Connected Smart Cities

A necessidade em ter um anuário das cidades inteligentes no País

Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility

2 minutos, 43 segundos de leitura

01/09/2021

Foto: Divulgação Necta

No próximo ano, mais um capítulo importante para
as cidades inteligentes no Brasil será construído. Trata-se da elaboração e do lançamento do primeiro Anuário Brasileiro das Cidades Inteligentes. De caráter estruturante, esse anuário irá organizar, processar
e analisar o atual estágio de desenvolvimento dos municípios inteligentes no Brasil, ponderando as particularidades urbanas nacionais.

Ainda, será também uma vitrine de boas práticas ao caracterizar as principais ações já implementadas no território brasileiro. Sendo um trabalho inovador e único de seu tipo no Brasil, existem algumas motivações por trás da iniciativa. Enxerga-se, por exemplo, a lacuna existente de um documento que transmita os principais avanços e movimentos desse campo, que avança no País.

Ainda, eleva-se a motivação de fazer uma discussão de forma estruturada, ponderando os eixos temáticos de desenvolvimento para as cidades inteligentes, como economia local, educação, mobilidade, com critério e rigor metodológico analítico. Ora, publicar e disseminar as informações de uma forma estruturada é fundamental para divulgar o campo dos municípios inteligentes no Brasil, que se encontra permeado por indefinições e apresenta barreiras de ordens distintas.

INSPIRAR NOVAS AÇÕES

Ainda, é imperativo debater possibilidades de melhorias no ecossistema das cidades inteligentes brasileiras e delinear, de alguma forma, os próximos passos pertinentes ao desenvolvimento das smart cities no País. Será um exercício que visa inspirar e propulsionar ações nessa direção por outros municípios. Esse esforço será realizado numa parceria entre organizações de ampla experiência e múltiplas expertises ligadas ao tema. Temos a Necta, empresa que desenvolve plataformas de conteúdo como o Connected Smart Cities e demonstra um ranking próprio e destacável para tratar dessa temática, elaborado em parceria com a Urban Systems; Barassa & Cruz Consulting (BCC), com ampla experência em análises setoriais no contexto das inovações e tecnologias verdes, tendo escrito o primeiro Anuário Brasileiro da Mobilidade Elétrica, em 2021. E, por fim, a Urban Systems, empresa especializada em análise de dados das cidades sob diferentes perspectivas (demografia e mobilidade, por exemplo).

DIVULGAÇÕES BIMESTRAIS

O anuário será publicado e divulgado na íntegra na oitava edição do Connected Smart Cities, a ser realizado em outubro do ano que vem.

Até lá, será divulgado um conjunto de releases bimestrais ao longo de 2022, conforme o avanço e o progresso desse trabalho. Em suma, buscou-se, aqui, trazer alguns elementos que refletem a importância, as motivações e os conteúdos aos quais o anuário irá se debruçar. Neste momento, cabe o engajamento do time executor em avançar nessa construção; e, ao leitor, acompanhar as novidades relacionadas.

“Construir um anuário desse tipo vai além de sistematizar e analisar as informações dos municípios; trata-se de um exercício de inspirar boas práticas e apontar os rumos e caminhos necessários para o avanço e o progresso das cidades inteligentes no Brasil.” Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do Connected Smart Cities & Mobility; Willian Rigon, diretor comercial da Urban Systems; e Edgar Barassa Founder da BCC – Barassa & Cruz Consulting

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login