Inovação

São Paulo sedia encontro para refletir sobre eletromobilidade

Nos quatro dias do VE Latino-Ameriano, cerca de 4.300 pessoas acompanharam os debates e as experiências que ocorreram e no auditório do estádio e na Praça Charles Miller

4 minutos, 22 segundos de leitura

29/09/2021

Na praça, foram criadas pistas, onde os interessados puderam experimentar bikes, patinetes, motos e carros elétricos. Fotos: Divulgação VE Latino-Americano

Entre os dias 22 e 26 de setembro, discussões e debates sobre eletromobilidade tiveram como ponto de referência o Estádio do Pacaembu, em São Paulo, onde foi realizadoo evento VE Open. Fizeram parte dele a exposição Veículo Elétrico Latino-Americano, o Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE) e o passeio Dia da Mobilidade Elétrica, cujos veículos participantes chegaram à praça depois de passar pela Avenida Paulista. No total, cerca de 4.300 participaram das atividades ali realizadas.

O Estadão também esteve presente com um estande, em que foi distribuído um folder apresentando aos interessados o Guia do Primeiro Carro Elétrico ou Híbrido.

“Apesar de todas as dificuldades que vivemos nos últimos meses e das limitações impostas pela pandemia, conseguimos realizar um evento seguro e, mais uma vez, bastante relevante para o mercado brasileiro da eletromobilidade. Estiveram reunidos fabricantes, importadores, fornecedores do setor, membros do governo e da academia, diversas entidades do segmento e, também, consumidores finais, que estão cada vez mais interessados em conhecer os benefícios dos veículos elétricos”, afirma Ricardo Guggisberg, fundador do Veículo Elétrico Latino-Americano.

Porsche e Tesla

A feira Veículo Elétrico Latino-Americano, em sua 16ª edição, reuniu cerca de 40 empresas (incluindo grandes montadoras de automóveis e empreendedores que operam dentro da eletromobilidade no País), incluindo os mais diferentes, curiosos e divertidos veículos, como carros, motos, patinetes, bikes, triciclos, carro-forte, ônibus, caminhão e vários veículos comerciais – todos eletrificados.

“Hoje, sou um visitante entusiasta. Achei o evento bem bacana porque tem desde a micromobilidade, com patinetes, entre outros pequenos veículos elétricos, até carros caríssimos, como o Porsche e o modelo da Tesla, que eu sempre quis ver de perto. Aliás, esse foi um dos motivos pelos quais resolvi visitar a feira. Achei o Porsche fantástico, mas também encontrei várias bikes elétricas interessantes. Gostei muito do que vi”, diz Bruno Modesto, um dos visitantes.

Negócios e especialistas

O Estadão também esteve presente com um estande, onde foi distribuído, entre outras atividades, um folder sobre o Guia do Primeiro Carro Elétrico

Para as empresas, o Veículo Elétrico Latino-Americano também gerou contatos e até negócios, como foi o caso da Electric Mobility Brasil. “Tivemos a visita de quase mil pessoas, nos três dias de feira. Um público qualificado e interessado nos nossos produtos, incluindo concessionárias de marcas como Nissan e GM. Também tivemos, pelo menos, duas novas vendas, que devem ser fechadas em breve, além de muitos contatos importantes, que podem gerar novos negócios ainda neste ano”, revela Jo Achim Liebert, gerente-geral da Electric Mobility Brasil, uma das empresas pioneiras na recarga de veículos, no Brasil.

Outra demonstração de como o público brasileiro está interessado em conhecer melhor essa tecnologia foi a quantidade de testes realizados. Foram cerca de 1.300 experimentações dos visitantes, que tiverem a oportunidade de conduzir os mais diferentes carros elétricos, como os modelos Nissan Leaf, Renault Zoe e um Mercedes-Benz. “O Veículo Elétrico Latino-Americano consegue envolver todo o mercado de eletrificação. É o evento mais importante da América Latina nessa área”, afirma Iêda Maria Alves de Oliveira, diretora da Eletra, referência em transporte público sustentável.

Cerca de 130 profissionais ou estudiosos da eletromobilidade, incluindo especialistas internacionais, participaram do Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE). Foram quase 30 apresentações abordando a questão sob os mais diferentes pontos de vista.

Caravana elétrica na Paulista

No sábado dia 25, cerca de 250 veículos, como caminhões, ônibus, carros, motos, bicicletas e monociclos, participaram da quinta edição do Dia da Mobilidade Elétrica. O Estadão também esteve presente no evento com um estande (embaixo), onde foi distribuído, entre outras atividades, um folder sobre o Guia do Primeiro Carro Elétrico ou Híbrido.

Carros, motocicletas, caminhões, ônibus, bicicletas, monociclos, patinetes e triciclos, todos eletrificados, participaram, no dia 25, sábado, da quinta edição do Dia da Mobilidade Elétrica, cruzando a Avenida Paulista. O passeio bateu recorde de público e de veículos. Foram mais de 350 pessoas, entusiastas da mobilidade elétrica, e cerca de 250 veículos. A caravana foi liderada por três carros-madrinha expostos na feira: o primeiro carro-forte elétrico do mundo, um Nissan Leaf e um veículo de serviço da Enel X.
“A adesão do consumidor ao Dia da Mobilidade Elétrica, neste ano, foi expressiva. Definitivamente, a eletromobilidade vive um momento importante no Brasil e no mundo”, afirma Ricardo Guggisberg.

“O Dia da Mobilidade Elétrica reuniu uma galera animada e unida, todos em prol do desenvolvimento do nosso setor”, disse Márcio Canzian, CEO da Eletricz, referência em monociclos elétricos, micromodais que também tiveram grande participação no passeio. Agora, todo mundo que curte e acompanha o assunto já está à espera da definição da data do evento em 2022.

No auditório do Pacaembu, o Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE) reuniu cerca de 130 profissionais ou estudiosos do tema.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login