Buscando sugestões para:


Publicidade

Manutenção adequada dos pneus ajuda a economizar combustível

Por: Patrícia Rodrigues . 01/07/2022
Conteúdo patrocinado por
Mobilidade para quê?

Manutenção adequada dos pneus ajuda a economizar combustível

Em tempos de aumentos recorrentes da gasolina e do diesel, confira como esses equipamentos essenciais à segurança podem auxiliar na redução dos custos do veículo

3 minutos, 56 segundos de leitura

01/07/2022

Por: Patrícia Rodrigues

pneus e consumo de combustível
Pneus que oferecem menor vibração promovem menos atritos e menor resistência ao rolamento, o que ajuda a reduzir o consumo de combustível. Foto: Getty Images

Quando falamos de economia de combustível, sem dúvida um dos fatores mais importantes é a forma de conduzir o veículo. No entanto, manter a correta pressão de ar dos pneus, dos compostos de banda de rodagem e da estrutura desse equipamento de modo geral também ajudam a minimizar impactos da alta da gasolina no bolso dos motoristas. 

De acordo com dados da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip), desde o Programa Brasileiro de Etiquetagem, vigente desde 2018, é possível ao consumidor aferir a resistência ao rolamento dos pneus por meio de sua etiqueta. Por meio dela, também, pode-se avaliar mais dois critérios (aderência em piso molhado e ruído externo).

Pela escala A a G, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) categoriza os pneus do mais ao menos eficiente. Isto é, mede a facilidade com que esse equipamento gira em torno do rolamento. Na prática, é importante que o consumidor saiba que quanto menor a resistência, mais eficiente é o pneu e, consequentemente, maior é a potencial economia de combustível do veículo — desde que observados, claro, a correta pressão de ar do pneu, bem como o modo de direção. 

Tecnologia como aliada

Rodrigo Alonso, diretor de vendas e marketing da Dunlop, empresa que utiliza o sistema TAIYO (Sun) System de fabricação de pneus sem emendas nas partes de borracha, explica que equipamentos que oferecem menor vibração promovem menos atritos e menor resistência ao rolamento. Tudo isso favorece, ainda mais, a economia.

“Ao notar trepidação ou desalinhamento no curso da direção, providencie o alinhamento e balanceamento do veículo”, alerta. “Um carro desalinhado ‘puxa’ para um dos lados e faz com que o pneu se desgaste irregularmente. Já os desbalanceados gastam mais combustível, além de tornar a condução desconfortável.”

Confira 10 dicas para deixar os pneus sempre em dia

1 – A cada 15 dias, calibre os pneus antes de iniciar o trajeto: eles devem estar frios ou, no máximo, depois de um deslocamento curto;

2 – Nunca utilize pressão inferior à recomendada pelo fabricante: isso desgasta o equipamento de forma prematura e/ou irregular. Andar com pressão inferior aumenta o arraste e o consumo, além de gerar desgaste irregular, abreviando a vida útil do pneu. Rodar com o equipamento murcho muda o comportamento dinâmico do veículo, prejudicando a capacidade de manobra e a segurança na condução;

3 – Verifique o estado do conjunto regularmente e após passar por buracos ou raspar os pneus na guia: dependendo do impacto, eles podem sofrer deformações ou avarias que inviabilizam a sua utilização com segurança, comprometendo a eficiência e desempenho;

4 – Faça o rodízio: leve em consideração a indicação no manual do veículo e no certificado de garantia dos pneus. O rodízio entre 5 e 10 mil quilômetros melhora o rendimento e durabilidade e ajuda a rodar de forma mais confortável;

5 – Respeite a carga máxima do carro: o excesso de peso é responsável por muitos acidentes, pois altera significativamente o comportamento dinâmico do veículo, além de gerar mais esforços a todos os sistemas e, em especial, os pneus. Verifique, ainda, se o fabricante do automóvel não estipulou no manual as diferentes calibragens em casos de carga máxima ou vazio;

6 – Não “cante” pneus: arrancadas e freadas queimam a borracha no asfalto e diminuem a durabilidade. 

7 – Antecipe sempre suas manobras, de forma a otimizar o uso dos freios. Parar o veículo de forma brusca sempre desgasta de forma intensa os freios — e também os pneus.

8 – Preste atenção à marca de segurança (TWI): o Tread Wear Indicator (TWI), pequeno ressalto de 1,6 mm de altura localizado dentro do sulco do pneu. Quando a banda de rodagem e o TWI estão no mesmo nível, é hora de substituir o pneu imediatamente. Sulcos com profundidade menores que 3 mm prejudicam a capacidade de drenar água, diminuindo a eficiência contra aquaplanagem e a capacidade de frenagem, por exemplo.

9 – Troque as válvulas de ar junto com os pneus para garantir não percam pressão rapidamente. Elas ressecam e seu mecanismo interno trava com o passar do tempo, provocando vazamentos de ar;

10 – Respeite as medidas indicadas pelo fabricante: rodar com pneus fora das medidas pode diminuir a vida útil do automóvel e comprometer a segurança e o conforto dos ocupantes. Consulte sempre o manual do veículo para confirmar as medidas compatíveis.

Saiba mais: Saiba a hora certa e trocar os pneus do carro.

Fonte: Dunlop.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

Quer uma navegação personalizada?

Cadastre-se aqui

0 Comentários


Faça o login