Buscando sugestões para:


Na Perifa

Projetos oferecem cursos gratuitos de cinema para jovens das periferias

Além de ensinar teoria e prática no audiovisual, iniciativas estimulam produções a partir do olhar de quem vive nas comunidades

3 minutos, 36 segundos de leitura

08/04/2022

Por: Beatriz de Oliveira, Nós Mulheres da Periferia

Foto ilustrativa de projetos audiovisuais nas periferias do Brasil. Crédito: Third and Wonder/Nappy

Ver mais profissionais das periferias, pessoas negras, mulheres e outros grupos das minorias sociais nas diversas etapas de produção de um filme está entre os objetivos da oferta de cursos gratuitos de cinema e audiovisual no País. Voltadas para jovens que vivem nas periferias, as formações cobrem áreas como roteiro, filmagem e edição. Elas também estimulam produções a partir dos pontos de vista dos estudantes, levando em consideração suas vivências e referências. Conheça algumas dessas iniciativas listadas a seguir em ordem alfabética pelo nome do Estado.

CENÁRIO DE DESIGUALDADE VERSUS DIVERSIDADE
Publicada em 2018, uma pesquisa da Agência Nacional do Cinema (Ancine) expôs as desigualdades. Dos 142 filmes nacionais que chegaram ao circuito comercial em 2016, as mulheres representaram 40% do elenco e os negros foram 13,3%. Em 75,3% dos longas nacionais, pessoas negras ocupam, no máximo, 20% das vagas de atrizes e atores.

O estudo ainda mostrou que quando o diretor de um filme é negro, a chance de o roteirista ser negro aumenta em 43,1% e a probabilidade de haver mais um ator ou atriz negros sobe 65,8%. Se o roteirista é negro, essa marca vai a 52,5%.

AMAZONAS

Cine Bodó
Jovens de Manaus estudam audiovisual no Cine Bodó. O projeto é uma mostra itinerante de cinema em diferentes comunidades da capital amazonense. No curso, os alunos são produzem um curta-metragem a ser exibido no próprio festival.

GOIÁS

Favera
O Festival Audiovisual Vera Cruz (Favera), fica no Conjunto Vera Cruz, em Goiânia. A ideia é realizar mostras de cinema, palestras e atividades de formação motivadas pela democratização do cinema e o envolvimento de outros projetos das periferias.

MINAS GERAIS

Minas Cine
O projeto Minas Cine, da ONG Contato, beneficia jovens em dez regiões do estado de Minas Gerais. Além das atividades técnicas e de produção, há troca de conhecimentos entre artistas, coletivos e profissionais do mercado do audiovisual no Brasil.

PERNAMBUCO

Coquevídeo
O projeto Coquevídeo oferece formação e experimentação audiovisual para jovens do Coque, favela em Recife. Há aulas de roteiro, fotografia, som, edição e corpo em movimento. O objetivo é estimular a criação de imagens pela perspectiva de quem vive na comunidade.

Trela
Com inscrições gratuitas para alunos de escolas públicas, o Trela é feito de oficinas de cinema para jovens do Recife. Depois de percorrer matérias  sobre todas as etapas de produção de filmes e vídeos, os estudantes produzem um curta-metragem.

RIO DE JANEIRO

Cinema Nosso
O Instituto Cinema Nosso, na Lapa, Rio de Janeiro, promove cursos, oficinas e exibições no projeto que foi criado em 2000, durante a seleção do filme Cidade de Deus, que ganhou reconhecimento internacional. A prioridade e atender adolescentes da rede pública.

Cine Rua Paciência Cultural
No bairro Paciência, zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, o Cine Rua Paciência Cultural oferece desde 2012 formações em audiovisual para jovens de favelas e comunidades da região. Além disso, o projeto atua em exibições de filmes.

SÃO PAULO

É Nóis na Fita
Inaugurado em 2014, já formou turmas em todas as regiões da cidade de São Paulo. Os alunos se reúnem aos finais de semana para aprender história do cinema, roteiro, produção, direção de arte, fotografia e edição. O projeto inclui ainda a elaboração de um curta-metragem.

Projeto Paracine
Idealizado em 2020 pela Ser Produções, o Paracine oferece aulas de audiovisual e faz exposições de filmes independentes na favela do Paraisópolis, zona sul da capital paulista. O objetivo é democratizar o acesso ao cinema.

Instituto Querô
Na Baixada Santista, o Instituto Querô capacita no audiovisual jovens de baixa renda. À parte leva oficinas para escolas públicas e comunidades. Em 16 anos de trabalho, o programa gerou mais de 300 filmes. Entre eles o longa Sócrates, que lançou o ator Christian Malheiros.

Companhia Bueiro Aberto – matrículas até 20 de abril de 2022
Na cidade de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, o curso Oficina Filme de Bairro é gratuito e tem duração de cinco meses. Sua base é o cinema de quebrada e a produção com baixo orçamento. As inscrições estão disponíveis neste formulário até o dia 20 de abril.


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login