Voltar
Meios de transporte

Vai de bike? Estacione com toda a segurança

Startup lança espaço para deixar as bicicletas com seguro e pagamento fácil por sistema de assinatura

21/08/2020 - 3 minutos, 11 segundos


estaciomnamento-para-bicicletas-da-bike-park
Um dos espaços da Bike & Park em um estacionamento de São Paulo. Foto: Divulgação

Um desafio frequente das pessoas que adotam a bicicleta como modal para seus deslocamentos diários é a falta de locais seguros para estacionar. O ciclista catarinense Daniel Kohntopp da Silva, 30 anos, sentiu essa necessidade logo que chegou a São Paulo, em 2011.

Leia mais:
Notícia no Seu Tempo Mês da Mobilidade #13: bicicletas nas periferias
Retorno da ciclofaixa é discutido no Podcast NST - Especial Mobilidade
4 modelos de bicicleta multifuncional

“Nunca gostei de deixar minha bike com corrente em postes e a maioria dos estacionamentos não aceitava o veículo. Então, comecei a pensar em um aplicativo para resolver isso”, conta Kohntopp.

Foi dessa dificuldade inicial que a Bike&Park nasceu, empresa que começou a operar em dezembro de 2019 com o propósito de facilitar a vida dos ciclistas que pedalam diariamente pela cidade de São Paulo.

De maneira resumida, o aplicativo indica estabelecimentos de acordo com o trajeto do ciclista, estacionamentos que são parceiros da startup e possuem seguro negociado pela B&P.

“Trabalhamos muito forte para ampliar nossa rede e estamos sempre em contato com novos estacionamentos para ampliar nossa rede de bicicletários à disposição dos usuários”, explica o fundador da empresa.

Fácil de usar

Por meio do app, o ciclista faz seu cadastro pessoal e o da sua bicicleta, enviando fotos e algumas informações iniciais, e a plataforma indica os pontos de estacionamento da rede de bicicletários da Bike&Park pelas regiões da cidade.

Dentro dos estacionamentos parceiros a empresa instala bicicletários no formato de ‘U’ invertido, onde o próprio usuário acomoda sua bike e coloca cadeado, equipamento que é obrigatório.

“O ciclista tem que fazer um check-in com o próprio celular, que é muito simples, via QR Code. Isso ativa a cobertura completa do seguro”, explica Kohntopp.

Para usufruir do serviço basta escolher um modelo de assinatura e a forma de pagamento. E ir para seus compromissos tranquilamente, pois as bicicletas possuem seguro da SURA com cobertura no valor de R$ 10 mil.

Foto: Divulgação/ Bike & Park

Em movimento

Desde o lançamento, em 2019, as mudanças na forma de operar da startup foram frequentes. “Durante o primeiro semestre de operação, oferecíamos 4 opções de planos. Hoje simplificamos e a assinatura para o ciclista é única e no valor R$ 15,00 ao mês, paga por 12 meses”, explica o fundador da B&P. Ele conta também que os usuários podem fazer um teste gratuito durante o primeiro mês.

Hoje a plataforma conta com mais de 1 mil ciclistas cadastrados, dos mais variados perfis, como pessoas que utilizam os estacionamentos em seus momentos de lazer, trabalho ou outros compromissos e até mesmo entregadores de aplicativos.

“Na pandemia, como tivemos queda no movimento, fizemos uma parceria com a Rappi, que disponibilizou os pontos para esses profissionais. Essa experiência nos motivou a pensar em ter pontos fixos para esse público nos bicicletários, oferecendo também armários e ponto de recarga para celular”, diz.

Outras parcerias também vão chegar aos usuários em breve. “Estamos criando grupos de ciclistas para passeios em trajetos e horários definidos, especialmente em trechos perigosos da ciclovia”, explica o fundador da B&P.

Opinião de quem usa

Um desses usuários é o advogado Rodrigo Guimarães da Silva Ferreira, 36 anos, que deixa sua bike em estacionamentos próximos à Rua Haddock Lobo, em São Paulo.

“Descobri o serviço logo no início da pandemia, em abril, porque tive que voltar para o escritório e resolvi ir de bicicleta. Achei super prático e funcional, porque com a mensalidade não é necessário pagar mais nada no estacionamento”, comenta.

Der acordo com ele, um ponto de melhoria seria aumentar a quantidade de vagas. “Porque já está ficando bem cheio. Por duas vezes não encontrei lugar no estacionamento que frequento, da rua Haddock Lobo”, diz Rodrigo.

Foto: Fernando Siqueira

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login