Voltar
Meios de transporte

“iFood Pedal” disponibiliza bikes elétricas para entregadores em São Paulo

Projeto pioneiro oferece planos semanais por R$ 9,90, com direito a duas viagens de e-bike de até 4 horas por dia, acesso à estrutura do ponto de apoio e curso online de formação

Arthur Caldeira

01/10/2020 - 3 minutos, 6 segundos


Projeto se inicia em caráter piloto com poucos entregadores, mas pretende chegar a 500 e-bikes na capital paulista até o final do ano. Foto: Divulgação/Midori De Lucca

Em parceria com a Tembici, a foodtech lançou nesta semana o “iFood Pedal”. O projeto engloba três pilares importantes: bikes elétricas exclusivas para entregadores, o espaço Ponto de Apoio iFood Pedal e o Pedal Responsa, curso digital de conteúdo formativo e de conscientização desenvolvido pelo Instituto Aromeiazero. 

Leia mais:
Na Semana da Mobilidade, veja histórias de quem abandonou o carro
40 km de bike e banho improvisado: é possível viver sem carro
Programa de ciclofaixas está suspenso em São Paulo

A grande novidade do projeto é a disponibilidade de bikes elétricas para entregadores com pedal assistido, ou seja, o motor só funciona quando a bicicleta é pedalada. Com velocidade limitada a 25 km/h e bateria com autonomia de 60km, a e-bike tem freios e peças de transmissão de marcas renomadas. Assemelham-se às bikes elétricas compartilhadas, que começaram a operar no Rio de Janeiro na semana passada.

“Depois de pouco mais de um ano de pesquisas, análises e entendimento de como aperfeiçoar a jornada na plataforma, foi possível implementar um projeto que vai incentivar o uso de um modal seguro e eficiente, trazendo melhoria para o dia a dia dos entregadores que utilizam bike”, diz Roberto Gandolfo, vice-presidente de Logística do iFood.

Ponto de apoio

Os entregadores que aderirem ao projeto terão acesso ao Ponto de Apoio iFood Pedal, onde, além de retirarem e devolverem as bikes elétricas, irão receber máscaras, álcool em gel, capacete e mochila. O espaço, localizado na rua Fradique Coutinho, nº 540, no bairro de Pinheiros, na capital paulista, funciona todos os dias, das 10h às 23h, e oferece estrutura de banheiros, água, café, recarga para celular e local para refeições.

ponto-apoio-ifood-pedal
Ponto de apoio do iFood Pedal. Foto: Divulgação/Midori De Lucca

Quem adere ao programa também tem acesso ao Pedal Responsa. O curso online, desenvolvido pelo Aro, tem como objetivo abordar cuidados e responsabilidades dos entregadores com a bike elétrica, além de trazer outros temas, como saúde, prevenção ao coronavírus e comunicação com o cliente. Após uma avaliação online do curso, os (as) participantes receberão certificado de formação e um kit contendo power bank, squeeze, jaqueta corta vento e uma camisa de proteção UV.

Como funciona

O projeto pioneiro se inicia em caráter piloto com poucos entregadores. No início, o plano iFood Pedal não estará disponível para todos, mas a previsão é de que, até o fim do ano, haverá 500 bikes elétricas para os entregadores nas ruas capital paulista.

Para participar do projeto, os entregadores devem acessar o “iFood Pedal”, no aplicativo, cadastrar-se e selecionar um plano. O plano semanal sai por R$ 9,90. E, por enquanto, só pode ser pago por cartão de crédito, mas futuramente serão disponibilizados outros meios de pagamentos.

Por esse valor, os entregadores têm direito a duas viagens diárias de quatro horas, respeitando o intervalo de 4 horas entre elas – caso o tempo limite seja ultrapassado há cobrança adicional de R$ 5 por hora extra. Mas ainda é preciso pagar um adicional de R$ 2 por dia para retirada de bike elétrica no Ponto de Apoio iFood Pedal – Pinheiros.

e-bike-ifood-pedal
Entregadores terão direito a duas viagens diárias de quatro horas. Foto: Divulgação/Midori De Lucca

Os entregadores do iFood Pedal também terão direito de utilizar as bicicletas do Bike Sampa, projeto de compartilhamento de bicicletas em São Paulo. Eles poderão fazer duas retiradas por dia nas estações fixas e viagens de até quatro horas.

“Vimos este público crescer rapidamente na nossa base de clientes e era preciso criar algo que atendesse às necessidades dos entregadores ciclistas, até que encontramos no iFood a vontade de fomentar o delivery por bicicleta”, diz Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login