Buscando sugestões para:


Na Perifa

Coletivo usa jogos de tabuleiro para falar de política

Objetivo é aproximar a sociedade civil das questões que afetam o dia a dia dos brasileiros

3 minutos, 51 segundos de leitura

29/04/2022

Por: Núbia da Cruz

Coletívo 3 Palitos leva a educação política para todos os públicos. Foto: divulgação

Qual a função dos políticos em cada um dos poderes (executivo, legislativo e judiciário)? O que faz o Supremo Tribunal Federal? E o vereador? Estas questões podem parecer básicas, mas a verdade é que muitas pessoas não sabem responder e/ou não têm interesse em aprender. Mais uma pergunta: qual é o preço da desinformação? A resposta mais simples é: um povo que desconhece os conceitos fundamentais de política, cidadania e democracia não sabe votar, escolhe mal seus representantes. E fica enfraquecido na hora de lutar por seus direitos.

Na pesquisa Panorama Político 2022: Opiniões sobre Sociedade e Democracia, do Instituto Datasenado e da Universidade de Brasília (UnB), só 53% dos entrevistados disseram ter interesse por política. e um dos motivos, indica a pesquisa, é a desinformação sobre o sistema político. 

Partindo do princípio de que a política pode ser explicada de forma simples e atraente para todo mundo, o coletivo de ação educativa 3 Palitos usa jogos de tabuleiro para transmitir conhecimento e engajar a sociedade na participação política. O nome do grupo é a combinação de uma expressão popular de agilidade (dois palitos) e do três contido nos três poderes da República.

Formado em 2016, em São Paulo, por colegas de faculdade de jornalismo (Felipe Neves, Alexandra Papini, Gerson Camargo e João Almeida), o 3 Palitos usa uma metodologia própria para aproximar a sociedade civil da política institucional e levar informação aos cidadãos de todas as idades.

Oficinas e metodologias – Por meio de jogos, os conceitos são trabalhados entre os participantes das oficinas e dos cursos. “Nossa proposta é levar o elemento lúdico, a brincadeira e a conversa”, explica Alexandra.

Um exemplo de aplicação do método é o jogo Cara a Cara. Os participantes são colocados diante de nomes do atual cenário político e precisam identificar quem são eles. “Isso já um exercício, porque quando você fala ‘Esse aqui é o ministro da educação’, [surge a pergunta] mas espera, o que um ministro faz?”, diz Felipe. Para ele, a cereja do bolo é a brincadeira Passa Lei — um jogo de tabuleiro que simula um projeto de lei dentro do Congresso Nacional. Cada jogador pega uma ideia e precisa fazer o caminho dentro do Congresso para que ela seja aprovada ou vetada pelo presidente da República. Nas jogadas, as pessoas aprendem também qual é o momento a sociedade em que a sociedade civil pode participar da tramitação. 

Resistência ao tema — Em cinco anos de existência, o 3 Palitos já fez levou suas oficinas a muitos lugares, em parceria com instituições como a Fundação Getúlio Vargas. Esteve também Esporte Clube Pinheiros, em bibliotecas públicas, cursinhos populares e unidades do Sesc, mas Felipe conta que a iniciativa já encontrou resistência e aversão ao debate. “A maior parte dos lugares têm uma resistência, porque acha que vai ser polêmico demais, principalmente a escola pública”, diz. “Não existe uma demanda por aulas de educação política a gente está tentando mostrar que é importante e que não precisa ser nem chato, nem maçante, nem partidário.”

Formação cidadã – Uma das dinâmicas das oficinas 3 Palitos é pedir aos participantes que digam o que é política em uma palavra. “No primeiro dia é sempre ‘roubalheira’, ‘corrupção’, ‘desperdício’, uma visão muito negativa”, conta Felipe. “Ao final do curso, repetimos a pergunta e as pessoas usam outros termos, como ‘orçamento’, ‘oportunidade’, ‘mudança’, ‘transformação’”. 

Um caso que mostra a efetividade do projeto aconteceu na primeira escola pública visitada. No exercício final, os adolescentes tinham que identificar e resolver, na escola, um conflito, uma questão problemática. O incômodo que surgiu foi: no calor, só meninos podiam usar bermudas. Com isso, nasceu uma mobilização, e os alunos fizeram um abaixo-assinado que passou das trezentas assinaturas. “A intenção é mostrar que podem se mobilizar e chegar às instituições”, resume Felipe.

Para fazer a oficina 

O coletivo3 Palitos promove oficinas em escolas e espaços públicos. Para agendar e combinar um encontro, basta enviar e-mail para o endereço: projetotrespalitos@gmail.com ou entrar em contato com o grupo atráves do perfil nas redes sociais.

Os integrantes do projeto enxergam uma mudança de visão dos participantes após as aulas. Foto: divulgação

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login