Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

O que está sendo feito para melhorar o trabalho das motoristas de caminhão

Ações de grandes empresas e ONGs visam oferecer qualidade e o mínimo de estrutura necessária às cristais e motoristas mulheres

2 minutos, 30 segundos de leitura

30/03/2022

Por: Bruna Frazão*

Veronica Gomes de Souza, participante do programa A Voz Delas, da montadora. Foto: Divulgação Mercedes Benz Caminhões

No final do ano passado, foi apresentado ao Projeto de Lei 3.149/2021, do deputado federal Hélio Costa (Republicanos/SC), com o objetivo de garantir que os acompanhantes dos caminhoneiros, tanto de carona quanto auxiliares, tenham acesso aos locais de carga e descarga do caminhão. A medida, que ainda precisa passar por toda a tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado até chegar à sanção presidencial, vai oferecer uma melhor estrutura nesses locais para motoristas mulheres. E também seria muito bem recebida por mulheres que acompanham seus maridos caminhoneiros nas estradas, função batizada de “cristal”.

Atualmente, quando ocorrem a carga e a descarga – o que pode levar horas –, as mulheres precisam ficar esperando do lado de fora das empresas. Diversas companhias têm tomado a frente e buscado alternativas para tentar sanar essa e muitas outras dificuldades que elas enfrentam no dia a dia. Uma das iniciativas é o projeto A Voz Delas, lançado pela Mercedes-Benz Caminhões.

“Por ser um movimento novo, já estamos fazendo diferença na vida de muita gente. Promovemos ações voltadas para a saúde, como a Caravana Todos Juntos, com orientação sobre datas como o Outubro Rosa, debates sobre temas como infraestrutura, segurança, capacitação, ações com nossos parceiros como sala de espera para as motoristas e cristais no momento de carga e descarga, contratação de motoristas para o quadro de colaboradores, além de informações por meio de nosso portal”, diz Ebru Semizer, executiva de marketing e comunicação da Mercedes-Benz Caminhões.

Gisely de Cassia da Cruz, participante do programa A Voz Delas. Foto: Divulgação Mercedes Benz Caminhões

Para Flávia, pequenas ações podem fazer uma diferença enorme na vida dessas mulheres. “É importante questionar sobre as condições que temos em nossas empresas para receber as motoristas e as cristais. Temos um local apropriado com segurança e condições mínimas para elas? Temos um banheiro exclusivo? Com certeza, esse olhar do que podemos melhorar irá contribuir muito”, completa a executiva da Mercedes-Benz Caminhões.

Mais apoio

Outra iniciativa é a ONG Guerreiras da Estrada – União Nacional de Cristais e Caminhoneiros (UNCC), que começou, no final de 2016, um movimento protagonizado pelas mulheres para dar início a uma tomada de consciência dos desafios enfrentados por elas nas estradas. Cida Araújo, vice-presidente da ONG, conta que o esforço ainda é grande e há um longo caminho a percorrer. A UNCC já apresentou relatórios e projetos junto a entidades de classe e aos responsáveis pelo tema em Brasília, e já conquistaram algumas mudanças significativas. “No princípio, levamos muita pedrada, até mesmo de outras mulheres. Mas, desde que começamos, outros movimentos e pessoas passaram a olhar para esses problemas de uma forma diferente”, conclui.

* Bruna Frazão é fundadora do Ladies Drive Brasil, primeiro grupo que reúne mulheres proprietárias e apaixonadas por veículos a motor. Foto: Fernanda Freixosa

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login