Bateria de nióbio vai mudar o futuro dos ônibus elétricos? | Mobilidade Estadão |

Buscando sugestões para:


Publicidade

Bateria de nióbio vai mudar o futuro dos ônibus elétricos?

Por: Fellipe Gualberto, especial para o Mobilidade . 25/06/2024
Inovação

Bateria de nióbio vai mudar o futuro dos ônibus elétricos?

Saiba mais sobre os testes do veículo e descubra qual é o potencial da tecnologia

2 minutos, 31 segundos de leitura

25/06/2024

Por: Fellipe Gualberto, especial para o Mobilidade

ônibus com bateria de nióbio carrega
A bateria de lítio com nióbio presente nos ônibus deve carregar em apenas 10 minutos com o auxílio de um carregador ultrarrápido. Foto: Divulgação/ABB

O primeiro ônibus elétrico com bateria de lítio com nióbio começou seus testes em 19 de junho. Essa tecnologia deve permitir a recarga do veículo em apenas 10 minutos, com mais segurança e com vida útil três vezes maior do que as baterias atuais. A expectativa é que essa nova bateria esteja disponível no mercado em 2025.

O ônibus com bateria de nióbio e lítio foi desenvolvido em parceria pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), Toshiba e Volkswagen Caminhões e Ônibus. Os teses do automóvel não têm data para acabar e devem evoluir de acordo com o avanço da tecnologia. Durante o período de avaliação, o veículo irá rodar em uma rota fixa e ter monitoramento em tempo real.

Leia também: Governo anuncia R$ 10,5 bi para compra de 2 mil ônibus elétricos e renovação da frota nacional

Carregamento ultrarrápido

O abastecimento da bateria de lítio com nióbio deve ocorrer no início ou fim do trajeto de testes e usar um carregador pantográfico de recarga ultrarrápida criado pela ABB. O modelo tem um mecanismo retrátil que sobe e desce do teto em um ponto de parada.

O carregador é o primeiro do tipo no Brasil e na América Latina. O equipamento permite às novas baterias de nióbio saltarem de 20% para 100% da carga em apenas 10 minutos de conexão.

A ABB forneceu dois carregadores pantográficos para os testes do ônibus elétrico. O primeiro está localizado na planta da CBMM, em Araxá (MG). Por sua vez, o segundo se encontra na instalação da Volkswagen Caminhões e Ônibus, em Resende (RJ).

Os carregadores podem fornecer de 150kW a 600kW de potência, sendo que o modelo usado nos testes brasileiros possui potencia de 300kW.

Anteriormente, os carregadores pantográficos já foram usados em outras localidades. Por exemplo, no Qatar durante a Copa do Mundo de 2022. Durante o evento 89 carregadores pantográficos funcionaram para alimentar a frota de ônibus do país.

Aposta na bateria de nióbio

O nióbio é um mineral encontrado em abundância em Goiás e Minas Gerais. Na realidade, o Brasil contém cerca de 95% das reservas de nióbio de todo o mundo.

A Volkswagen Caminhões e Ônibus e a CBMM resolveram apostar nesse elemento químico para a produzir baterias que carreguem de forma muito mais rápida do que as atuais. Por mais que a bateria de nióbio ainda exija elementos como o lítio, a presença do mineral deve reduzir o tempo de recarga em 80%.

Saiba mais: Nióbio reduz tempo de recarga de futuras baterias

Ao mesmo tempo, uma bateria de nióbio também teria outras vantagens. Por exemplo: ser menor, mais leve e mais segura do que as baterias tradicionais. É possível que no futuro essas baterias estejam presentes não apenas em veículos pesados, mas também em carros menores.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

Quer uma navegação personalizada?

Cadastre-se aqui

0 Comentários


Faça o login