Mobilidade para quê?

11 curiosidades sobre o metrô de SP

Na semana em que o metrô completou 47 anos, conheça fatos curiosos sobre o meio de transporte de milhões de paulistanos

3 minutos, 56 segundos de leitura

17/09/2021

Por: Marina Oliveira

Área interna do metrô de SP
O metrô de SP completou 47 anos no dia 14 de setembro de 2021. Foto: Getty Images

O metrô de SP foi inaugurado no dia 14 de setembro de 1974, com um trajeto inaugural de 6,5 quilômetros de distância, entre as estações Jabaquara e Vila Mariana. Nos 47 anos que seguiram, a malha expandiu e hoje a rede metroviária da cidade de São Paulo tem 101,1 quilômetros de extensão e 89 estações em seis linhas. Confira outras curiosidades sobre o transporte.

1- A primeira e as últimas estações inauguradas

O marco zero do metrô paulistano é a estação Jabaquara, da Linha 1- Azul, que foi a primeira a ser construída. Já as estações mais recentes entregues para a população foram a Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus, da Linha 15 – Prata. A inauguração aconteceu em dezembro de 2019. 

2- A próxima estação de metrô de SP a ser entregue

O governo de São Paulo anunciou que a estação Vila Sônia, da Linha 4 – Amarela, deve ser entregue em 16 de dezembro de 2021, com sete anos de atraso. O complexo Vila Sônia, formado por um terminal de ônibus, um pátio de manobras e a estação de metrô, já recebeu um investimento de R$ 1,9 bilhão.

3- Com quantos vagões se faz um trem

Quantos carros – ou vagões – cada trem do metrô tem? Resposta: seis. Exceto os da Linha 15 – Prata, que têm sete carros. 

4- De 1974 para 2021: preço da passagem

Em 1974, o bilhete do metrô custava Cr$ 1,50. Atualmente, a tarifa do bilhete unitário de metrô custa R$ 4,40.

A estação Vila Sônia, da Linha 4 – Amarela, deve ser entregue em 16 de dezembro de 2021. Foto: Divulgação

5- Controle: de imãs a computadores

No ano da inauguração do metrô, ainda com apenas uma linha, o trabalho do controlador era manual. Na época, os profissionais usavam uma lousa de metal com o sistema dos trens e ímãs, representando os veículos, para controlar o movimento da linha. Hoje, o processo e condução dos trens é totalmente automatizado, planejado e controlado por computadores.

6- 2000: o ano da integração

A partir de 27 de maio de 2000, o passageiro que precisa usar trens do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) passou a ter gratuidade de um sistema para outro em algumas estações. Atualmente, são oito estações com intersecções: Luz (Linha 1-Azul), Tamanduateí (Linha 2-Verde), Pinheiros (Linha 4-Amarela), Santo Amaro (Linha 5-Lilás) e Corinthians-Itaquera, Tatuapé, Brás e Palmeiras-Barra Funda (Linha 3-vermelha).

7- Bibliotecas no subsolo

Entre setembro de 2004 a dezembro de 2013 existiam bibliotecas dentro de algumas estações, a Embarque na Leitura. O Instituto Brasil Leitor idealizou o programa, que funcionou dentro das estações Tatuapé, Luz, Santa Cecília, Largo 13 e Paraíso. As bibliotecas fecharam por falta de patrocínio.

8- Banda dos Seguranças do Metrô

Desde 2011, uma banda formada por guardas do Metrô anima as estações com shows regulares. Nas apresentações, eles usam o uniforme preto pra cantar e tocar hits que vão de Elvis Presley a Grupo Pixote. Durante a pandemia, os shows viraram lives, que são transmitidas na página do Facebook da Banda dos Seguranças do Metrô.

Show da Banda dos Seguranças do Metrô formada por guardas da empresa. Foto: Reprodução

9- Estações mais e menos movimentadas do metrô de SP

A estação mais movimentada é a Sé, ponto de intersecção entre as Linhas 1- Azul e 3 – Vermelha. Em julho de 2021, a Sé recebeu 124 mil passageiros diários. Por outro lado, as menos movimentadas, no mesmo período, foram as estações Camilo Haddad e Fazenda da Juta, da Linha 15 – Prata, que receberam 2 mil passageiros diários, segundo o Portal da Transparência do Metrô. A demanda ainda está reduzida devido à pandemia

10- Tombo histórico nas receitas em 2020

Em 2020, o ano do início da pandemia do coronavírus, a  Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) teve um prejuízo inédito de R$ 1,7 bilhão. A queda do número de passageiros no sistema foi a causa do resultado ruim. 

11- Quem opera o quê

O Metrô de São Paulo não é responsável por todas as linhas em operação na cidade de São Paulo. O Metrô opera: as Linhas 1-Azul (Jabaquara – Tucuruvi), 2-Verde (Vila Prudente – Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera – Palmeiras-Barra Funda) e o Monotrilho da Linha 15-Prata (Vila Prudente – Jardim Planalto). A Linha 4-Amarela é operada pela Via Quatro, desde 2010. Já a Linha 5-Lilás passou a ser operada em regime de concessão pela Via Mobilidade em 2018. 

Monotrilho da Linha 15-Prata. Foto: Getty Images

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login