Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Compromisso com a segurança

O marco regulatório deve conscientizar sobre a importância de boas e corretas práticas no trânsito

4 minutos, 52 segundos de leitura

11/05/2022

Foto: Getty Images

Há mais de 2 mil anos, o filósofo grego Aristóteles (382 a.C.–322 a.C.) fez uma reflexão que continua absolutamente atual até os dias de hoje. Segundo ele, “nós somos o que fazemos repetidamente: a excelência não é um feito. É, sim, um hábito.Esse pensamentotraduz o trabalho do Observatório Nacional de Segurança Viária para conscientizar as pessoas, incluindo os líderes de segmentos dessa área, sobre a importância de boas e corretas práticas no trânsito.

Em dez anos, desenvolvemos pesquisas com foco no “fator humano”: a educação para o trânsito nas escolas, nova formação de condutores e também em campanhas educativas, como o Programa Laço Amarelo e o Movimento Maio Amarelo.

Em meados de 2020, foi a vez do “fator via”, em que envolvemos mais de 70 entidades do Poder Público, privado e sociedade civil, entregando ao Ministério da Infraestrutura o programa Rodovias Que Perdoam, que já é uma realidade em muitas estradas do Brasil.

Em 2019, nos debruçamos sobre o “fator veículo”. Com o estudo “Frota Segura e Sustentável”, abordamos aspectos da manutenção, da importância da destinação do veículo fora de uso e a checagem dos níveis de segurança e emissão.

Diante dessa tríade, em que os fatores humano, via e veículo foram estudados, o Observatório contribuiu com o novo marco regulatório para transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros, que está sendo elaborado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Condutores melhor capacitados, rodovias mais seguras e veículos com corretas manutenções, preventiva e corretiva, entregarão à sociedade um transporte terrestre de passageiros com premissas imprescindíveis de qualidade e segurança, dentro de critérios técnicos mensuráveis que balizarão a autorização para a operação das empresas.

Frequentemente, são noticiadas ocorrências envolvendo o transporte rodoviário de passageiros, em que tragicamente resultam em dezenas de óbitos e feridos com sequelas graves. Os números* desse setor são impressionantes e demonstram o quanto é importante haver protocolos rígidos de qualidade e segurança.

•       212 empresas autorizadas para a atividade
•       4.219 linhas em operação
•       97.667 seções
•       7.688 veículos
•       113.227 motoristas habilitados
•       Transportados mais de 18 milhões de passageiros
* Números extraídos do site da ANTT (dados operacionais de janeiro a outubro de 2021)

Os critérios técnicos e operacionais para o setor, juntamente com a implantação de indicadores de serviço, elevaram os riscos de ocorrências de trânsito a níveis de Primeiro Mundo. A seguir, algumas sugestões de protocolos com métricas, que irão gerar indicadores de performance para as empresas do setor.

Fator Veicular

Frota

        •       Gestão dos veículos
        •       Monitoramento/telemetria

Manutenção veicular

        •       Plano de manutenção conforme o fabricante nas dimensões de prevenção e/ou predição
        •       “To do list” do estado de conversação dos principais itens (pneus, freios, suspensão etc.)

Limpeza e higienização

        •       Indicador de limpeza e higienização conforme o fabricante, os órgãos de saúde pública e/ou as premissas estabelecidas em resolução da agência reguladora

Fator Humano

Capacitação

        •       Formaçãodos condutores focada na percepção de risco e na condução segura e preventiva

Gestão de ocorrências

        •       Avaliação das ocorrências e das “quase” ocorrências, identificando os fatores de riscos e a utilização dessa informação como lições aprendidas para serem disseminadas

Gestão de infrações

        •       Avaliação das infrações cometidas e grau de risco a todos os embarcados no veículo, assim como um plano de reciclagem para eliminar futuras ocorrências

Saúde e bem-estar

        •       Aferição periódica do estado de saúde (física, mental ocupacional, psicológica etc.) dos condutores, com foco nos protocolos de segurança e direção veicular

Cumprimento de jornada

        •       Cumprimento das legislações de jornada de trabalho de toda a tripulação

Fator Viário

Registro de itinerário

        •       Checagem prévia do itinerário, com informações de outros condutores.

Registro de pontos críticos (descritivo/imagem)

        •       Registro e alerta de eventuais pontos críticos sem registro em viagens anteriores

        O novo marco regulatório para o transporte rodoviário de passageiros será a oportunidade de banirmos dos noticiários das ocorrências de trânsito frases como: “Perdeu o freio”, “Perdeu o volante”, “Falha mecânica”, garantindo ao cidadão um transporte de qualidade e seguro.

Por se tratar do transporte de vidas, a reflexão do filósofo grego Aristóteles se faz importante.”

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login