Voltar

Embaixadores

Fernando Ângelo

CEO da Sity Inc. e empreendedor com mais de dez anos de experiência nas áreas de logística e tecnologia

Meios de transporte

Qual o preço da nossa comodidade e segurança?

Mudanças simples no comportamento podem nos ajudar a cumprir a famosa lista de presentes para o fim de ano e, ao mesmo tempo, nos manter seguros

22/12/2020 - 2 minutos, 57 segundos


Comodidade e segurança
Foto: Getty Images

O ano de 2020 trouxe inúmeros desafios para o nosso convívio em sociedade. Adaptamos a nossa rotina para que ela se encaixasse no novo normal: sair de casa apenas para afazeres realmente imprescindíveis. Quem pôde ficar em casa se resguardou nesse momento incerto e quem não conseguiu precisou adaptar sua rotina às normas exigidas. Segurança com saúde se tornou a prioridade número 1 para sair de casa. 

Leia mais:
Pesquisa aponta que 30% de donos de carro abririam mão do veículo por outros meios de transportes
Aplicativos mapeiam violência nas ruas de cidades brasileiras
Homens jovens se arriscam mais no trânsito

Segundo a pesquisa ‘Viver em São Paulo: Mobilidade Urbana’, realizada pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope Inteligência, muitos paulistanos optaram por começar a usar menos o carro para atividades corriqueiras: 13% afirmam usar todos os dias, 15% quase todos os dias, 37% de vez em quando, 22% raramente e 13% afirmam não utilizar carro para se locomover. Números abaixo dos registrados no ano passado. 

Evitar contágios

As análises da pesquisa revelam ainda que muitos usuários que fazem uso do transporte público não estão optando por esse meio de locomoção no momento, porque acreditam que por uma problemática de ventilação o contágio do novo coronavírus se eleva. Para 36% dos usuários dos coletivos em São Paulo, a ventilação precisa melhorar, 33% acham que as dificuldades estão nas condições físicas do transporte coletivo e 29% veem um problema na higienização constante dos ônibus, trens e metrôs para evitar o aumento do contágio.

Esses são pontos importantes que devem ser levados em consideração durante as festas de fim de ano que se aproximam. Haverá uma intensificação na movimentação das pessoas nas ruas, tanto para as compras de Natal quanto para as confraternizações de empresas e amigos, que são muito populares nessa época. É importante que o cidadão tenha em mente que precisa estar protegido enquanto promove a proteção para os outros.

Conscientização 

Nossa nova rotina precisa ser mais rigorosa com as medidas de proteção individual, como o uso de máscara e o distanciamento social. Por isso, é importante investir naquilo que é seguro para você e para quem convive junto contigo. Se precisar sair de casa nesse momento, seja consciente sobre a maneira como você se comporta e interage com os demais. A flexibilização em algumas cidades e capitais permite que os brasileiros voltem a frequentar centros de compras, lojas de rua, bares e restaurantes em horários previamente estabelecidos.

Além das medidas de segurança individuais que já citamos, evite ir a esses lugares em horários de pico, procure lojas perto de casa para comprar de produtores locais e busque por espaços abertos e que não tenham aglomerações. Mudanças simples no comportamento podem nos ajudar a cumprir a famosa lista de presentes para o fim de ano e, ao mesmo tempo, nos manter seguros e evitar a contaminação de quem amamos durante esse período tão festivo.

Também não custa reforçar a mensagem: se possível, procure alternativas no transporte. Com a categoria do Sity X, o usuário pode, por exemplo, fazer corridas de até 10 quilômetros pelo preço fixo de R$ 6. Portanto, se dividir a corrida com mais uma pessoa que mora com você, o preço acaba saindo mais barato que o transporte público e ainda conta com a segurança de carros higienizados e preço justo, tanto para você quanto para o motorista a serviço da sua comodidade.

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login