Patrocinados

Rayssa Leal, a Fadinha, inspira meninas a andar de skate

Representatividade, coragem, diversão, encantamento: atleta desperta entusiasmo nas garotas

2 minutos, 16 segundos de leitura

08/08/2021

Por: Estadão Expresso

Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Em cima de um skate e do alto dos seus 13 anos, Rayssa Leal conquistou mais do que uma prata histórica nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Conhecida como Fadinha, ela despertou o interesse e o amor pelo esporte entre outras meninas – que puderam enxergar na atleta uma amiga, uma super-heroína e até uma princesa. A semana começou com muitos pais ouvindo o seguinte pedido: “Me compra um skate?”

Com reportagem de Gilberto Amendola, O Estado de S. Paulo

Estela Zollinger. Foto: André FranEstela Zollinger. Foto: André Fran

Estela Zollinger. A filha do jornalista e colunista do Estadão André Fran tem 5 anos e quer andar de skate. “Isso abre uma questão de representatividade. Ela me perguntava: é uma menina? Ela é criança?”, diz Fran. “De manhã, quando acordou, começou a falar da Fadinha. Isso também remete aos desenhos, à Disney, aos contos de fadas. Foi muito legal de ver”

Ana Clara Luz. Foto: Daniel Teixeira/Estadão
Ana Clara Luz. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Ana Clara Luz. Ela também é chamada de Fadinha e tem 5 anos. O pai tatuador, Renan Teixeira, trabalha em um estúdio com uma pista de skate no fundo. “Ela praticamente nasceu em uma pista”, conta. Ana tem todos os equipamentos e o jeitão de uma skatista profissional. “Ela só tem 5 anos, não presta tanta atenção em competição, mas se identifica”

Sophie Oliver Maranhão. Foto: Daniel Teixeira/EstadãoSophie Oliver Maranhão. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Sophie Oliver Maranhão. Aos 6 anos, Sophie quer ser etilista e sonha com modelos entrando na passarela de skate. Vai usar o que está aprendendo na futura profissão. A mãe, a diretora de inovação Bárbara Olivier, acredita que o melhor do skate para uma criança tão nova são as lições de “como lidar com o medo, a busca pelo equilíbrio e a diversão”

Malu Mendes Graziella. Foto: Karina Mendes CorreaMalu Mendes Graziella. Foto: Karina Mendes Correa

Malu Mendes Graziella. “Eu vi a Fadinha, torci muito por ela. Eu também treino bastante e já participei de campeonatos”, diz Malu. Ela tem 11 anos e anda de skate desde os 8. Sua primeira referência foi o irmão Leonardo, de 13 anos, o primeiro a praticar o esporte na família. Agora, é a vez de Malu passar os conhecimentos. Ela já ensina o caçula Rodrigo, de 7 anos

Nina Rafea Kuffer. Foto: Diego KufferNina Rafea Kuffer. Foto: Diego Kuffer

Nina Rafea Kuffer. “Quero um skate rosa com um desenho de OSGEMEOS”, diz Nina, de 5 anos. Ela lembrou de uma promessa do pai: “Ele disse que, quando eu conseguisse andar de bicicleta sem rodinhas, eu ia ganhar meu próprio skate. Eu consegui!”, cobrou Nina. Ela já pratica com a ajuda do pai, o fotógrafo Diego Kuffer, de 41 anos, e a irmã, Maya Racca Kuffer, de 11.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login