Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Scooter elétrica compartilhada está de volta a São Paulo

Serviço de compartilhamento recebe patrocínio de banco e retorna com 50 unidades; por enquanto, atuação está restrita à zona sul da capital paulista

2 minutos, 31 segundos de leitura

27/01/2022

Por: Arthur Caldeira

Custo é de R$ 5,90 para os primeiros dez minutos e R$ 0,75 por minuto adicional; é preciso ter CNH na categoria A. Fotos: Divulgação/Renato Suzuki

O serviço de scooter elétrica compartilhada está de volta às ruas de São Paulo. Com patrocínio do Santander Brasil, 50 scooters da Riba estão disponíveis para utilização por meio do aplicativo Riba Share desde o último dia 25 de janeiro, aniversário da cidade.

Nesse primeiro momento, a área de atuação ainda está limitada à zona sul da capital paulista – nos bairros de Campo Belo, Vila Olímpia, Itaim Bibi, Jardim Paulistano, Jardim Paulista e Cerqueira César. As scooters elétricas estão disponíveis diariamente, das 6h às 23h, e podem ser estacionados em qualquer vaga pública para motos.

A iniciativa é a segunda parceria do Santander com a Riba. Em agosto do ano passado, o Banco financiou 36 motos elétricas da companhia num projeto-piloto da rede de pizzarias Domino’s. As motos são utilizadas por entregadores da franquia em seu delivery paulistano.

Área de atuação está limitada à zona sul da capital paulista

O serviço de compartilhamento de scooters elétricas, que deve ser expandido no futuro, segundo o banco, reforça os princípios de sustentabilidade para a mobilidade urbana. Em um ano, os veículos deixarão de lançar cerca de 20 toneladas de gás carbônico na atmosfera.

“O Santander tem se dedicado cada vez mais a projetos que atentam para a melhoria da vida em grandes centros urbanos. É o caso da nossa parceria com as motos elétricas de compartilhamento, que além de auxiliar na questão da mobilidade, por serem um meio de transporte acessível para a população, melhoram o ar que respiramos”, conta Carolina Learth, responsável pela área de Sustentabilidade do Santander Brasil.

OFERTAS 0KM

Como usar a scooter elétrica compartilhada

No aplicativo da Riba é possível, com um cartão de crédito válido, localizar as scooter e realizar o destravamento para uso – tanto para clientes ou não clientes da instituição financeira. A devolução também é feita no app.

Para usar o serviço é preciso baixar o app e ter cartão de crédito

Os veículos possuem seguro contra acidentes, são rastreados em tempo real, e não ultrapassam a velocidade de 50km/h. O capacete é de uso obrigatório, e uma unidade é disponibilizada no baú das motos Riba.

Para pilotar a scooter elétrica da Riba também é preciso ser maior de idade e possuir Carteira Nacional de Habilitação na Categoria A. A troca de baterias e manutenções preventivas das scooters fica a cargo da Riba.

O valor de locação é de R$ 5,90 pelos primeiros 10 minutos e R$ 0,75 por minuto adicional. Em simulação, a empresa calculou, para um mesmo trajeto, o custo de R$ 22,80 em aplicativo de transporte de carros e R$ 9,65 com as motos elétricas. De transporte público, o custo seria de R$ 4,40, mas o tempo gasto seria, pelo menos, quatro vezes maior do que o estimado com as scooters Riba.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login