Buscando sugestões para:


Meios de transporte

Venda de implementos para caminhão cresce com ajuda da construção civil

Carrocerias utilizadas por empreiteiras registraram altas entre 15,8% e 36,9%, no primeiro bimestre

3 minutos, 20 segundos de leitura

17/03/2022

Por: Mario Curcio

Empreendimentos imobiliários e as obras de infraestrutura puxaram as entregas de carrocerias. Crédito: Stock

A venda de implementos para caminhão montados sobre chassi registrou alta de 12,4%, no primeiro bimestre, e esse movimento foi puxado por carrocerias utilizadas na construção civil. Os modelos basculantes somaram 1.200 unidades, indicando alta de 36,9% sobre iguais meses de 2021. E as carrocerias para carga seca (como tijolos, sacos de cimento e vergalhões) totalizaram 2.500, com acréscimo de 15,8% no período, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir).

As indústrias do setor comemoram o movimento de alta. “A procura também ocorre por betoneiras, pranchas do tipo carrega-tudo e tanques”, afirma Alcides Braga, presidente da fábrica de implementos Truckvan.

Silvio Campos, diretor comercial da Librelato, nota uma mudança nos produtos consumidos. “Há dois anos, as vendas de carrocerias abertas eram mais dirigidas ao transporte de grãos, mas, nesse período, aumentou o volume de entregas para o transporte de vergalhões e insumos para a construção civil.”

De acordo com os fabricantes de implementos, tanto os empreendimentos imobiliários como as obras de infraestrutura puxaram as entregas de carrocerias. “Notamos uma retomada da construção civil a partir do fim de 2020”, diz o diretor comercial da Librelato.

Lançamentos na capital paulista somaram 81 mil unidades

Dados do Sindicato das Empresas de Compra, Venda e Administração de Imóveis (Secovi) confirmam essa percepção. Os lançamentos de imóveis na capital paulista somaram 81 mil unidades, entre fevereiro de 2021 e janeiro de 2022, registrando assim um crescimento de mais de 30% sobre os 12 meses anteriores (de fevereiro de 2020 a janeiro de 2021).

No caso das obras de infraestrutura, a procura de implementos fabricados pela Librelato foi motivada pela pavimentação de estradas. Segundo a empresa, os compradores desses equipamentos são grandes transportadoras que prestam serviços para as empreiteiras.

“Também há vendas pontuais a clientes especializados no transporte de areia, pedra britada e minério”, garante o executivo da Librelato. Para Alcides Braga, da Truckvan, os compradores desses implementos são as empreiteiras e todos os fornecedores de insumos para construção. “Percebemos uma intensificação nessas vendas, a partir do segundo semestre do ano passado”, ressalta Braga.

Apesar dos reflexos do conflito entre Rússia e Ucrânia, os fabricantes de carrocerias acreditam em bons resultados até o fim de 2022: “Estive em uma recente feira do setor agrícola, e percebi um ânimo muito grande entre os expositores; por isso, confio bastante neste ano”, afirma Campos, da Librelato.

Para Braga, da Truckvan, a expectativa ainda é de crescimento neste ano, “mas de forma moderada, pois a base de comparação é muito forte, já que, no ano passado, crescemos mais de 80%”. Ele não acredita que o conflito na Ucrânia terá efeito significativo no mercado de implementos.

Bons resultados já em 2021

Em 2021, as vendas totais de implementos rodoviários somaram 162.700 unidades e anotaram alta de 33,5% sobre 2020. As carrocerias para carga seca montadas sobre chassi somaram 17.700, com acréscimo de 35,5% sobre o volume total licenciado no ano anterior. As carrocerias basculantes tiveram alta ainda maior, 42,3%, com 7.600 unidades.

Outro tipo de equipamento para construção civil que se destacou em 2021 foram as betoneiras, que alcançaram, no ano, o maior crescimento (85%) entre as carrocerias montadas sobre chassi, com 1.600 unidades. Neste primeiro bimestre, foram entregues 180 betoneiras, quase uma repetição dos primeiros dois meses do ano passado.

Montadoras estão atentas ao segmento

Caminhões para construção civil e mineradoras quase sempre enfrentam condições extremas de utilização. Para atender a esse tipo de demanda, as montadoras instaladas no Brasil vêm criando produtos específicos. No primeiro bimestre, a Mercedes-Benz lançou o modelo Arocs 8×4. Ele recebe motor de 510 cavalos, tem peso bruto total (PBT) de 58 toneladas e capacidade para receber carrocerias basculantes de até 24 metros cúbicos.

No fim do ano passado, a Volkswagen apresentou o Constellation 41.460, com tração 8×4. O modelo tem PBT de 41 toneladas, a maior capacidade de carga entre os caminhões da marca com chassi rígido. Seu motor produz 460 cavalos.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login