Voltar

Conteúdo original Estradão Estadão

Meios de transporte

CNH e Nikola fazem parceria para produção de caminhões a células de combustível

Investimento de US$ 250 milhões irá acelerar desenvolvimento de veículos pesados com emissão zero

Da redação

10/09/2019 - 1 minuto, 43 segundos


A CNH Industrial anunciou acordo estratégico com Nikola Corporation para desenvolvimento e industrialização de caminhões movidos a células de combustível a hidrogênio e baterias.

Leia mais:
Scania acumula dados de 2,9 bilhões de quilômetros todos os meses
Etanol é aposta enquanto elétrico não vem
Daimler cria Grupo de Tecnologia Autônoma

Na parceria, o conglomerado das marcas Iveco, FPT, Case e New Holand investirá US$ 250 milhões. São US$ 100 milhões em dinheiro e US$ 150 milhões em serviços. Entre os serviços estão desenvolvimento de produtos, engenharia de fabricação e assistência técnica, além do fornecimento de certos componentes-chave para acelerar o cronograma de produção dos caminhões Nikola ONE, TWO e TRE. Os dois primeiros são para a América do Norte e, o terceiro, para a Europa.

Por sua vez, a Nikola estima levantar US$ 1 bilhão com a oferta de ações. A empresa vai conceder aproximadamente 25% de propriedade a novos investidores e parceiros de negócios, incluindo a CNH Industrial.

Os caminhões pesados da Nikola movidos a células de combustível e bateria serão os primeiros a serem produzidos a partir do acordo. Iveco e FPT contribuirão com engenharia e processo de manufatura.

Também o modelo de negócio será diferente em relação ao que o transportador está acostumado. A empresa prevê uma taxa de aluguel, o que inclui custos de veículo, serviço, manutenção e combustível, “fornecendo segurança total a longo prazo do custo total de propriedade, igual ou abaixo dos custos do diesel”, de acordo com comunicado.

A CNH Industrial acredita que a tecnologias de células de combustível é um passo adiante para os motores movidos a gás natural liquefeito. Isso porque, pode se beneficiar da rede de abastecimento já existente, o que permite produção local de hidrogênio.

Nas últimas duas décadas, a FPT, fabricante de motores do grupo, soma produção de mais de 50 mil motores movidos a gás natural. Na Europa, em torno de 28 mil caminhões e ônibus Iveco são acionados a gás, o que faz dela líder no continente.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login