Mobilidade para quê?

15 dicas para andar de bike com segurança

Seguindo regras básicas, é possível pedalar pelas vias da cidade sem correr riscos

4 minutos, 1 segundo de leitura

19/05/2021

Por: Hairton Ponciano Voz

Conteúdo produzido em parceria com o Observatório Nacional de Segurança Viária
Mobilidade Estadão, uma marca laço amarelo
segurança dos ciclistas. Foto: Getty Images
Pedalar é uma forma eficiente, prática e saudável de locomoção. Foto: Getty Images

Na contramão do que ocorreu com motociclistas, pedestres e ocupantes de automóveis, as mortes de ciclistas aumentaram, no ano passado, no Estado de São Paulo. De acordo com o Infosiga SP, órgão do governo de São Paulo gerenciado pelo Detran.SP e pelo Programa Respeito à Vida, no ano passado, 413 ciclistas perderam a vida, alta de 2,5% em relação aos 403 óbitos registrados em 2019.

O índice contrasta com reduções das mortes de motociclistas, pedestres e ocupantes de automóveis. Como comparação, as mortes envolvendo pedestres diminuíram 20,6%, em 2020 (1.108, ante 1.395, em 2019). Com relação a carros, a queda foi de 10,4% (de 1.386 para 1.242). Entre motociclistas, a diminuição foi de 1,1% (de 1.921 para 1.899 perdas de vida). Comparando com os dados de 2015 (quando o Infosiga SP começou a tabular os dados), a morte de ciclistas teve um salto de 37,2%.

Andar de bicicleta traz diversos benefícios à saúde, como redução de colesterol e estresse, melhora da circulação sanguínea e da condição física. Mas é preciso tomar algumas precauções. Reunimos várias dicas para unir o prazer da pedalada com a segurança. Confira.

1Embora não seja obrigatório por lei, é recomendável o uso de capacete. Numa queda, a possibilidade de lesão na cabeça é alta. Da mesma forma, o uso de luvas também é indicado, porque, em caso de queda, instintivamente, a tendência é levar as mãos ao solo.

2Utilize roupas claras e, à noite, é importante usar jaqueta ou colete refletivo. Iluminação (na bike e no capacete) e espelhos também são muito úteis.

3Não pedale com fones de ouvido ou usando celular. Eles podem distrair e impedir que se perceba alguma situação de risco, como a aproximação de um pedestre ou a buzina de um carro.

4Mantenha os pneus calibrados. Com pressão baixa, o esforço aumenta muito, acelerando o cansaço.

5Verifique os freios. O ideal é que não haja curso excessivo dos manetes para frenagens mais rápidas e seguras. Se necessário, faça a regulagem ou troque as pastilhas.

6Mantenha coroas, catracas e corrente sempre lubrificadas para facilitar as trocas de marcha. Realize as reduções sempre antes de iniciar as subidas para evitar cansaço e lesões nos joelhos.

7Procure traçar, antecipadamente, a rota a ser seguida, e dê preferência a roteiros servidos por ciclovias (feitas, exclusivamente, para bikes) ou ciclofaixas (caminhos pintados no chão, ao lado das vias destinadas a carros e demais veículos). Na falta delas, procure se colocar na faixa à direita da via, mas não muito perto da guia. Ocupe um terço da faixa ou a metade, em vias mais tranquilas.

8Se possível, evite rotas em que é permitido circular a mais de 60 km/h. Dê preferência a caminhos secundários paralelos, mais calmos.

9Se estiver no mesmo espaço que os demais veículos, mantenha sempre a cabeça erguida e busque estabelecer contato visual com os demais motoristas quando for sinalizar suas intenções. Ao mudar de direção, estenda o braço para onde pretende ir (direita ou esquerda) e movimente-o para cima e para baixo para indicar se vai parar ou reduzir a velocidade.

10Evite fazer ultrapassagens com o trânsito em movimento. Espere para fazer esse tipo de manobra (como entrar no “corredor”) apenas com os veículos parados. Para isso, fique atento às motos. No trânsito, os veículos menores têm preferência sobre os maiores. Assim, caminhões e ônibus devem “cuidar” dos automóveis, que devem dar prioridade às motos, e estas às bicicletas. E todos devem dar prioridade aos pedestres. Mas isso nem sempre é respeitado. Então, mantenha-se alerta.

11Não ande muito perto da lateral de carros, caminhões e ônibus. Eles têm pontos cegos, que podem ocultar a bike no campo de visão do motorista.

12Mantenha distância de carros estacionados. Alguém pode abrir a porta repentinamente.

13 – Respeite o semáforo.

14Se for necessário andar sobre calçadas movimentadas, desça da bike e empurre. Apenas pedale nesses locais se a movimentação de pessoas for pequena.

15Nunca passe por um ônibus parado em um ponto pelo lado de descida dos passageiros. E, mesmo pelo outro lado, fique atento porque alguém pode estar atravessando pela frente do coletivo.

Fontes: Abraciclo e Bike Anjo

Morte de ciclistas cresceu no ano passado

Na contramão do declínio de acidentes fatais com motociclistas, pedestres e ocupantes de automóveis, as ocorrências com bikes aumentaram

  • Bicicletas: 403 vítimas, em 2019 / 413, em 2020 (+ 2,5%)
  • Motos: 1.921 vítimas, em 2019 / 1.899, em 2020 (-1,1%)
  • Automóveis: 1.386 vítimas, em 2019 / 1.242, em 2020 (- 10,4%)
  • Pedestres: 1.395 vítimas, em 2019 / 1.108, em 2020 (- 20,6%)

Fonte: Infosiga SP

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login