Mobilidade para quê?

iFood firma parceria com a Voltz para fazer entregas com motos elétricas

A partir deste mês de abril, entregadores vão testar a elétrica EVS. Foodtech também promete linha de crédito para aquisição de motos elétricas

2 minutos, 55 segundos de leitura

01/04/2021

Por: Arthur Caldeira

motocicletas e a mobilidade no país
Meta da foodtech é ter 50% das entregas feitas por modais não poluentes até 2025. Foto: Getty Images

Como parte de seu plano para reduzir a emissão de poluentes e o impacto ambiental de suas operações, a foodtech iFood fez uma parceria com a Voltz Motors, startup brasileira de veículos elétricos, para disponibilizar motos elétricas para os entregadores testarem a partir deste mês de abril.

O projeto piloto contará inicialmente com 30 unidades da moto elétrica Voltz EVS que serão testadas pelos entregadores. Após esse período experimental, a expectativa é chegar a mais de 10 mil motos elétricas nos próximos 12 meses. Para estimular o uso do modal, o iFood vai criar uma linha de crédito especial para entregadores parceiros. 

A iniciativa faz parte do iFood Regenera, programa que tem como objetivo acabar com a poluição plástica das operações e tornar-se neutra na emissão de carbono até 2025. Para cumprir essa meta ambiciosa, o iFood terá pesquisa e desenvolvimento de embalagens sustentáveis e investimento em cooperativas de reciclagem, dentre outras iniciativas.

Neutralizar CO2 

Por meio do programa, a empresa também irá mensurar, reduzir e neutralizar as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) da sua operação. O primeiro passo foi contar com a expertise da Moss.Earth, empresa de tecnologia do mercado de carbono, que desenvolveu o inventário de GEE. O documento, cujo ano base é de 2020, cobre os escopos de emissão 1, 2 e 3, ou seja, inclui também as emissões de todas as entregas dos pedidos realizados no ano passado.

moto eletrica voltz evs
Entregadores vão usar a EVS em versão profissional com autonomia para 240 km. Foto: Divulgação/Voltz

No total, foram emitidos 128 mil toneladas de CO2 equivalente em 2020. A neutralização destas emissões será feita por meio de investimento em projetos de preservação ambiental e reflorestamento. A iniciativa é pioneira do setor de delivery no Brasil.

OFERTAS 0KM

“Sabemos que apenas a compensação não é suficiente. É preciso pensar em formas inovadoras de reduzir as emissões de CO2. Em outubro do ano passado, lançamos o iFood Pedal, em parceria com a Tembici, um projeto desenvolvido exclusivamente para entregadores que oferece planos acessíveis para o aluguel de bikes elétricas.  Com os bons indicadores de adesão, nosso plano é expandir gradativamente o projeto, levando-o para outras cidades e, assim, aumentar nosso percentual de entregas limpas”, afirma Gustavo Vitti, vice-presidente de Pessoas e Soluções Sustentáveis no iFood.

Mas para atingir a meta de ter 50% dos pedidos entregues por modais não poluentes até 2025, foi necessário firmar a parceria com a Voltz, empresa especializada em motos elétricas. A empresa também prometeu ajudar os entregadores parceiros a comprar motos elétricas. Por meio de parcerias, a ideia é criar uma linha de crédito especial para a aquisição de modelos da Voltz Motors.

EVS Work

As motos elétricas dos entregadores parceiros do iFood serão uma versão profissional da EVS. Batizada de “Work” (trabalho), o modelo tem menor velocidade final, ou seja, 85 km/h, porém mais autonomia. Equipada com duas baterias, poderá rodar até 240 km sem recarregar. A recarga das baterias pode ser feita em uma tomada comum e leva cerca de 6 horas.

A EVS Work terá garantia de três anos e é “inteligente”, quer dizer, é controlada por um aplicativo para smartphones. O preço final do modelo ainda não foi divulgado. A EVS normal é vendida por R$ 17.490, mas somente com uma bateria. O consumidor pode adquirir uma sobressalente, por mais R$ 3 mil.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login