Voltar
Mobilidade para quê?

Histórias de achados e perdidos no Metrô de São Paulo

No ano passado foram 11.297 itens encaminhados à central da Linha 5-Lilás, localizada na estação Adolfo Pinheiro

Daniela Saragiotto

24/02/2020 - 5 minutos, 0 segundos


trem-da-linha-5-lilas
Linha 5-Lilás é a única a contar com Central de Achados e Perdidos. Foto: Divulgação.

Em torno de 600 mil pessoas circulam diariamente pela Linha 5-Lilás do Metrô, que interliga as estações Capão Redondo e Chácara Klabin e é operada pela ViaMobilidade. Com toda essa movimentação de pessoas indo e vindo de diversos pontos da cidade, são esquecidos, em média, 45 objetos todos os dias. E tem de tudo: de documentos pessoais a bilhetes de integração e chaves, os mais comuns da lista, até celulares, dentaduras, óculos, garrafas de uísque, carrinhos de bebê, entre outros itens inusitados. Com esse volume de objetos, a linha é a única a contar com uma Central de Achados e Perdidos exclusiva, que fica na Estação Adolfo Pinheiro, em Santo Amaro, que é para onde são encaminhados todos os itens encontrados pelos passageiros. Já os objetos recuperados nas demais linhas de metrô de São Paulo acabam indo para a Estação Sé, da Linha 3-Vermelha.

Salvando relacionamentos

No ano passado, foram 11.297 itens no total encaminhados à central, que, de acordo com Juliana de Oliveira Alcides, gestora de Sustentabilidade da ViaMobilidade, já salvou até casamentos. “Uma vez um rapaz veio até a central para verificar se a aliança que havia perdido naquele dia estava aqui, mas ainda não havia sido encaminhada. Dois dias depois, a noiva nos procurou e disse que, se a aliança não estivesse na central, estaria tudo acabado entre eles. Ainda bem que deu tudo certo”, relembra.

Em outro episódio, a gestora conta que um jovem que havia perdido a carteira e se casaria naquela semana foi até a central. “Ele estava desesperado, pois, se não encontrasse os documentos, não poderia se casar, porque não teria tempo hábil para ir até sua cidade de origem e solicitar a segunda via de toda a documentação pessoal. Além de aliviado, ele ficou feliz ao ver que sua carteira e seu casamento estavam salvos”, conta Juliana.

Números

Do total de 11.297 objetos e documentos encontrados na Linha 5 no ano passado, 1.960 foram devolvidos aos seus donos pela central. Enquanto os demais itens têm taxa média de 12% de devolução, em torno de 80% dos celulares são recuperados. Isso porque quem perde um objeto do tipo costuma ligar para o número para localizá-lo ou os funcionários do setor ligam para algum contato da agenda quando o aparelho está com bateria e permite o acesso sem senha.

Além dos celulares, o que as pessoas mais perdem na Linha 5 são bilhete único, cartões bancários, carteiras, documentos, chaves e óculos. Mas há também objetos curiosos como dentaduras, garrafas de uísque e até carrinhos de bebê. “É gratificante perceber que as pessoas devolvem mesmo quando encontram carteiras, dinheiro e celulares. Uma vez, um senhor que visivelmente enfrentava dificuldades financeiras e nem sequer tinha telefone celular veio até aqui para devolver um celular de cerca de R$ 2 mil que encontrou em nossas dependências”, relata.

Final feliz

O vendedor Alex Agapito,que recuperou cinco pares de faróis: ‘alívio’. Foto: Acervo Pessoal.

Usuário da Linha 5-Lilás, Alex Agapito diz que trabalha com venda de equipamentos automotivos e usa o metrô para fazer suas entregas. “Em uma delas, indo para o Capão Redondo, era por volta das 20h e eu estava muito cansado. Acabei esquecendo uma sacola com cinco pares de faróis, um prejuízo enorme”, afirma. Ele conta que sabia que existia o serviço de achados e perdidos, mas nunca tinha usado. “Como era caminho, pedi para minha esposa passar no atendimento da Linha 5-Lilás, indicaram a Central de Achados e Perdidos e meus produtos estavam lá. Foi um alívio muito grande, só tenho a agradecer a quem encontrou e ao sistema que me permitiu recuperá-los”, relata Agapito.

O palhaço Alex Agapito: ‘Fiquei muito feliz em recuperar meus malabares.”

O palhaço e professor de circo Lessio Pereira também passou pelo susto de perder objetos importantes. “Estava voltando de uma festa em que trabalhei como animador na Avenida Paulista e acabei esquecendo uma sacola com todos os meus malabares. São meus instrumentos de trabalho e eu tinha uma festa em que iria trabalhar dali a alguns dias, então iria precisar deles”, diz. Foi aí que se lembrou de pedir informações sobre a Central de Achados e Perdidos e resolveu ir até a estação Adolfo Pinheiro. “Resolvi dar uma chance, pensei: ‘Quem sabe, né?’ Fui até lá sem muita esperança, descrevi minha sacola para o atendente e ele a encontrou. Fiquei muito feliz!”, conta o palhaço.

Guardados por 90 dias

Todos os itens que vão para a central são identificados e registrados em um sistema eletrônico com dados como data, horário e local em que foram encontrados, além da descrição. Os objetos são armazenados por um período de 90 dias, no máximo. Após esse prazo, as peças em bom estado são doadas para entidades não governamentais indicadas pela concessionária. Já os documentos são enviados aos órgãos expedidores.

A Central de Achados e Perdidos da Linha 5-Lilás funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, exceto nos feriados. Ao se dar conta de que perdeu algum objeto, o passageiro pode ligar para a Central de Atendimento 0800 770 7106 ou comparecer à Central de Achados e Perdidos, informando a descrição do objeto e o contato para ser acionado, caso seu item seja localizado.

Para evitar a perda de objetos e documentos, a ViaMobilidade recomenda aos passageiros que fiquem atentos ao que estão transportando e verifiquem seus pertences antes do desembarque. É importante também que os itens tenham sempre alguma identificação, o que facilitará a localização do proprietário e a sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.

Serviço

Central de Achados e Perdidos Linha 5-Lilás
Estação Adolfo Pinheiro
Endereço: Av. Adolfo Pinheiro, 301, Santo Amaro

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login