Inovação

Nova Honda CBR 1000RR-R chega ao País mais potente e esportiva; conheça

Moto superesportiva da marca japonesa ganha tecnologia da MotoGP e novo motor de 216,7 cv de potência máxima; preço sugerido é de R$ 159.900

2 minutos, 59 segundos de leitura

13/09/2021

Por: Arthur Caldeira

Nova geração da Fireblade CBR 1000RR-R traz também nova eletrônica embarcada mais moderna. Fotos: Divulgação/Honda

A nova geração da Honda Fireblade, agora chamada de CBR 1000RR-R, finalmente chega ao País. Completamente nova, a superesportiva desembarca no Brasil somente na versão SP, mais preparada para as pistas e com tecnologias da MotoGP, por R$ 159.000. O modelo entra em pré-venda hoje, 13 de setembro, no site da marca, mas só deve chegar às lojas em outubro em duas opções de cores: preta e tricolor.

A Fireblade 2022 foi totalmente renovada. Design, motor, quadro, suspensões, freios e eletrônica embarcada foram desenvolvidos do zero, com o objetivo de deixar a nova CBR 1000RR-R, ainda mais potente e racing, como reforça o “R” a mais no nome.

Apresentada no Salão de Milão 2019, a nova Honda Fireblade CBR 1000RR-R buscou inspiração na RC-213V, modelo pilotado por Marc Marquez no Campeonato Mundial de MotoGP – veja o vídeo acima, com uma volta rápida no circuito de Barcelona com a superesportiva da Honda.

A nova Fireblade usa o mais potente motor de quatro cilindros em linha que a Honda já fabricou. Compartilhando o mesmo diâmetro e curso da MotoGP, a CBR1000RR-R tem uma potência máxima de 216,2 cv a 14.500 rpm e pico de torque de 11,5 kgf.m a 12.500 giros, enquanto pesa apenas 201 kg.

Nova geração da Fireblade pesa apenas 201 kg; relação peso potência é de 1,075 cv/kg

A CBR1000RR-R Fireblade na versão SP, a única que será comercializada no Brasil, tem ainda suspensão eletrônica Öhlins semi-ativa com garfos NPX de 43 mm e amortecedor traseiro Öhlins TTX36 Smart-EC. Nos freios, as pinças de quatro pistões montadas radialmente Brembo Stylema, de última geração, equipam a roda dianteira; já na traseira, há uma pinça monobloco Brembo, a mesma usada na moto de corrida.

Aerodinâmica da MotoGP

As linhas da carenagem também foram influenciadas pela campeã da MotoGP, tanto que a moto tem “aletas” na carenagem. O objetivo foi aumentar a “downforce“, isto é, a pressão aerodinâmica que mantem a moto colada ao solo em alta velocidade.

OFERTAS 0KM
Aletas na carenagem foram inspiradas na MotoGP e mantêm a estabilidade em altas velocidades

Com isso, a nova CBR 1000RR-R SP emprega aletas que geram força descendente semelhante à da RC 213V de MotoGP de 2018. Isso se traduz em uma diminuição do levantamento da roda dianteira em aceleração e maior estabilidade nas frenagens e nas curvas.

Na parte eletrônica, a CBR 1000RR-R ganhou um sensor de medição inercial (IMU) de seis eixos da Bosch. A nova IMU substitui a unidade de cinco eixos do projeto anterior, fornecendo cálculos extremamente precisos de guinada, inclinação e rotação para permitir um controle ainda mais preciso de todos os sistemas de auxílio à pilotagem, como o controle de tração, anti-wheeling, freios ABS e até um controle de largada, que ajuda a arrancar na frente no grid.

Mercado

Importada do Japão, a Honda CBR 1000RR-R SP chega por salgados R$ 159.000 ao País. O valor elevado é justificado pela Honda em função da alta do dólar.

Nova Honda CBR 1000RR-R tem painel digital e Smart Key

Porém, o preço sugerido de R$ 159.000,00 tem como base o Distrito Federal, e não inclui despesas com frete ou seguro – no Estado de São Paulo, por exemplo, onde a alíquota de ICMS é mais alta, a nova CBR 1000RR-R deve ser ainda mais cara. A garantia do modelo superesportivo é de três anos, sem limite de quilometragem.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login