Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Como driblar a alta dos combustíveis e economizar tempo e dinheiro?

Com a última crise aprendemos que é importante manter o veículo sempre abastecido e não esperar chegar na reserva para tomar uma atitude

2 minutos, 46 segundos de leitura

08/04/2022

Há no mercado apps que ajudam a encontrar os postos de combustível pelo preço, proximidade, entre outros filtros. Foto: Getty Images

Não faz muito tempo que enfrentamos um problema grave de desabastecimento de combustível no País. Na época, maio de 2018, os profissionais das estradas protestavam contra a alta do diesel e outros aumentos do setor. O problema afetou não só os caminhoneiros, mas toda a população com o desabastecimento de combustível, comida, insumos hospitalares e toda a indústria e comércio. 

Quase quatro anos depois, o Brasil enfrenta uma situação um pouco parecida – não de greve, mas de aumentos sucessivos nos combustíveis fósseis que estão afetando toda a população. Em vez de faltar alimentos e insumos – os preços estão exorbitantes e sendo repassados para todos os consumidores. Mas a pergunta que paira é o que tiramos de lição da última crise de combustível que tivemos? E o que podemos fazer daqui em diante? 

Com a última crise aprendemos que é importante manter o veículo sempre abastecido e não esperar chegar na reserva para tomar uma atitude. Uma pesquisa encomendada pelo Waze apontou que 30% dos brasileiros respondentes deixam para abastecer só no momento que o carro atinge menos de ¼ da capacidade e antes da luz de emergência acender, 19% quando atinge menos de ¾ e outros 18% só quando a quando a luz de atenção avisa.

Por isso, é importante manter os veículos cheios e de preferência buscar por lugares com melhor custo-benefício. Hoje em dia, há no mercado apps que ajudam a encontrar os postos de combustível pelo preço, proximidade, entre outros filtros. 

Outras dicas imprescindíveis para economizar no combustível e que podemos fazer a partir de agora são: 

1. Não deixar para última hora e abastecer o veículo com frequência em um posto de confiança no qual a gasolina é comprovadamente boa e irá render mais quilómetros. 

2. Fazer as revisões e manutenções de forma que o veículo opere 100% do seu potencial. 

3. Planejar as saídas de casa para evitar trânsito e sempre utilizar os apps de navegação, mesmo que já conheça o caminho, isso ajuda a reduzir o tempo com rotas alternativas, e consequentemente, a reduzir o consumo de combustível. 

4. Oferecer ou pegar carona. Muitos brasileiros fazem trajetos parecidos e viajam sozinhos em seus carros. Oferecer ou pegar carona faz com que o custo de locomoção seja compartilhado, além de ter uma companhia durante a viagem e também a diminuir o trânsito na rua com menos veículos circulando. 

5. Por último e não menos importante: deixar o carro em casa e utilizar outros tipos de modais como transporte público, bicicletas, patinetes elétricos e caminhar – dependendo da distância. 

Todos já sabemos que o aumento dos combustíveis não impacta somente nossa forma de se locomover, mas afeta todas as pontas da nossa sociedade. Já é hora de buscarmos outras alternativas para reduzir o consumo de combustíveis fósseis e usar outras formas de energia como eletricidade, gás natural e outros. Além de começarmos a ser uma sociedade mais colaborativa e sustentável, compartilhando nossos modais e reduzindo o trânsito nas grandes cidades.

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login