Patrocinados

Volkswagen já produz e vende caminhões com zero emissão

Primeiro modelo 100% elétrico produzido no Brasil possui autonomia de até 250 km

3 minutos, 49 segundos de leitura

25/10/2021

Por: Volkswagen Caminhões e Ônibus, Estadão Blue Studio

Modelo 100% elétrico foi desenvolvido e produzido no Brasil. Foto: Marco Ankosqui/Estadão Blue Studio

Desde julho estão à venda os caminhões e-Delivery de 11 e 14 toneladas. Os dois modelos são 100% elétricos, foram desenvolvidos para entregas urbanas e transformaram o futuro da distribuição em realidade. Ambos utilizam um motor elétrico com 300 quilowatts de potência (equivalentes a 408 cavalos) e podem ser equipados com seis ou três pacotes de baterias. A primeira opção fornece até 250 quilômetros de autonomia, e a segunda, até 110, considerando veículos totalmente carregados e com ar-condicionado ligado.

“Já tivemos 200 unidades vendidas, 80 delas sem que os clientes tivessem ao menos experimentado”, recorda o vice-presidente e board member para Vendas, Marketing e Serviços, Ricardo Alouche. Metade desses 200 caminhões será entregue para a Ambev, cuja intenção de compra total é de 1.600 unidades.

Alouche explica que a participação do e-Delivery nas entregas urbanas ainda é pequena porque ele foi lançado recentemente. Para se ter uma ideia, o primeiro lote de 200 unidades esgotou em um mês. Não faltarão motivos para o incremento das vendas. “Os caminhões 100% elétricos representam uma redução de 65% em consumo de energia [se comparados aos modelos a diesel] e têm custo de manutenção 30% menor”, diz.

Outra vantagem destacada pelo executivo é a maior disponibilidade, já que o funcionamento silencioso permite a utilização em grandes centros urbanos de manhã ou à noite. O e-Delivery também transporta 60% mais carga que a concorrência, além de contar com uma rede de 150 concessionárias e capacidade de atendimento em todas as regiões do País.

Ricardo Alouche, vice-presidente da Volkswagen. Foto: Marco Ankosqui/Estadão Blue Studio

Os e-Delivery de 11 toneladas são sempre 4×2, e os de 14 toneladas, 6×2. O que pode variar é a distância entre- eixos, que vai de 3,3 a 4,4 metros. A medida menor permite sua utilização como veículos urbanos de carga (VUCs).

“Os modelos permitem a instalação de diversos tipos de implementos, trazendo versatilidade para os mais diversos tipos de operação”, recorda o gerente de Marketing de Produto, Bruno Schonhorst. Essa possibilidade de configuração de entre-eixos de fábrica dá ao cliente a oportunidade de configurar corretamente o veículo de acordo com seu implemento, trazendo vantagens tanto para o processo de implementação como para a vida do veículo.

“No caso dos e-Delivery de 14 toneladas, o uso predominante será a distribuição urbana de cargas mais densas, como bebidas . Nessa configuração de VUC, o veículo pode transportar seis pallets”, acrescenta Schonhorst. 

Melhor desempenho

Caminhões podem ser equipados com três ou seis pacotes de baterias. Foto: Marco Ankosqui/Estadão Blue Studio

Para quem tem dúvida sobre o desempenho dos e-Delivery, o gerente de Marketing de Produto lembra: “Seu motor tem potência equivalente a mais de 400 cavalos, e o caminhão entrega um torque instantâneo de 2.150 newtons-metro. Isso dá ao e-Delivery uma performance excepcional para atender a qualquer aplicação com robustez e performance”.

Para o diretor de Marketing, Luciano Cafure, o que motivou a companhia a investir mais de R$ 150 milhões nos novos caminhões foi a sustentabilidade. “Esse é um compromisso mundial do Grupo Volkswagen e do Grupo TRATON, com a meta de zerar as emissões de carbono até 2050. Não podemos pensar no futuro sem pensar no meio ambiente. Essa foi a decisão da Volkswagen Caminhões e Ônibus ao desenvolver um caminhão 100% elétrico.” Vale dizer também que em curto prazo, até 2025, o Grupo Volkswagen quer reduzir em 25% sua pegada de carbono.

Cafure recorda que o primeiro grande parceiro da Volkswagen Caminhões e Ônibus para o e-Delivery foi a Ambev. “O transporte de bebidas é uma operação bastante severa e o desenvolvimento teve como base o uso real na aplicação dos caminhões. Nosso grande desafio foi juntar a tecnologia de ponta disponível hoje no mundo da eletromobilidade com o desenvolvimento local.”

O diretor de Marketing estima que as primeiras 200 unidades vendidas entrem em operação até o fim do primeiro trimestre de 2022 após o encarroçamento. “Estamos fazendo história. Esse é o primeiro caminhão 100% elétrico produzido em série no Brasil. Muitas empresas estão buscando dar esse passo em toda a sua cadeia de produção sustentável e o e-Delivery vem no momento certo para reforçar o ESG delas”, afirma, referindo-se à sigla em inglês de Governança Ambiental, Social e Corporativa . 

Os valores aproximados do e-Delivery vão de R$ 780 mil (11 toneladas e três pacotes de baterias) a R$ 980 mil (14 toneladas e seis pacotes).

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login