Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Conhece o jardim de chuva? Ele reduz alagamentos e melhora a mobilidade

Essa construção serve como uma esponja no cenário urbano e ajuda no escoamento das águas pluviais

2 minutos, 40 segundos de leitura

08/04/2022

Por: Marina Oliveira

jardim de chuva
Jardim de chuva na região da República, na cidade de São Paulo

À primeira vista parece um canteiro normal, mas um jardim de chuva vai além de florir o cenário urbano. A função dele é minimizar os impactos de enchentes e alagamentos, porque deixa o solo mais permeável. 

Enchentes são um transtorno já bem conhecido dos paulistanos. Basta uma precipitação  para alguma região da cidade alagar e causar problemas do tipo: pessoas e veículos ilhados, transporte público paralisado ou funcionando parcialmente e congestionamentos. Nessas situações, nossa mobilidade fica totalmente comprometida

O jardim de chuva é capaz de minimizar esses estorvos causados pela pavimentação urbana, porque absorve o escoamento da água da chuva que flui de telhados, pátios, gramados, calçadas e ruas e retém a água em 12h até 48h. Em comparação com um gramado convencional, ele permite que 30% mais água penetre no solo.  

De acordo com a Secretaria Municipal de Subprefeituras, há 210 unidades na cidade de São Paulo e a previsão é entregar 400 jardins até o final de 2024. Os jardins estão distribuídos nas zonas norte, sul, leste, oeste e centro. Entre os distritos contemplados estão Aricanduva, Butantã, Capela do Socorro, Cidade Tiradentes, Ipiranga, Lapa, Penha, Pinheiros, Santana/ Tucuruvi, Sé, Casa Verde/Cachoeirinha, Ermelino Matarazzo e Vila Mariana.

Filtro de poluentes da água da chuva

No projeto desse “jardim esponja” são removidos cerca de 20 cm a 30 cm  de solo, que é preparado para aumentar a  infiltração de água. A localização da construção costuma ser na  parte inferior de um declive, para coletar o escoamento do gramado, telhado e entrada de automóveis. 

O jardim também filtra a água da chuva. Isso porque, ao chover, a água pode escorrer de telhados ou calçadas e coletar partículas de sujeira, fertilizantes, produtos químicos, óleo, lixo e bactérias. Essa água carregada de poluentes entra nos bueiros sem tratamento e flui para rios e córregos. Já ao passar pelo jardim de chuva, a água é filtrada pela vegetação antes de seguir para uma rede de drenagem subterrânea.

Jardim de chuva sendo construído em 2020, na Av. dos Estados

O momento ideal para construir um jardim de chuva é quando o solo está seco o suficiente para ser trabalhado. A recomendação é que isso seja feito no início da primavera ou início do outono, para que as plantas se assentem melhor.

A preferência é por plantas locais no jardim, que vivem em sintonia com o ambiente e, por isso, vão responder melhor às mudanças climáticas e aos parasitas. Ou seja, são mais resistentes. Além disso, quanto mais plantas e mais espécies diversas, melhor. Porque elas variam seu desempenho conforme as mudanças climáticas das estações. Nenhum fertilizante é necessário e, após o primeiro ano, a manutenção geralmente é mínima. 

Benefícios do jardim de chuva

  • Demanda baixa manutenção, não é preciso rega depois que as plantas se estabelecem
  • Absorve até 30% mais água de chuva do que um gramado
  • É ideal para plantar uma ampla variedade de vegetação nativa
  • Reduz a erosão, diminuindo o impacto de chuvas fortes
  • Atrai insetos e pássaros
  • Alimenta o lençol freático

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login