Voltar
Meios de transporte

Os cuidados contra a Covid-19 na retomada das viagens de ônibus

Empresas de transporte rodoviário de passageiros adotam uma série de medidas de proteção contra a covid-19

15/09/2020 - 2 minutos, 51 segundos


confira os cuidados contra covid 19 na retomada das viagens de ônibus

As companhias que realizam viagens de ônibus estão seguindo uma série de novos protocolos por conta da pandemia de Covid-19. A começar pelos procedimentos de higienização dos ônibus, que se tornaram bem mais rigorosos a partir de normas estabelecidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Leia mais:
Seminário aponta caminhos para melhorar o transporte público
Caminhoneiros ganham protagonismo na pandemia
A difícil rotina dos motoristas de aplicativo durante a quarentena

Distanciamento social nas viagens de ônibus

Para seguir os preceitos de distanciamento, os veículos circulam com o limite de 50% da ocupação. A orientação para os passageiros é não mudar de poltrona durante a viagem, prática que costumava ser comum quando havia lugares vagos. 

Apesar da retomada gradual das atividades, o quadro geral ainda segue longe da normalidade. Em julho, o serviço regular de transporte rodoviário de passageiros no País contabilizou 24,8% das viagens realizadas em janeiro. Isso porque muitas linhas ainda estão com número reduzido de horários ou sequer foram reativadas. 

Trata-se, contudo, de um avanço significativo em relação a abril, mês seguinte ao da chegada da pandemia ao País, quando foram realizadas apenas 3.436 viagens, volume correspondente a 1,7% do número de janeiro. 

Somando-se as linhas regulares e os serviços de fretamento, o transporte rodoviário de passageiros no Brasil envolve 304 empresas ativas, 111.074 motoristas habilitados e 24.349 veículos regularizados, de acordo com dados atualizados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Colaboração de todos

O grande desafio das empresas neste momento é reconquistar aos poucos a confiança dos passageiros. Faz parte desse esforço a divulgação das precauções que estão sendo tomadas e de informações que reforçam a ideia de que as viagens são seguras. 

Um ponto importante é afastar a ideia de que os ônibus têm “ar viciado”. Os sistemas de ar-condicionado renovam o ar dentro do veículo mais de 20 vezes por hora, índice muito superior ao adotado em ambientes como supermercados, agências bancárias e saguões de aeroportos. 

Algumas empresas estão adotando medidas extras de segurança, como medição de temperatura dos passageiros no embarque, luz ultravioleta para desinfecção dos banheiros e até redistribuição física das poltronas.

Bom senso

Por conta da variação do nível de gravidade da pandemia em cada região do País, determinadas ações e procedimentos podem ser obrigatórias em alguns lugares, mas apenas serem recomendações em outros – é o caso da distribuição de copos de água, lanches, travesseiros e cobertores durante as viagens.

A eficácia de todas essas ações depende muito do bom senso e da colaboração dos passageiros. Talvez nesse ponto esteja o maior receio de quem resiste a viajar de ônibus: será que todos vão cumprir as recomendações? 

As atitudes esperadas incluem o uso de máscaras desde o embarque e durante toda a viagem, com troca idealmente a cada três horas e depois das refeições. Cada passageiro deve ter também o seu álcool em gel para higienização das mãos, embora o produto esteja disponível nos veículos e nos guichês de atendimento das rodoviárias. 

Os cuidados devem ser redobrados após as paradas e a utilização de banheiros. As companhias pedem também aos clientes que deixem de viajar caso estejam tossindo, com febre ou qualquer outro dos sintomas associados à covid-19.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login