Voltar
Mobilidade para quê?

Celular aumenta risco de acidentes no metrô

Campanha da ViaQuatro e da ViaMobilidade orienta para uso seguro nas estações

Media Lab Estadão

12/02/2020 - 2 minutos, 34 segundos


mulher digira no celular na escada rolante
Escadas rolantes exigem cuidado redobrado. Foto: Diego Padgurschi

“Caminhar e digitar ou olhar o celular ao mesmo tempo são coisas que não combinam. Fique atento e evite acidentes.” Essa mensagem está sendo disseminada por cartazes, avisos sonoros e vídeos nas linhas 4 e 5 do sistema metroviário de São Paulo – administradas, respectivamente, pela ViaQuatro e a ViaMobilidade.

Leia mais:
Estado de SP tem até 9 de fevereiro para apresentar cronograma da Linha 6-Laranja
Doria desiste de metrô leve no ABC e anuncia corredor de ônibus especial
Empresa espanhola assume Linha 6-Laranja do Metrô e deve entregar obra em 4 anos

As duas concessionárias do Grupo CCR estão unidas numa campanha para prevenir os acidentes que podem ser causados por um segundo de desatenção quando se está com os olhos na tela do celular e fones nos ouvidos.

Trata-se de um tema que vem causando crescente preocupação. Levantamento feito pela ViaQuatro identificou que pelo menos metade das 265 ocorrências registradas pelo serviço de atendimento da concessionária no ano passado envolveu pessoas que estavam usando o celular.

Em geral são pequenos contra-tempos, como esbarrões e tropeções, mas há situações com maior potencial de gravidade, especialmente quando a pessoa está se deslocando pelas escadas rolantes (onde ocorreram 25% dos acidentes em 2019) ou nas escadas fixas (18%).

“Hoje todos carregamos a vida no celular, nos comunicamos, pagamos contas, organizamos nossa agenda por ele. Nã dá para ir contra a tecnologia, mas é preciso sensibilizar as pessoas para os riscos que seu uso inapropriado pode trazer”, diz o diretor de Negócios da ViaQuatro e da ViaMobilidade, Maurício Dimitrov

Outro objetivo da campanha é chamar a atenção para os potenciais males à saúde física e emocional que o uso excessivo de celular pode causar – desde
isolamento social até danos na visão, na audição e lesões musculares por má postura.

“Não dá para ir contra a tecnologia, mas é preciso sensibilizar as pessoas para os riscos que seu uso inapropriado pode trazer.”

Maurício Dimitrov, diretor de Negócios da ViaQuatro e da ViaMobilidade.

Desatenção mata milhares no trânsito

Além dos riscos provocados pelo uso indevido do celular no ambiente do metrô, há também o perigo em qualquer outra atividade que exige atenção plena, como é o caso da condução de veículos.

De acordo com estudo da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), a prática de utilizar o telefone enquanto se dirige foi responsável no ano passado pela morte de 54 mil pessoas no Brasil.

O uso imprudente do celular já se tornou a terceira principal causa de colisões com vítimas fatais no Brasil, atrás apenas do excesso de velocidade e da embriaguez.

“Quando a atenção do motorista passa a ser dividida com o celular, o tempo de resposta e o reflexo ficam mais lentos”, lembra Carlos Costa, gerente de Operações da CCR ViaOeste e da CCR RodoAnel.

E não adianta pensar que “tudo bem” se for apenas uma rápida checagem das mensagens. Estudo da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluiu que o simples hábito de checar o celular a todo instante enquanto se dirige aumenta o risco de acidentes em 400%.

O Brasil tem:

  • 226,7 milhões de celulares em atividade
  • Média de 107,2 para cada 100 habitantes.

Fonte: Anatel.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login