Meios de transporte

Carros híbridos desvalorizam menos? Veja a comparação de preços

Levantamento exclusivo da KBB para o Jornal do Carro compara variação de preços dos híbridos em 12 meses; Toyota Prius é o menos desvalorizado

2 minutos, 49 segundos de leitura

04/09/2021

Por: Vagner Aquino

Logo "hybrid" utilizado pela Toyota em seus modelos híbridos. Crédito: Toyota/Divulgação

Muito se fala sobre a eletrificação dos carros. E, por falta de infraestrutura, o Brasil ainda caminha a passos lentos no segmento de veículos elétricos. Afinal, a dependência de postos de recarga ainda é algo que incomoda o consumidor daqui. Entretanto, os modelos híbridos (que combinam motores a combustão e elétrico) vêm conquistando cada vez mais o brasileiro. Mas, como será a desvalorização desses dos carros?

Para entender essa variação de preços, o Jornal do Carro pediu à Kelley Blue Book (KBB) um levantamento exclusivo que compara os valores de modelos híbridos e seus respectivos rivais a combustão, a fim de revelar quem perde mais e menos valor com o tempo. A pesquisa levou em conta um período de 12 meses – entre junho de 2020 e junho de 2021.

O foco, nesse sentido, se traduz pelo preço do modelo 0-km em relação ao preço de revendedor, aquele praticado pelos lojistas. A diferença do cálculo, portanto, é a variação.

De acordo com a KBB, ainda não há estimativas para as versões híbridas dos Toyota Corolla e Corolla Cross. A base da empresa ainda não consolidou os dados de mercado para determinar o comportamento destes dois modelos. Por isso, o mesmo vale para a linha Volvo, que eletrificou 100% da gama recentemente.

híbridos
Rafael Arbex/Estadão

Os carros

O levantamento apontou que, entre os híbridos, o Toyota Prius foi o que menos desvalorizou. E mais: o modelo – que revolucionou a indústria automobilística como o primeiro carro híbrido produzido em série no mundo – valorizou 8,3% entre junho de 2020 e junho de 2021. Ou seja, em valores, o japonês (que acaba de sair de linha no Brasil) foi de R$ 165 mil (0-km, em junho de 2020) para R$ 178.685, com um ano de uso.

Na outra ponta, a KBB mostra que o Ford Fusion Hybrid é o híbrido mais desvalorizado da lista. Inclusive, sofreu maior depreciação que concorrentes a combustão (veja abaixo). A queda de valor foi de -24,8% no período. Dessa forma, caiu de R$ 182.990 para R$ 137.712. E não dá nem para culpar o encerramento de produção da marca no Brasil, pois o fato aconteceu no começo deste ano – e o sedã já vinha depreciando.

híbridos
Ford/Divulgação

SUVs

Voltando à Toyota, o RAV4 Hybrid também acabou subindo de preço entre 2019 e 2020. No período, foi de R$ 225.747 para R$ 226.067. Assim, registrou alta de 1,6% no período. No entanto, seu concorrente Honda CR-V, com motor a combustão, foi ainda mais valorizado: 3,8%. De acordo com os números, passou de R$ 194.900 para R$ 202.325.

Por falar em valorização, proprietários do Toyota Camry (3.5 V6) são os mais satisfeitos na hora da revenda. O sedã é o mais valorizado da lista, com 12,9% de upgrade. De R$ 276.990 para R$ 312.730. Na sequência, aparece o VW Tiguan Allspace (R$ 155.656 para R$ 175.942,00), com 12,8% de alta. Confira abaixo a lista completa dos modelos com seus respectivos ano/modelopreço 0-km e de revenda. E, por fim, a variação.

Híbridos

  • Toyota Prius 2020 (+8,29%)
    R$ 165.000 (0-km)
    R$ 178.685 (usado)
  • ToyotaRAV4 Hybrid 2020 (+1,57%)
    R$ 225.747 (0-km)
    R$ 226.067 (usado)
  • Ford Fusion Hybrid 2019 (-24,75%)
    R$ 182.990 (0-km)
    R$ 137.712 (usado)

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login