Mobilidade para quê?

Voltz inicia projeto piloto de estações de troca de baterias para motos elétricas

Segundo a empresa, ação é primeiro passo para a venda de motos elétricas sem bateria e plano de assinatura para o uso das estações

2 minutos, 37 segundos de leitura

14/10/2021

Por: Arthur Caldeira

bateria-para-motos-elétricas
Ação visa acelerar a transição dos motociclistas, principalmente do setor de delivery, para as motos elétricas. Fotos: Divulgação/Voltz

Para acabar com a limitação da autonomia, um dos principais problemas das motos elétricas atualmente, a Voltz iniciou um projeto piloto de estações de trocas de baterias. A ação, realizada em parceria com a iFood e com o Turbo, hub de Inovação da Ipiranga, é o primeiro passo de um grande projeto da empresa, que inclui vendas de motos sem baterias e plano de assinatura para utilização das estações de troca de bateria.

“As estações de troca de bateria chegam para redefinir a mobilidade de veículos elétricos no Brasil. Elas vão tornar nosso produto mais acessível e erradicar a limitação de autonomia, que hoje é um desafio para acelerar a transição dos consumidores das motos movidas à combustão para as elétricas”, comenta Renato Villar, CEO da Voltz.

estação-voltz
Duas estações Voltz estão em fase de testes em São Paulo (SP); plano é criar mais de 50 na capital paulista

Já foram instaladas duas “Estações Voltz” na cidade de São Paulo (SP) – uma no bairro do Limão e outra na região da Água Branca. Entretanto, a empresa esclarece que o projeto ainda está em fase de testes. Por enquanto, apenas entregadores do iFood que pilotam os modelos EVS Work da Voltz podem usar as estações de trocas de baterias para motos elétricas.

Até o final do ano, a Voltz pretende criar mais de 50 estações na capital paulista. Todas serão instaladas em postos da Rede Ipiranga. As duas empresas planejam distribuir estações de troca em postos da rede, em todo o país.

Plano de expansão

Criada em 2017, com foco na mobilidade elétrica, a Voltz vem crescendo desde então. Em maio deste ano, recebeu um aporte de R$100 milhões, numa rodada de investimento liderada pela Creditas e com a participação do UVC Investimentos, fundo de Venture Capital do Grupo Ultra, responsável pelo Ipiranga e outras empresas.

OFERTAS 0KM

As scooters e motos da Voltz devem começar a ser produzidas em Manaus (AM) a partir do início de 2022. Inicialmente, a nova unidade fabril terá capacidade para produzir até 8 mil veículos anualmente e, em três anos, a meta é chegar a 22 mil unidades por ano. Com isso, a empresa espera sanar os problemas de entrega de novos modelos.

Para dar vazão ao maior volume de produção, a Voltz anunciou nessa semana os planos para expansão comercial até o final deste ano. Com lojas-conceito instaladas em São Paulo e Recife, a companhia quer estender sua presença para outras dez capitais: Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Goiânia, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Vitória e Florianópolis.

Além disso, deve instalar no país outras 100 unidades ‘pop-up’ – lojas menores comandadas por parceiros e instaladas em locais estratégicos. Somando com as que estão em operação, a ideia é chegar em dezembro com 140 franquias ativas.

Para realizar suas metas, a empresa está contratando. Atualmente, a Voltz conta com 110 colaboradores. Até o final do ano, a meta é atrair mais 100 novos talentos para a equipe.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login