Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Assinatura de moto elétrica é opção para empresas reduzirem emissões e custos

Parceria entre Watts e E-moving oferece a moto elétrica W 125 para clientes B2B, com assinaturas a partir de R$ 699 mensais e contrato mínimo de 12 meses

1 minuto, 45 segundos de leitura

22/06/2022

Por: Arthur Caldeira

motos-eletricas-paradas
W125 da Watts tem motor de 3000 W e autonomia para 150 quilômetros, com duas baterias. Fotos: Divulgação/Watts

Uma parceria entre a E-moving, startup que oferece assinaturas mensais de bicicletas elétricas, e a Watts Mobilidade, empresa do grupo Multilaser, criou um plano de assinatura de moto elétrica, voltado para o mercado B2B.

O modelo disponível para empresas é a moto elétrica W125, o mais recente lançamento da Watts. Com duas baterias, a W 125 tem autonomia de até 150 km e motor de 3000 W, com desempenho semelhante às motos de combustão de 125 cc.

O plano de assinatura de moto elétrica tem contrato mínimo de 12 meses e mensalidades a partir de R$ 699. As empresas interessadas poderão customizar a moto elétrica para diferentes aplicações. “Será possível instalar giroflex, luzes adicionais, bauletos, protetor de perna, sirene, telemetria, entre outros”, explica Caio Dias, Diretor de Produtos da Multilaser, responsável pela gestão da marca Watts.

“A parceria chega em um momento de expansão do mercado de mobilidade elétrica no país. Impulsionada pelo aumento do preço do combustível e, também, pelo desejo do brasileiro de reduzir os impactos ambientais. Acreditamos que a utilização de veículos elétricos só tende a crescer”, afirma Rodrigo Gomes, fundador da Watts.

OFERTAS 0KM

Uma moto a combustão, que percorre 50 km por dia, emite, anualmente, 1,90 toneladas de CO² na atmosfera, de acordo com dados da Fundação SOS Mata Atlântica.

Gabriel Arcon, CEO da E-Moving, (à esq.) e Rodrigo Gomes, fundador da Watts

“Com as motos elétricas, temos o potencial de zerar totalmente esse número e ainda eliminar a poluição sonora. Nosso objetivo é incentivar as empresas a trocarem suas frotas de motos convencionais, para que, assim, estejam totalmente alinhadas às pautas ESG e ainda possam reduzir custos operacionais” diz Gabriel Arcon, CEO da E-Moving.

O primeiro cliente B2B da parceria é a Box Delivery, empresa de logística last mile. “E já estamos colhendo bons frutos. Acabamos de selar um grande negócio com a Box Delivery, uma empresa de logística last mile, com foco em entregas sustentáveis. A primeira locação foi de 1.300 unidades”, comemorou Arcon.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login