Veja 5 dicas para comprar uma moto usada | Mobilidade Estadão | Mercado, MotoMotor, Serviço

Buscando sugestões para:


Publicidade

Veja 5 dicas para comprar uma moto usada

Por: Arthur Caldeira . 24/06/2024
Meios de Transporte

Veja 5 dicas para comprar uma moto usada

Saiba o que verificar antes de adquirir um modelo seminovo para evitar dores de cabeça no futuro

3 minutos, 49 segundos de leitura

24/06/2024

Por: Arthur Caldeira

Moto usada
Antes de fechar negócio, faça um inspeção mecânica na moto usada ou seminova. Foto: Divulgação/Honda Blokton

Com o mercado de motos aquecido, naturalmente, o preço das motos 0km tende a ficar mais alto, sem descontos ou promoções. Com isso, muitos consumidores preferem investir seu dinheiro em uma moto usada. Em alguns casos, consegue-se comprar uma moto de maior cilindrada ou mais completa por valores inferiores aos cobrados por modelos menores e menos equipados.

O segmento tem números impressionantes. Enquanto a venda de motos novas chegou a quase 1,6 milhão de unidades em 2023, no mesmo período, cerca de 3,05 milhões de motos usadas trocaram de mãos no Brasil.

Contudo, é preciso tomar alguns cuidados antes de adquirir um modelo seminovo. Adulterações, pendências fiscais e placas clonadas são alguns dos problemas enfrentados pelos consumidores. Pensando nisso, elaboramos uma lista com 5 dicas para comprar uma moto usada.

“Infelizmente, acontecem diversas fraudes no mercado de usadas, como uso de placa falsa, adulteração do chassi, troca de motor e até falsificação de laudos”, revela Felipe Silva, gerente de qualidade da Super Visão, empresa especializada em vistorias automotivas.

Cabe no bolso?

Embora o preço de uma usada seja atrativo, lembre-se que, no caso de motos de maior cilindrada, o valor da manutenção será maior do que em uma moto 0km, mas de menor capacidade. “As peças são mais caras, se tiver disco nas duas rodas terá a troca do fluido de freio, isso sem falar nos pneus”, alerta o mecânico Alexandre Sauro.

Além disso, motores maiores, em geral, têm motor com arrefecimento líquido. Sistema que também exige manutenção periódica, lembra o mecânico.

Portanto, o conselho é pesquisar a disponibilidade e o valor das peças do modelo que está nos seus planos. Procure adquirir uma moto usada cujo custo de manutenção esteja dentro do seu orçamento.

Preços de mercado

Aconselha-se também cautela com preços muito abaixo do mercado. Quando uma moto nova deixa a concessionária, seu preço inicial sofre uma depreciação de cerca de 15%, seguida por uma média de 10% ao ano, dependendo do modelo. Assim, consultar indicadores como a Tabela Fipe é fundamental para saber uma média de preço e evitar armadilhas.

“Um preço muito baixo pode indicar problemas, como histórico de acidentes, participação em leilões ou até mesmo golpes. Mesmo uma avaria considerada de média monta pode impactar o desempenho da moto”, alerta Cleverson Carvalho, especialista em seminovas da Honda Blokton, rede de concessionárias de motos no Paraná.

Pesquise online

Para saber se existem restrições legais, débito ou multas em atraso faça uma pesquisa. “Peça uma cópia do documento, entre no site do Detran e digite a placa, o número do chassi e o Renavam, dependendo do Estado”, ensina Felipe Silva da Super Visão.

Dessa forma, você descobre se ela tem pendências, se foi roubada ou passou por um furto e se existe algum tipo de restrição.

Vistoria

Para fazer uma análise da originalidade do veículo até o diagnóstico da documentação, é necessário fazer uma vistoria veicular. Também será necessária uma vistoria para transferir a moto para o ser nome. Não aceite laudos já impressos, eles podem ser antigos ou fraudados.

São tantos os tipos de fraudes, que a Super Visão criou uma vistoria exclusiva para motos. Com a análise de carenagem, estado do tanque e uso até de vídeo, a vistoria, que custa R$ 150, pouco mais do que a obrigatória para transferência, fornece um laudo mais completo. “É um pouco mais cara, mas, além de dar mais segurança aos compradores, serve como argumento de venda. O vídeo de até 1 minuto e meio mostra o motor em funcionamento, o painel e o estado geral da carenagem”, explica Silva

Parte mecânica

Antes de fechar negócio, não se esqueça de fazer uma inspeção mecânica e elétrica. Observe o motor em funcionamento, em busca de barulhos anormais ou vazamentos. Fumaça pelo escapamento também pode indicar problemas.

Veja no Manual do proprietário, caso ainda existe, se o antigo dono fez as revisões nos prazos previstos e se ainda há garantia de fábrica (de 3 a 5 anos).

Também confira o kit de transmissão (corrente, coroa e pinhão) e os componentes elétricos (iluminação e pisca). Caso decida comprar a moto, faça uma revisão com um mecânico de sua confiança e bons passeios.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

Quer uma navegação personalizada?

Cadastre-se aqui

0 Comentários


Faça o login