Mobilidade para quê?

Divulgados temas das plenárias do congresso sobre eletromobilidade

Poder público, indústria e academia se reúnem para debater o setor de veículos elétricos no Brasil

3 minutos, 0 segundos de leitura

07/07/2021

Ricardo Guggisberg, fundador do evento: “O C-MOVE se tornou um importante fórum para discussões sobre os caminhos do mercado de elétricos nos próximos anos. Foto: Divulgação C-MOVE

O Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE) será uma das atrações do Veículo Elétrico Latino-Americano, que será realizado entre 23 e 25 de setembro, na Praça Charles Miller, em São Paulo (SP). Esta é a terceira edição do C-MOVE, que, pela primeira vez, será híbrido – presencial e online –, ampliando, assim, o seu público. “O C-MOVE se tornou um importante fórum para discussões sobre os caminhos do mercado de elétricos nos próximos anos”, afirma Ricardo Guggisberg, fundador do evento. O congresso acontecerá em 23 e 24 de setembro, das 9h às 18h, no auditório do Museu do Futebol, no Pacaembu. Serão dois dias de conteúdos, abrangendo diversos temas e segmentos da cadeia da eletromobilidade.

A primeira plenária será às 10h, no dia 23, envolvendo três temas relacionados: “Desafios para o Desenvolvimento da Eletromobilidade no Brasil” (pelo olhar da indústria), “Políticas Públicas de Alinhamento e Regulamentação do Setor Energético” (visão do poder público) e “Preparação dos Profissionais” (segundo pesquisadores). Na segunda plenária, entidades do setor farão propostas para incrementar o setor de veículos elétricos. Fechando a manhã, “Eletromobilidade no Mundo e o Desenvolvimento Global”, com cases de sucesso mundiais.

À tarde, simultaneamente, acontecerão: “Veículos Leves” e “Veículos Pesados”. Na primeira, com presença de montadoras, serão discutidos temas como: visão das fabricantes para os próximos dois anos; equilíbrio entre infraestrutura de recarga e autonomia dos veículos; garantia, substituição e descarte de baterias; e novos carros elétricos e híbridos que chegarão em breve.

Infraestrutura e tecnologia

Em “Veículos Pesados”, o foco será nas oportunidades que a indústria nacional tem para atender às demandas no mercado de veículos pesados. E mais. Como está a atuação dos VUCs (veículos urbanos de transporte) elétricos na logística de mercadorias das grandes cidades? Quais são os desafios da eletromobilidade no transporte público e como anda a gestão de frotas públicas?

No dia 24, às 9h, será a vez de “Infraestrutura, Tecnologias de Carregamento e Integração com o Ambiente Urbano”, com a participação de distribuidoras de energia. Entre outros pontos, quantos eletropostos por veículo elétrico rodando são necessários para abastecer o mercado, as melhores tecnologias de recarga e qual o plug a ser adotado no País.

Na outra sala, no mesmo horário, discussão sobre as chances de utilização de minério brasileiro na fabricação de células de bateria: materiais como lítio, grafeno, sódio e chumbo. Ainda serão avaliadas outras questões, como a melhor opção de baterias para o Brasil, a padronização e normatização das células e o percentual de recuperação dessa matéria-prima nas baterias após o uso.

De tarde, os assuntos serão “Veículos Levíssimos” e “Conectividade e Integração Tecnológica entre Veículos, Usuários e Sistemas de Mobilidade”. No primeiro, tópicos como: compartilhamento e opções de modais, as melhores regras para a convivência pública dos diferentes modais, oportunidades de empregos e políticas públicas na divisão dos espaços públicos entre os novos modais.

Em paralelo, a discussão envolverá pontos relacionados à comunicação dessas novas tecnologias, como a chegada do 5G na gestão e operacionalização da mobilidade elétrica, a logística conectada de frotas, os sistemas de conectividade e o compartilhamento de frotas elétricas.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login