Mobilidade para quê?

Viagem na palma da mão

Selecionamos cinco apps para facilitar sua vida

7 minutos, 23 segundos de leitura

05/01/2022

Por: Daniela Saragiotto

viagem na palma mão
Tecnologia aplicada à mobilidade facilita a vida dos viajantes, principalmente, na alta temporada. Foto: Getty Images

Com as opções de mobilidade atualmente disponíveis, qualquer pessoa pode viajar, independentemente de ter carro próprio ou não. E mesmo quem tem automóvel pode optar por se deslocar de outra forma, de acordo com o perfil da viagem, o quanto quer gastar e suas preferências.

Dá para ir de ônibus, carro alugado ou mesmo dividir os gastos com combustível e pedágio de carro compartilhado, pegando uma carona. E, em algumas cidades, consegue usar bicicletas compartilhadas, quando chegar a seu destino.

Todas essas opções são contratadas de forma rápida e tecnológica, por meio de aplicativos. Para ajudar na escolha, selecionamos alguns apps disponíveis no mercado e suas principais características. Avalie qual a melhor opção e boa viagem! 

BlaBlaCar

Aplicativo de carona BlaBlaCar. Foto: Getty Images

Ir de carona pode ser econômico por causa da divisão dos custos com combustível e pedágios e, ainda, viajar com conforto. A BlablaCar, empresa conhecida pelo serviço de caronas entre usuários, completou, recentemente, seis anos de atuação no Brasil, atingindo a marca de 10 milhões de clientes, com um serviço disponível em todo País. E, desde outubro do ano passado, passou a oferecer também em sua plataforma passagens de ônibus, novidade que permite ao usuário reservar assentos nesses dois modais complementares.

“São mais de 12 mil rotas oferecidas pelo nosso marketplace de passagens de ônibus, somadas às mais de 30 mil para carpooling, ou carona solidária. Já fechamos contrato com 115 viações de todas as regiões e o objetivo é ter 150 empresas parceiras até o fim deste ano”, diz Frédéric Ollier, vice-presidente da América Latina da unidade de ônibus da BlaBlaCar.

Para quem quer encontrar uma carona para seu destino de férias em todo o Brasil, basta baixar o aplicativo, disponível, gratuitamente, para Android e iOS, preencher informações de cadastro e procurar passageiros que farão o mesmo deslocamento na data escolhida. A plataforma não se envolve no pagamento, que é feito, diretamente, entre os usuários, que também combinam entre si detalhes da viagem como ponto de encontro, entre outros.

Uma boa dica de segurança é ler as avaliações dos motoristas, bem como as notas que eles recebem. As viagens de ônibus também podem ser contratadas pela plataforma, mas a empresa recomenda ao passageiro entrar em contato, pouco antes do embarque, para confirmação do status e para obter outras informações, como as medidas de segurança contra a covid-19.

No e-mail de confirmação da compra do tíquete, é possível encontrar os canais de contato com as empresas.

Acesse o site da BlaBlaCar para mais informações.

Cinco rotas mais buscadas para caronas

• Praia Grande (SP)–São Paulo (SP)
• Cabo Frio (RJ)–Rio de Janeiro (RJ)
• Distrito Federal (DF)–Goiânia (GO)
• João Pessoa (PB)–Recife (PE)
• Rio das Ostras (RJ)–Rio de Janeiro (RJ)

Cinco rotas mais buscadas para passagens de ônibus 

• Florianópolis (SC)–Porto Alegre (RS)
• Aracaju (SE)–Salvador (BA)
• Rio de Janeiro (RJ)–São Paulo (SP)
• Capão de Canoa (RS)–Porto Alegre (RS)
• Campinas (SP)–São Paulo (SP)

Buser

ônibus da buser
Há quatro anos no Brasil, Buser interliga mais de 500 cidades. Foto: Divulgação Buser

As plataformas tecnológicas têm contribuído muito para o crescimento do setor de transporte rodoviário no Brasil: o estudo da consultoria LCA batizado de Anuário LCA/Buser de Transporte Rodoviário de Passageiros no Brasil estima que esse mercado pode aumentar até 29,7% até 2025.

Viajar de ônibus pelo sistema de fretamento colaborativo pode ser uma boa opção nas férias, por causa do preço reduzido das passagens. A Buser, há quatro anos no País, interliga acima de 500 cidades de todas as regiões, contabilizando mais de 4,5 milhões de clientes e prometendo viagens até 60% mais baratas que as linhas tradicionais.

O sistema de fretamento colaborativo e a conexão entre quem deseja viajar e empresas de fretamento registradas são o que possibilita essa redução. Para quem se interessar, basta preencher o cadastro no site ou aplicativo, buscar as viagens para o destino desejado, escolher entre as opções de empresas parceiras – lendo os comentários dos usuários e fazendo opções do tipo de poltrona, entre outras preferências –, fazer o pagamento e aguardar a viagem.

Acesse o site da Buser para mais informações.

Buson

Buson oferece mais de 70 mil rotas entre destinos no Brasil, na Argentina e no Uruguai. Foto: Getty Images

A empresa, ex-Guichê Virtual, passou a se chamar Buson, em outubro deste ano, após reposicionamento da marca. Atualmente, conta com 250 operadores parceiros para venda de passagens de ônibus, com trajetos que cobrem todo o Brasil e parte do Cone Sul, com rotas para países como Uruguai e Argentina.

No total, os consumidores têm 70 mil rotas à disposição. “Esse mercado, de maneira geral, no País, caiu em torno de 50%, em 2020, mas nós registramos uma desaceleração menor, de 15%, resultado das parcerias que fechamos. E vamos finalizar 2021 dobrando as vendas”, diz Thiago Carvalho, CEO da Buson.

De acordo com ele, a principal mudança com a pandemia foi o fato de que muitas empresas de ônibus deixaram de exigir a retirada do bilhete de forma física, no balcão, antes do embarque. “Isso sempre foi um dos fatores que os usuários classificavam como incômodo e, atualmente, cerca de 2/3 do total de parceiros com quem trabalhamos têm embarque fácil, direto. E quem ainda não faz dessa forma já estuda mudar, por causa da concorrência”, diz Carvalho. 

Destinos mais buscados

• São Paulo (SP)–Curitiba (PR); São Paulo (SP)–Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP)–Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF)–Goiânia (GO), Porto Alegre (RS)–Florianópolis (SC) e de São Paulo (SP) para diversas cidades do litoral sul paulista, como Santos, Praia Grande

Acesse o site da Buson para mais informações.

Turbi

Alugar carro também pode ser boa opção para as férias. Foto: Getty Images

Se a ideia for fazer uma viagem com um carro alugado partindo de São Paulo, a Turbi pode ser uma boa opção. O aplicativo oferece uma experiência 100% digital – até o desbloqueio do automóvel é feito pelo celular, sem contato, nos estacionamentos da empresa. Atualmente, ela opera em cidades de São Paulo (capital), Guarulhos, Santo André, São Caetano, São Bernardo, Osasco, Barueri e Taboão da Serra.

A empresa oferece aluguel de carro por horas livres e por pacote (12, 24, 48 horas, 7 e 30 dias), e fecha o mês de dezembro com 300 estacionamentos de retirada e devolução de automóveis. A gasolina e o seguro contra terceiros são por conta da empresa e o usuário paga pelo tempo de locação do automóvel.

Levando em conta os valores no site da Turbi na primeira semana de dezembro, um hatch automático (Polo, Onix ou HB20) sai a partir de R$ 13 por hora ou R$ 90 por dia, no pacote de sete dias. Um SUV automático (T-Cross, Kicks ou Jeep Renegade) custa a partir de R$ 19 por hora ou R$ 140 por dia, no pacote de sete dias.

No site ou no app, há uma ferramenta que, após preencher a quilometragem a ser percorrida e o tempo de uso, sugere aos interessados o pacote mais econômico. Os veículos são retirados nos diversos estacionamentos conveniados com a empresa, que funcionam 24 horas, e a devolução precisa ser feita no mesmo local.

Acesse o site da Turbi para mais informações.

Bike Itaú e CicloSampa

Bike Itaú está nas principais capitais do País, além de cidades como Santiago no Chile. Foto: Divulgação BikeSampa

Se você já chegou a seu local de férias e quer pedalar, diversos destinos nacionais e internacionais com contam com apps de compartilhamento de bike.

O Bike Itaú possui estações em São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Salvador, Porto Alegre e até na cidade de Santiago, no Chile. Em todos os lugares, o sistema é o mesmo: é preciso baixar o aplicativo no celular, desbloquear a bicicleta escolhendo o plano e devolver o equipamento após o passeio.

O CicloSampa, do Bradesco, também oferece equipamentos para compartilhamento em 20 estações na capital paulistana, que interligam os pontos no entorno das ciclofaixas da cidade. Ele funciona todos os dias, das 6h às 22h, sendo que os primeiros 30 minutos são gratuitos.

Basta instalar o aplicativo no smartphone, escolher uma bicicleta em um dos locais de partida, pedalar e devolver a bike em qualquer estação da empresa.

Para mais informações, acesse o site do CicloSampa e da Bike Itaú.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login