Buscando sugestões para:


Mobilidade para quê?

Venda de pneus de carga cresce no Brasil, apesar dos gargalos da pandemia

Venda de pneus de carga e comerciais leves para montadoras e lojistas superou marca de 16 milhões em 2021, mesmo com a falta do componentes

2 minutos, 42 segundos de leitura

01/02/2022

Por: Andrea Ramos

Venda de pneus de carga cresce no Brasil, apesar dos gargalos. Crédito: Divulgação

A venda de pneus de carga acompanhou o ritmo de crescimento dos veículos comerciais em 2021. Ou seja, o setor de pneus cresceu 10,6% na comparação com 2020. Na soma das vendas para montadoras e do mercado de reposição, o Brasil registrou, assim, um pouco mais de 8 milhões de unidades comercializadas. Os dados são da Associação Nacional das Fabricantes de Pneus (Anip).

Nesse sentido, a venda de pneus de carga para montadoras aumentou 22,7% em 2021 na comparação o ano anterior. Dessa forma, somou 1,8 milhão de pneus no ano passado ante os 1,5 milhão entregues em 2020. Do mesmo modo, no setor de reposição, a alta apresentada é de 7,4%. No ano passado, pouco mais de 6 milhões de pneus foram vendidos a lojistas. Em 2020, foram 5,5 milhões de pneus entregues.

Venda de pneus para comerciais leves

Segundo a Anip, as vendas totais de pneus para comerciais leves cresceram 22,9% em 2021. O segmento comercializou um pouco mais de 8 milhões de unidades, ante os 6,6 milhões em 2020. O bom resultado reflete a alta das vendas para o mercado de reposição. Ou seja, com 5,2 milhões de unidades comercializadas, subiu 17,8% em relação a 2020, quando o setor contabilizou 4,4 milhões de pneus entregues.

Do mesmo modo, a alta nas vendas para montadoras foi de 32,9%. Ou seja, as marcas venderam 2,9 milhões de pneus novos no ano passado. Enquanto isso, em 2020, foram 2,2 milhões de unidades.

Vendas superam período anterior à pandemia

Seja como for, as vendas totais de pneus para caminhões, ônibus e implementos rodoviários em 2021 ultrapassaram o registrado em 2019. Ou seja, antes da pandemia da Covid-19. Naquele ano, que foi considerado bom para o setor, o Brasil registrou 7,4 milhões de unidades entregues pela indústria. Logo, houve aumento razoável de 8,7% na comparação.

Scania/Divulgação

Mercado total

Em 2021, o mercado total – incluindo pneus de carga, comerciais leves, automóveis e motos – vendeu 56,7 milhões de unidades. Assim, apresentou alta de 9,6%, em relação a 2020, que somou 51 milhões de unidades. Entretanto, o mercado geral ficou abaixo de 2019. Naquele ano, a indústria de pneus fechou com 59 milhões de unidades.

Isso ocorreu por causa da queda nas vendas de pneus para veículos de passeios, cujas vendas caíram 12,1% em relação a 2019. “Apesar de apresentar alta em relação a 2020, as vendas totais de pneus fecham 4,5% abaixo dos números anteriores à pandemia. E aquém dos anos de 2017, 2018 e 2019 quando foram vendidos, em média, 59,3 milhões de pneus. Essa baixa se deve às vendas de pneus de carros de passeio para as montadoras, que em 2019 foi de 10,6 milhões. E, em 2021, caiu para 7,5 milhões”, analisa o presidente executivo da Anip, Klaus Curt Müller.

Gargalos e falta de componentes

Vale ressaltar que, apesar do aumento nas vendas, a indústria de pneus sofreu com escassez da borracha, muito em função de gargalos logísticos por causa da pandemia. Mas também ocasionados pelo aumento da demanda, estoques na China e uma praga que atacou as árvores que produzem a matéria-prima. Contudo, isso levou a indústria a atrasar entregas. Ou mesmo, em alguns casos, a entregar os veículos incompletos, com pneus faltando.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login