Voltar
Mobilidade para quê?

Scania lança o primeiro ônibus movido a gás do País

Modelo estreia na operação da Turis Silva, empresa responsável por fazer o transporte dos colaboradores da Gerdau

Andrea Ramos

23/02/2021 - 8 minutos, 2 segundos


ônibus movido à gás
Scania K 320 4x2 com carroceria Marcopolo da gama topo de linha G7 é pioneiro no Brasil no uso do combustível- Foto: Divulgação Scania

A Scania vendeu o primeiro ônibus movido a gás do País. O modelo foi entregue à Turis Silva, operadora de Porto Alegre, capital gaúcha, que vai transportar os colaboradores da Usina de Aços Gerdau.

Leia mais:
A inovação no ecossistema de mobilidade
Projetista cria moto Yamaha movida a água
Seguro pago conforme o uso chega ao Brasil

O ônibus a gás é uma continuidade da estratégia da Scania de oferecer um transporte mais limpo frente ao diesel. No ano passado, a marca introduziu essa mesma tecnologia nos caminhões. E, até o encerramento de 2020, havia vendido 70 veículos de carga para importantes operadores logísticos do País. Possivelmente, a Scania estenderá a tecnologia para ônibus urbanos, em breve. Mesmo porque o maior apelo do motor a gás é a redução de emissão de poluentes como o CO2, na ordem de 15%.

O ônibus eleito para receber a tecnologia é o rodoviário K 320 4x2. O chassi, com motor traseiro, tem propulsor que desenvolve 320 cv de potência. Seu motor é Ciclo Otto, ou seja, o mesmo conceito dos automóveis. Portanto, não é um propulsor convertido do diesel para o gás, sendo movido 100% a gás e biometano ou a mistura de ambos. 

Sobre o ônibus a gás

Os cilindros do gás são produzidos com o mesmo material utilizado nas ogivas de mísseis. Em caso de incêndio ou batida, o gás é liberado na atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão. Segundo a Scania, esse sistema é ainda mais na comparação ao veículo similar abastecido a diesel que é mais perigoso, pois o líquido fica no chão ou pode se espalhar ao longo da carroceria. O K 320 conta com três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um desses três quesitos.

O ônibus é equipado com carroceria Marcopolo Paradiso New G7 1050. Essa versão se destaca pela lista de equipamentos a bordo. Possui acesso à internet, TV digital, poltronas semileito, sistema de monitoramento por câmeras, tomadas USB individuais, sistema de ar-condicionado e monitores no salão de passageiros. 

O modelo ainda traz algumas das soluções da plataforma Marcopolo BioSafe. O sanitário e o sistema de ar-condicionado possuem lâmpadas UV-C para desinfecção dos ambientes. As cortinas são produzidas com material antimicrobiano. Há ainda dispenser de álcool em gel na entrada da escada de acesso. A carroceria tem capacidade para transportar 44 passageiros, mas, por causa do distanciamento social, o modelo vai operar com metade desse número.

Ônibus da Turismo é equipado com oito cilindros, o que lhe garante 300 km de autonomia. Foto: Divulgação Scania

Autonomia de 300 quilômetros

O trajeto feito na operação da Gerdau será de 190 quilômetros entre ida e volta. O veículo sairá de Porto Alegre, capital gaúcha, com destino à cidade de Charqueadas. Mas sua autonomia é de 300 quilômetros, graças aos oito cilindros de gás instalados na lateral dianteira do veículo. O início do trabalho do ônibus a gás deverá ocorrer até o final do primeiro trimestre, período em que deve ser concluído o processo de certificação e homologação para receber a autorização de rodagem.

Tecnologia limpa será usada para transporte de passageiros

A Turis Silva, operadora de transporte da região Sul do Brasil, vai estrear a operação do primeiro ônibus rodoviário movido a GNV para aplicações de fretamento no País. O veículo, que começa a operar até o final deste primeiro trimestre, começou a ser negociado há cerca de um ano. “Cresce a cada dia os pedidos de contratantes para termos alternativas ao diesel no transporte de funcionários. A Gerdau é uma delas. Nos procurou há dois anos para colocar na frota veículos mais limpos. Não dará mais para continuar tendo o diesel como matriz única”, diz Jaime Silva, fundador e proprietário da Turis Silva Transportes.

Por causa dessa demanda dos clientes por energias mais limpas no transporte, até novembro do ano passado o empresário avaliou a tecnologia elétrica. Ficou impressionado com as vantagens que o veículo, um modelo BYD, oferece, uma vez que é livre de poluentes. Porém, Silva acredita que, neste momento, é inviável que empresários de pequeno e médio portes adquiriram o veículo. “O ônibus elétrico custa cerca R$ 2 milhões. E ainda há os desafios de infraestrutura de recarga. Minha empresa está localizada em uma região cuja estrutura ainda é precária; precisaria renovar a rede de energia para montar essa infraestrutura. Além dos investimentos que eu teria de fazer, iria precisar da intervenção do Poder Público, o que seria inviável”, explica Silva.

Para Silva, a eletromobilidade fará parte da realidade do transporte em breve, mas ainda precisa se tornar viável. “É questão de tempo, e, havendo demanda, os valores baixam. Dessa forma, será possível investir na infraestrutura”, diz.

Vantagens

Já com relação ao gás, além de o custo de aquisição ser menor – o empresário não quis relevar o preço –, a Turis Silva fez um convênio com o posto de combustível próximo de sua empresa. “Nós também vamos abastecer na própria Gerdau, que tem infraestrutura de gás na empresa. Aliás, eu diria que 90% do abastecimento desse ônibus ocorrerá na empresa, e já estamos acertando os valores”, diz.

Para Silva, a menor complexidade do veículo a gás é o que tornará possível expandir a tecnologia na operação de ônibus. O empresário, que também é presidente da Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento (Anttur), acredita que a solução irá se expandir, primeiro, pelo segmento de fretamento.

“Tenho muitos clientes que me pedem solução. Comecei pela Gerdau e é questão de tempo a gente levar a frota para atender outras clientes. Há operadores de fretamento nos demandando um ônibus a gás para o transporte de fretamento. E acho que colegas de outras empresas também devem receber esse pedido. 

A Turis Silva Transportes é uma empresa com 31 anos de mercado. Com sede em Porto Alegre, presta serviços de fretamento contínuo e eventual. Possui 250 ônibus, com idade média de 4,5 anos. Entre os clientes da Turis Silva estão Ambev, Brasken, Thyssenkrupp Elevadores, empresas que têm compromissos ambientais. Sobre o preço do ônibus, a Scania revela que a versão a gás custa entre 25% e 30% mais em relação ao modelo movido a diesel.

Viação Catarinense lança viagens de ônibus sem parada

A Viação Catarinense lançou o serviço Vai Direto, com viagens de ônibus sem parada na região Sul do Brasil. Assim, a nova opção de mobilidade começa a operar no trecho entre as cidades de Curitiba e Florianópolis.

O novo serviço da Viação Catarinense opera viagens diretas de uma cidade a outra. Desse modo, tem, como principal vantagem, a redução de até 1h30 no tempo da viagem, com o trajeto sendo feito em cerca de quatro horas.

Dessa forma, as partidas serão diárias, com saídas às 8h30 e às 18h25, de ambos os destinos, nos respectivos terminais rodoviários. Os valores das passagens do serviço Vai Direto custam entre R$ 40 a R$ 70 no trecho entre Curitiba e Florianópolis. E R$ 49,90 no trajeto entre São Paulo e Rio de Janeiro.

De acordo com a Viação Catarinense, não há variação de preços entre a modalidade comum e a direta. Os valores mudam de acordo com a classe do assento e a data da compra. Ou seja, se o cliente escolher viajar com paradas, dependendo da poltrona, pagará o mesmo valor de um bilhete de viagem direta.

Conforto nas viagens sem parada

A Viação Catarinense utiliza, também, ônibus de dois andares nas operações Vai Direto. São os chamados double deck, que oferecem maior nível de conforto aos passageiros. Assim, contam com assentos das categorias semileito e cama, com poltronas mais largas, com até 180ºde inclinação e apoio para pernas e pés. “Lançamos essa operação de forma inédita no segmento no trecho São Paulo e Rio, no fim de 2020. A resposta dos clientes tem sido positiva. Por isso, chegamos ao Sul e já estudamos lançar novas rotas em breve”, diz Leandro Zulião, diretor comercial do Grupo JCA.

Segundo ele, se o cliente optar por viajar à noite, poderá dormir tranquilamente até o destino, uma vez que não há interrupções. O veículo oferece, também, internet grátis a bordo e carregadores para dispositivos móveis – em todos os assentos, há entradas USB. Também é possível ajustar o ar-condicionado ao gosto do freguês, com saídas de ar individuais, que permitem escolher a opção mais agradável.

Viagens em tempos de pandemia

Para garantir que os passageiros viagem com mais segurança, a empresa adotou uma série de protocolos, como a desinfecção total dos veículos, antes de cada viagem, com vaporização interna. Para isso, são usados produtos contra vírus e bactérias. Há ainda dispositivos de álcool em gel para uso no embarque, bem como a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção por motoristas e passageiros, durante todo o percurso.

É recomendada a utilização do bilhete de passagem eletrônico (BPE) sempre que possível. Dessa forma, o processo de embarque é facilitado, sem que haja necessidade de manuseio do bilhete físico.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login