Tunico Maciel, também integra o time, ao guidão de uma Honda CRF 450RX na categoria Moto 1, a principal em duas rodas.

Modelo construído para provas de rali e enduro, a CRF 450RX, entretanto, precisa ser preparada para enfrentar uma competição longa como o Sertões, um rali da modalidade cross-country. Em alguns dias, os pilotos chegam a rodar cerca de 800 km – e a quilometragem total da prova deste ano é de 4.567 km. E a moto de rali precisa estar preparada para longas distâncias.

“Para começar, trocamos o tanque original, de 8,5 litros, por outro maior, com capacidade para 12 litros. Também refizemos o subquadro traseiro, para suportar um segundo tanque, com 15 litros”, explica o chefe da equipe Honda Racing de rali, Dário Júlio. Pelo regulamento da prova, a moto de rali precisa ter, pelo menos, 220 quilômetros de autonomia.

A carenagem original do farol é retirada, para dar lugar à torre de navegação, onde vão o road-book, com a planilha da prova, GPS e hodômetros digitais. “Também instalamos uma bolha maior, que diminui o cansaço do piloto, pois os trajetos são muito longos. As manoplas também são trocadas por outras de espuma, que são mais confortáveis”, explica o chefe da equipe.

piloto-honda-no-rally-dos-sertoes
Tunico Maciel, piloto da Honda Racing, na segunda etapa do Sertões 2020. Foto: Marcelo Machado de Melo / Mundo Press

Por conta do peso extra dos tanques e equipamentos obrigatórios, as suspensões são retrabalhadas e ajustadas de acordo com a preferência e o biotipo de cada piloto. “São cerca de 30 kg a mais, somando os 27 litros de gasolina,os protetores de motor e outros itens. O acerto também leva em conta o peso do piloto e sua forma de conduzir”, diz Dário Júlio.

Relação alongada

O motor de um cilindro, quatro válvulas, 449 cm³ e arrefecimento líquido já é preparado para girar alto e oferecer bom desempenho nas trilhas, mas é preciso trocar o sistema de escapamento para acomodar o tanque traseiro. “Trocamos as duas ponteiras por uma única, e o cano passa por debaixo do motor”, explica Dário Júlio.

Com isso, é preciso instalar um novo mapa da central eletrônica,para evitar a perda de potência. “O desempenho do motor já é bom, são cerca de 57 cv em um motor 450 cc. O remapeamento é para funcionar com o novo escapamento”, afirma Dário Júlio.

Outra modificação é na relação final da CRF 450 RX, que, originalmente, vem com pinhão de 13 dentes e coroa com 51. “Usamos uma relação alongada, com pinhão 14 e coroa 46, para reduzir o consumo e preservar o motor”, explica o experiente piloto Jean Azevedo, 46 anos, que participa pela 25ª vez da prova e já tem sete títulos do Sertões.

A relação mais longa permite que, em quinta e última marcha o motor trabalhe em giros mais baixos, evitando o desgaste excessivo do motor. Outro benefício é o aumento da velocidade final. “Em algumas retas, com o piso duro, de terra batida, chego a atingir 170 km/h no rali”, revela Jean.

Os pneus, especiais de rali, também são preparados. Em vez de ar, são enchidos com o Bibmousse, produto da Michelin. Trata-se de uma espécie de espuma que preenche o espaço da câmara e acaba com a possibilidade de furos. “Imagina furar um pneu no meio da trilha, em um trecho cronometrado? Se isso acontecer, o piloto perde a prova”, afirma o chefe de equipe Dário Júlio.

Ficha técnica – Honda CRF 450RX Sertões 2020

▸ Motor 1 cilindro, 449 cm³, quatro válvulas

▸ Câmbio 5 marchas

▸ Potência 57 cv

▸ Combustível 27 litros (12 l + 15 l)

▸ Peso (estimado) 145 kg

▸ Pneus 80/100-21 (diant.) e 120/90-18 (tras.)

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login