Mobilidade para quê?

São José dos Campos inova em mobilidade urbana

Conheça algumas ações colocadas em prática pela prefeitura da cidade

5 minutos, 43 segundos de leitura

03/11/2021

Por: Daniela Saragiotto

vlp em são josé dos campos
Veículos Leves sobre Pneus (VLPs), ônibus 100% elétricos que têm previsão de começar a rodar no início do próximo ano na cidade. Foto: Claudio Vieira | Prefeitura Municipal de São José dos Campos

Na agenda de Paulo Guimarães, secretário de Mobilidade Urbana da Prefeitura de São José dos Campos, cidade localizada a cerca de 100 quilômetros da capital paulista, são cada dia mais frequentes as visitas de representantes de outras prefeituras para conhecer e saber detalhes das iniciativas colocadas em prática pela secretaria.

Entre as ações que geram maior curiosidade estão os veículos leves sobre pneus (VLPs), ônibus que acomodam 168 passageiro e são 100% elétricos, apresentados neste ano, o estacionamento rotativo em sistema de Zona Azul, os carros elétricos compartilhados, entre outras novidades.

Embora parte das ações seja recente, a prática da inovação em mobilidade pela cidade vem de longe. “O prefeito atual foi secretário de Mobilidade no passado, e o prefeito que o antecedeu, também. Costumo dizer que tenho sorte e azar nesse sentido, porque, se, por um lado, tenho pessoas da mais alta competência técnica para me aconselhar, são eles que me cobram”, brinca Guimarães.

O secretário explica que o Plano de Mobilidade, de 2016, estabeleceu a diretriz para o trabalho realizado até os dias atuais. “Sua base é a mudança de modal da cidade, passando do transporte individual para o público coletivo, o que perseguimos até hoje”, explica. Com cerca de 730 mil habitantes, São José dos Campos tem o deslocamento por ônibus como principal alternativa para a população. “Ainda não chegamos a um volume de passageiros que comporte o deslocamento sob trilhos, por exemplo”, diz Guimarães.

Entre os maiores desafios da gestão está a implementação do novo modelo de transporte público que irá mudar a forma de concessão dos 390 ônibus da frota atual. Uma das ferramentas usadas para atingir a esse formato foi a realização de oficinas com a população. “Com o formato antigo de audiência pública, as pessoas defendiam seu lado, nada flexíveis. Com a ajuda da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, misturamos todos para que elencassem, juntas, em mesas-redondas, os pontos positivos e negativos do transporte. Com isso, chegamos a três prioridades: maior frequência, mais conforto e menor tarifa”, diz o secretário.

Conheça, a seguir, detalhes de algumas das iniciativas que a cidade tem implementado para oferecer melhor mobilidade à população.

Novo modelo de transporte público

Em junho, a prefeitura publicou quatro editais de concorrência para o novo formato de funcionamento, previsto para entrar em operação em 2022. “Ele é inovador porque separa operação, tecnologia e financeiro, com empresas especializadas em cada uma dessas áreas. Todo o processo tem sido muito desafiador, mas creditamos que irá elevar o nível de qualidade do serviço que prestamos”, explica Guimarães.

O edital de operação, por exemplo, traz características como o aumento de frota, quantidade de viagens e transporte sob demanda. “Hoje, temos 389 veículos convencionais e vamos passar, com esse novo modelo, para 557, distribuídos entre vans, micro-ônibus, ônibus Padron, superarticulados e veículos leves sobre pneus”, diz.

A quantidade de linhas aumentará das atuais 101 para 112, elevando também a oferta de viagens em 43%, das atuais 6.798 para 9.892. Outra novidade é o transporte sob demanda, com flexibilização parcial dos itinerários e das partidas solicitadas, em viagens com tarifa fixa integrada ou variável, solicitadas por aplicativo.

Linha Verde e VLP

linha verde em são josé dos campos
Fotos: Divulgação Prefeitura Municipal de São José dos Campos | PMSJC

O projeto Linha Verde foi lançado em junho e consiste na criação de um corredor sustentável para interligação das regiões sul e leste, as mais populosas da cidade, e a área central, com obras em parte do terreno que pertence à Companhia Paulista de Transmissão de Energia Elétrica. “Conseguimos negociar a desapropriação da área por cinco anos de IPTU grátis. As torres de energia também serão aterradas, o que vai eliminar a poluição visual e aproximar as regiões da cidade”, explica.

A primeira fase da obra – que ligará a região sul ao centro – já está em andamento, com vias exclusivas para VLPs 100% elétricos. Esses ônibus, cujo primeiro modelo foi apresentado pela prefeitura em março, são diferenciados: o formato da carroceria é dedicado a chassis articulados com propulsão 100% elétrica, com zero emissão de gases nocivos, mais econômicos e com custo de manutenção menor. Com 22 metros de comprimento e capacidade para 168 passageiros, além dos espaços para cadeirantes, o VLP possui baterias de fosfato ferro-lítio (LifePO4), com autonomia de até 250 quilômetros com uma carga completa de três horas.

Já na segunda etapa das obras da Linha Verde, que irá ligar o centro à região leste, a via será compartilhada com outros veículos. No total, o eixo sustentável terá 75 mil metros quadrados para circulação do transporte rápido de massa. A expectativa é que ele beneficie elevado número de estudantes, que frequentam diariamente as universidades instaladas ao longo do trajeto, além de aproximar o Parque Tecnológico da região central. “Também acreditamos que o corredor ajudará na criação de novas centralidades, o que estimula a economia, evita grandes deslocamentos e congestionamentos”, afirma Guimarães.

Novo modelo de Zona Azul

novo modelo de transporte público
Fotos: Adenir Britto | Divulgação Prefeitura Municipal de São José dos Campos PMSJC

A novidade foi implementada neste ano e permite que a população possa estacionar seus veículos próximos às principais áreas de comércio, serviços e regiões em que a procura por estacionamento é alta.

As vagas que estão disponíveis podem ser observadas em painéis fixos, instalados na região central da cidade, e o pagamento é feito via aplicativo ou mesmo pessoalmente. E o mais importante: a verba ajuda a financiar outros projetos de mobilidade.

“Negociamos com a empresa que opera o sistema que 38,5% do faturamento mensal é destinado ao Fundo Municipal de Transportes”, explica Guimarães. A fiscalização dessas vagas é feita por veículos com câmeras e sistema de leitura automático de placas.

Incentivo à eletromobilidade

carro elétrico compartilhado
Fotos: Lucas Cabral Divulgação Prefeitura Municipal de São José dos Campos PMSJC

São José dos Campos (SP) é a primeira cidade do Brasil a disponibilizar carros elétricos compartilhados nas vias públicas com sistema dockless, ou seja, sem estações de travamento.

Com ele, os usuários rodam pela cidade e devolvem os automóveis em qualquer local apropriado para estacionamento, dentro da área de cobertura indicada pela Beepbeep, empresa responsável pelo serviço.

A política de preços é por tempo de locação, e a prefeitura também inaugurou vagas exclusivas para carros elétricos para estimular a eletromobilidade.

São José dos Campos tem…

  • Cerca de 730 mil habitantes
  • Uma frota com 390 ônibus em circulação

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login