Voltar
Meios de transporte

Mais rápido e sustentável

Parceria incorpora scooters elétricas para entrega de comida em São Paulo

Patrícia Rodrigues

19/12/2019 - 2 minutos, 57 segundos


Adriano Inocêncio Salazar Gravina. Foto: Marco Ankoski

Leia mais:
Nova moto elétrica 'inteligente', Voltz EVS está em pré-venda a partir de R$ 15.900
Moto elétrica, alternativa para o pós-pandemia
Quanto vale sua mobilidade?

Culinária do mundo inteiro, enorme variedade de preços, rapidez na entrega, mais economia… E, sobretudo, nada de pegar carro e perder tempo no trânsito ou nas filas dos estacionamentos de shoppings ou restaurantes. A chegada dos aplicativos de entrega de comida trouxe vantagens para todos: consumidores, entregadores, restaurantes e ainda promove o surgimento de novos negócios.

Um desses é a parceria entre o iFood e a Riba, holding brasileira focada em mobilidade urbana com base em veículos 100% elétricos, que, desde 2018, na cidade de São Paulo, opera com o compartilhamento de scooters elétricas por meio de aplicativo.

Foi justamente esse modal o escolhido para o projeto piloto do iFood para ampliar ainda mais utilização de meios de transporte sustentáveis em suas operações – a empresa já utiliza 150 e-bikes e 150 patinetes elétricos.

SCOOTERS PERSONALIZADAS

As entregas do iFood a bordo das scooters elétricas começaram em novembro nas regiões da Avenida Paulista e Itaim Bibi – futuramente, o serviço poderá ser estendido a outras regiões. Para isso, a Riba desenvolveu uma tecnologia para atender às especificidades do negócio, além de oferecer aos entregadores planos mensais exclusivos. “As scooters foram personalizadas para o uso intenso de quatro turnos ao dia, com limite de velocidade de 60 km/h”, explica Ricardo Cabral, CEO da Riba Brasil.

O sistema instalado nas scooters permite gerar dados cada vez mais específicos – entre eles, como é feita a condução, se há desvio de rota, gestão de velocidade em diferentes vias, entre outros índices. “Tudo para otimizar a operação, garantir a segurança e a saúde dos entregadores e prever de forma ainda mais precisa as entregas”, comenta Cabral.

O projeto piloto, que conta inicialmente com seis scooters para atender a pedidos em um raio de 3 quilômetros durante todos os dias, faz parte das inovações desenvolvidas na área de logística do iFood, impulsionadas por um aporte de US$ 500 milhões (cerca de R$ 2 bilhões) recebido no final de 2018.

A próxima novidade, que deverá sem colocada em prática no primeiro trimestre de 2020 em um shopping center de Campinas ou São Paulo, prevê o uso de um robô, responsável por levar as entregas da praça de alimentação até o local onde os entregadores estacionam suas motos, bikes ou patinetes. Um pouco mais à frente, esse mesmo robô irá entregar os pedidos diretamente nas casas dos moradores de alguns condomínios.

OFERTAS 0KM

Veículos do futuro

Tenho minha moto e também trabalho com bikes e patinetes elétricos, sobretudo na região da Avenida Paulista e zona sul. Já recebi os treinamentos para as novas scooters, que incluem a operação do equipamento e outras questões de segurança.

Sem dúvida, esses novos meios de transporte abrem novas oportunidades de trabalho, pois nem sempre as pessoas conseguem adquirir uma moto zero-quilômetro.

Sem contar que são veículos do futuro, que não poluem o meio ambiente, em sintonia com o que se pratica em diversas metrópoles do mundo. De patinete, quando as corridas são em um raio de 3 quilômetros, consigo fazer até sete pedidos entre 11h e 15h. De moto, em regiões com boa demanda, são cerca de dez pedidos. Embora a plataforma opere das 19h às 2h da madrugada, concilio minhas atividades no app das 7h às 15h, obtendo, em média, cerca de R$ 4 mil mensais.”

Adriano Inocêncio Salazar Heshiki Gravina, 25 anos, entregador do iFood

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login