Mobilidade para quê?

Práticas e versáteis, scooters conquistam as ruas do País

A facilidade de pilotagem das scooters abriu as portas do mundo da mobilidade em duas rodas a novos adeptos

2 minutos, 47 segundos de leitura

05/05/2021

scooters
Foto: Divulgação/Honda

A crescente demanda por mobilidade nas grandes cidades explica o fenômeno das scooters. Cada vez mais presentes nas ruas de todo o Brasil, elas são escolhidas pela excepcional agilidade e tremenda economia, encurtando, significativamente, custos e tempo nos deslocamentos urbanos, de forma confortável aos usuários.

As scooters, sobretudo na última década, conquistaram muitos brasileiros atentos à sua verdadeira evolução técnica. Anteriormente vistas como objetos de lazer voltados à diversão em pequenos percursos, uma injeção de tecnologia elevou-as a outro patamar. Dotadas de itens até então exclusivos em automóveis sofisticados, tais como freios ABS, chave presencial e sistema Start/Stop, a grande praticidade das scooters se juntou a uma eficiência dinâmica ímpar.

Versatilidade, praticidade e estilo sempre foram palavras-chave no universo das scooters e, sob esse prisma, alguns aspectos são dignos de nota: um diz respeito ao compartimento sob o assento; outro, à facilidade de condução, que fez as scooters trazerem muitos estreantes ao mundo das duas rodas. E, finalmente, há o design, que, nelas, supera largamente o aspecto funcional, virando elemento de atração e reforçando o estilo dos usuários, que ainda se complementa com o uso de acessórios como jaquetas, botas e capacetes que refletem muita personalidade.

Complementar ao carro e transporte público

Veículo favorito de muitos nos deslocamentos urbanos, as scooters também são alternativa complementar ao automóvel e transporte público. Boa parte dos novos usuários não cogitaria a motocicleta convencional como vetor de transporte; no entanto, a facilidade de pilotagem das scooters, invariavelmente dotadas de transmissão automática, abriu as portas do mundo da mobilidade em duas rodas a novos adeptos.

Outro fator de atração está vinculado à estrutura das scooters, na qual o escudo frontal oferece proteção contra as variações do clima. A frequente adição de para-brisa completa essa qualidade das scooters, ampliando, assim, a variedade de trajes e calçados possíveis, algo fundamental aos profissionais cuja apresentação é elemento indissociável da atividade profissional.

A atração pelas scooters se dissemina de modo plural, e não está apenas circunscrita às metrópoles. Tanto nos grandes centros como nos pequenos núcleos urbanos, jovens e, cada vez mais, mulheres – hoje, cerca de 40% das clientes desse segmento para a Honda – optam pelas scooters, veículo que não faz distinção de idade ou gênero no quesito economia de combustível e manutenção.

Vendas em crescimento

Práticas, versáteis e, democraticamente, acessíveis do ponto de vista da pilotagem, o boom das scooters no Brasil é comprovado por meio de números: das pouco mais de 660 mil unidades vendidas no Brasil de 1993 até 2020, 85% delas chegaram ao mercado na última década. Desde 2017, a escalada nas vendas foi de mais de 110%, o que fez a participação do segmento no mercado de motos brasileiro saltar de 3% para 10% [dados da Abraciclo].

As scooters estão, definitivamente, escrevendo uma nova página na mobilidade urbana brasileira. Elas vêm trazendo para as ruas novos usuários e usuárias, gente praticando a conveniência sobre duas rodas em um veículo que ocupa pouco espaço, é amistoso, seguro, de baixo impacto em termos ambientais e, democraticamente, acessível. Enfim, excelente exemplo de mobilidade do futuro no presente.

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login