Voltar
Inovação

Monociclo, hoverboard e patinete: conheça as formas mais inovadoras de se deslocar pela cidade

Nos últimos anos surgiram soluções que podem ajudar a facilitar o deslocamento diário, já que a grande concentração de pessoas em determinadas horas do dia causa caos nas metrópoles

Cristiane Marsola

24/11/2019 - 2 minutos, 48 segundos


Pés sobre um monociclo elétrico
O monociclo do presente é elétrico, moderno e prático. Fotos: iStock

O monociclo elétrico, o patinete elétrico e o hoverboard, também chamado de skate elétrico, têm ganhado espaço entre os meios de transporte. Saiba mais sobre cada um deles.

Leia mais:
Startups de patinetes buscam equilíbrio financeiro em 2020
Prefeitura de São Paulo quer proibir patinetes em calçadas
Usuários de patinetes pedem mais bom senso e menos regulamentação

Monociclo elétrico

Esqueça a imagem de um urso ou um palhaço pedalando em um picadeiro tentando desengonçadamente se equilibrar sobre uma única roda. O monociclo do presente é elétrico, moderno e prático. A principal vantagem desse modal é a facilidade para combiná-lo com outros tipos de transporte, já que ele é leve e pequeno, permitindo ser levado facilmente no metrô ou no ônibus depois de ser usado para percorrer parte do trajeto. 

Os preços variam de R$ 2 mil a R$ 14 mil, de acordo com o modelo do monociclo. Quem preferir alugar, encontra planos a partir de R$ 50 por dia. Os mais simples têm menor autonomia (andam até 15 km com uma carga da bateria) e velocidade (alcançam cerca de 20 km/h). 

Aprender a se equilibrar sobre a uma roda do monociclo elétrico pode ser um pouco desafiador no início, mas quem adere ao meio de transporte garante que com poucas horas de treino é possível dominar completamente o aparelho e andar como se fosse uma bicicleta. Em São Paulo, a loja Eletricz oferece treinamento para quem quer aprender com segurança.

Patinete elétrico

Com a opção de aluguel barato e fácil pelos aplicativos, os patinetes elétricos ganharam as ruas da capital paulista. Uma das vantagens desse modal é que, com essa grande oferta pelas ruas dos centros empresariais da cidade, não é preciso fazer o investimento inicial da compra, que começa a partir de R$ 900, para usá-lo e testar se servirá às suas necessidades de deslocamento. 

Alguns modelos podem chegar a ter 45 km de autonomia, o que é uma vantagem frente aos outros modais. A velocidade a que chegam os patinetes elétricos varia bastante de acordo com o modelo, mas, segundo a regulamentação da Prefeitura de São Paulo, os pilotos não devem ultrapassar os 20 km/h com esses veículos. 

Para dar um pouco mais de segurança, a prefeitura também restringiu ao máximo de 15 km/h a velocidade nas 10 primeiras viagens do usuário dos app de compartilhamento de patinetes.

Hoverboard

Um pouco mais espaçoso e leve que o monociclo, o skate elétrico ou hoverboard é outra opção para complementar a viagem, permitindo que trechos curtos sejam feitos de forma mais rápida e menos cansativa que a tradicional caminhada. 

O hoverboard é uma prancha com duas rodas paralelas, que obedece os comandos dados a partir da inclinação do corpo. O design moderno o faz parecer com o skate voador do filme “De Volta para o Futuro 2”, que em 1989 levou os espectadores a terem uma visão de como seria a realidade em 2015. 

Um conjunto de sensores do skate ajuda a impedir que o piloto caia do veículo. Os modelos mais simples atingem a velocidade de cerca de 10 km/h, têm autonomia de até 20 km e custam cerca de R$ 600. Na hora de comprar um hoverboard, um dos cuidados a ser tomado é verificar a procedência da bateria. No mundo todo foram registrados casos em que o aparelho pegou fogo ao ser conectado à tomada para o carregamento.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login