Buscando sugestões para:


Inovação

Os caminhos para a mobilidade elétrica no Brasil

Empresas, organizações e academia se unem para traçar uma rota para a eletrificação da mobilidade

2 minutos, 46 segundos de leitura

22/04/2022

Por: Ju Cabrini

carro elétrico sendo abastecido
Estrutura de recarga é um dos pontos críticos para a eletromobilidade. Foto: Getty Images

Quais são os caminhos para a mobilidade elétrica eficiente? Como conseguir resultados positivos em um mercado com grande potencial, mas ainda incipiente? Como identificar parceiros e concorrentes? Para responder essas e outras perguntas bem mais complexas, a AES Brasil, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME) e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) se uniram em um projeto que deu origem ao Roadmap Nacional para Infraestrutura da Mobilidade Elétrica no Brasil, lançado na última quarta-feira, 20. 

Fruto da celebrada Chamada nº 22 da Aneel, uma iniciativa da agência reguladora, lançada em 2018, para incentivar projetos de pesquisa e desenvolvimento na área de energia, o Roadmap conectou geradoras e distribuidoras de energia, acadêmicos, montadoras de veículos, líderes de startups, associações, em um total de 70 participantes para identificar problemas e buscar soluções para a implantação perene da mobilidade elétrica no País.

“Vários projetos estão sendo realizados, muito estudo, mas, de forma individual, desorganizada de grupo”, conta Edgar Barassa, da consultoria Barassa & Cruz Consulting. “Ao iniciarmos o trabalho, há cerca de dois anos e meio, percebemos que as dores eram sistêmicas, ou seja, comum a todos. É um tipo de projeto muito maior que as empresas e que exige esforços conjuntos.”

Julia da Rosa Howat Rodrigues, gerente de P&D e Inovação da AES Brasil, concorda e complementa informando que o grande diferencial do Roadmap é ir além da identificação de problemas. “Existem documentos muito importantes que identificam os problemas, mas como ir além? Como unir esforços? É isso que nos propusemos a fazer. Além de problemas, trazemos planos de ação e identificamos os atores responsáveis, ou mais indicados, para atacar cada um deles”, comemora.

Percalços e caminhos

Com uma visão de futuro de dez anos, o Roadmap identificou quatro pilares essenciais, ou componentes estruturantes, para a implantação bem-sucedida da mobilidade elétrica no Brasil: Métodos de Monetização e Receita; Produtos e Serviços; Tecnologias e Regulação e Normas. Ao todo, foram identificadas 99 condições impeditivas para o alcance da visão de futuro. Ao mesmo tempo, o documento traz 115 ações direcionadas a soluções, sendo 42 no âmbito regulatório e normativo, 22 relacionadas a produtos e serviços, 22 de ordem tecnológica, 20 ações na linha dos métodos de monetização e, por fim, 9 ações estruturantes em relação ao ecossistema da mobilidade elétrica.

“Mais que um roteiro detalhando e abrangente para a implementação de uma sólida infraestrutura de recarga para a mobilidade elétrica no Brasil, este roadmap prevê mecanismos de constante atualização e interface com ações da PNME com o objetivo de propor políticas públicas que possibilitem uma mobilidade elétrica alinhada com as necessidades do Brasil e com nossas contribuições para o combate ao desastre climático”, conclui Marcus Regis, coordenador da PNME.

Título: Roadmap Nacional para Infraestrutura da Mobilidade Elétrica no Brasil

Organizadores: Edgar Barassa, Robson Ferreira da Cruz e Henrique Botin

Páginas: 77

Link para baixar: https://www.pnme.org.br/biblioteca/roadmap-nacional-para-infraestrutura-da-mobilidade-eletrica-no-brasil/  

Para saber mais sobre eletrificação, acesse outros conteúdos no canal Planeta Elétrico.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login