Voltar

Embaixadores

Paulo Miguel Junior

Presidente do Conselho Nacional da ABLA (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis).

Meios de transporte

Por que vale a pena ter um carro por assinatura?

Com um valor fixo mensal, o cliente tem à disposição um carro novo, pelo qual irá pagar apenas a mensalidade

09/06/2021 - 2 minutos, 29 segundos


Com um valor fixo mensal, o cliente tem à disposição um carro novo, pelo qual irá pagar apenas a mensalidade. Foto: Getty Images

Cresce no mercado a procura por serviços de assinatura mensal de automóveis. Assim como assinar serviços de streaming para assistir a filmes e séries, também é possível ter a assinatura de um carro. Não é um fenômeno novo, mas certamente o momento atual de pandemia acelerou essa demanda. Muitos encontraram nessa opção facilidades imediatas e outros benefícios que boa parte dos consumidores não conhecia.

Leia mais:
Tudo caminhava muito bem. Até que veio a pandemia
Dirija um carro zero, sem precisar comprá-lo

Por consumidor aqui entendemos milhões de pessoas. Para alugar um veículo, é necessário apenas ter carteira de habilitação e cartão de crédito. No modelo de assinatura, em que contratos mais longos podem ser firmados entre usuário e locadora, esse potencial é ainda maior, dadas as facilidades de pagamento que podem ser enfeixadas num pacote preparado pela prestadora do serviço de locação para esse relacionamento de longo prazo com o cliente.

Com um valor fixo mensal, o cliente tem à disposição um carro novo, pelo qual irá pagar apenas a mensalidade, sem se preocupar com os custos de revisão, manutenção, seguros, tributos e taxas referentes ao veículo – do IPVA ao Imposto de Renda. A oferta é muito diversificada. Podem ser alugados desde modelos mais básicos, os chamados veículos de entrada, até os mais equipados e luxuosos. 

Valor de uso 

Adquirir um carro é sempre uma tarefa que demanda tempo, pesquisa, dedicação, acompanhamento de preços e condições de financiamento. Trocar o seminovo por um modelo 0-km então é sinônimo de esforço redobrado – e eventual prejuízo. Na grande maioria das vezes, o motorista vai arcar com uma depreciação significativa. 

O serviço por assinatura é uma alternativa que traz muito mais comodidade e rompe com esse padrão exaustivo e deficitário. Paga-se pelo uso, e não pela posse. E ter um ativo como um automóvel na garagem, hoje, demanda cada vez mais custos.

Inclusive, para diminuir os custos mensais e ter um caixa extra, muita gente vendeu o veículo próprio, optando por assinatura de contrato de aluguel. Outra ‘descoberta’ recorrente é compreender que, com a assinatura, o dinheiro a ser despendido em uma compra ou troca de automóvel pode ser destinado a um investimento, sem que se abdique do conforto e da mobilidade de contar com um veículo em excelentes condições de uso.

O brasileiro começou a colocar a conta da manutenção do veículo próprio e verificou que, muitas vezes, não compensa arcar com essas despesas. Principalmente agora que o serviço de assinatura começa a se consolidar e a oferecer cada vez mais opções aos motoristas.

Por fim, contratos de assinatura podem ter duração de 12 a 48 meses, e podem ser renovados periodicamente, o que representa uma oportunidade para trocar de veículo, dentro da mesma categoria ou acima, optando por um novo modelo e sentindo o gostinho de rodar com cheirinho de carro novo.

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login