BNDES anuncia estudo para desenvolvimento de metrôs, BRTs e VLTs em 21 metrópoles brasileiras | Mobilidade Estadão |

Buscando sugestões para:


Publicidade

BNDES anuncia estudo para desenvolvimento de metrôs, BRTs e VLTs em 21 metrópoles brasileiras

Por: Redação Mobilidade . Há 12 dias
Mobilidade para quê?

BNDES anuncia estudo para desenvolvimento de metrôs, BRTs e VLTs em 21 metrópoles brasileiras

Banco deve investir R$ 27,8 milhões para realização da pesquisa em cidades com população superior a 1 milhão de habitantes

1 minuto, 36 segundos de leitura

08/06/2024

Por: Redação Mobilidade

projeto BDNES para VLTs, metrôs, trens e BRTs
Mapeamento terá duração de um ano, com apoio do Ministério das Cidades. Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico) iniciou a elaboração de uma pesquisa para mapear projetos de mobilidade urbana em 21 metrópoles do Brasil. O estudo vai se concentrar em cidades com população superior a 1 milhão de habitantes, com projetos de média e alta capacidade, como metrôs, BRTs, VLTs e trens.

Para a produção do Estudo Nacional de Mobilidade Urbana, o banco deverá investir R$ 27,8 milhões. O mapeamento terá duração de um ano, com parceria do Ministério das Cidades. Durante a etapa inicial, de acordo com o banco, um dos objetivos é mapear a qualificação técnica de empresas interessadas.

Ao fim do estudo, as cidades devem estar aptas para buscar alternativas de financiamento. Atualmente, o déficit de investimentos no setor atinge pelo menos R$ 300 bilhões, conforme dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgados em 2023.

Mapeamento do BNDES

“O estudo será essencial para mapear os projetos de alta e média capacidades nas maiores regiões metropolitanas do País, contribuindo para a redução do déficit histórico de investimentos no setor”, afirmou Felipe Borim, superintendente da Área de Infraestrutura do BNDES. Também é objetivo do mapeamento, de acordo com o BNDES, otimizar e integrar as redes de transporte nas cidades.

As regiões que farão parte do projeto incluem as cidades de Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Santos, Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória, Goiânia, Distrito Federal, Salvador, Maceió, Recife, João Pessoa, Natal, Teresina, São Luís, Fortaleza, Belém e Manaus.

O resultado do estudo também contribuirá para formar a carteira de projetos de concessões e parcerias público-privadas (PPPs) que promovam investimentos para melhoria dos serviços públicos no âmbito do Novo PAC.

Leia também: Curitiba deve receber R$ 380 milhões do pacote para compra de 54 ônibus elétricos

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

Quer uma navegação personalizada?

Cadastre-se aqui

0 Comentários


Faça o login