Aluguel por aplicativo

Depois das startups, montadoras testam serviços de aluguel para pessoas físicas. Usando a capilaridade de suas concessionárias e o apoio de divisões financeiras e seguradoras, fabricantes entram no segmento de locação, ainda limitado a veículos mais caros



No cenário em que começa a fazer sentido apenas usar o carro em vez de possuí-lo, o modelo de aluguel por aplicativo é a solução para quem precisa de um veículo e valoriza uma série de facilidades, como ter seguro, manutenção e impostos embutidos no preço.

De olho nas locadoras e startups, as montadoras estão entrando neste tipo de negócio com mais confiança. 

Fora do Brasil já existem experiências mais prósperas em segmentos de luxo. Por aqui, a General Motors ensaiou um programa de compartilhamento de veículos com funcionários, extinto no auge da pandemia.

A Nissan estuda expandir um programa similar ao que oferece a colaboradores e parceiros, e o Grupo Caoa pretende adicionar pessoas físicas às locações que hoje só estão disponíveis a empresas.

Turbi adota aluguel por aplicativo por horas

diego-lira-ceo-da-Turbi
1.500 veículos na frota, incluindo Mini Cooper

Fundada em 2017, a Turbi também é 100% digital e sua frota possui 1.500 veículos, que ficam disponíveis em 500 pontos da Grande São Paulo (capital, Guarulhos e Barueri).

O carro pode ser alugado por horas e é destravado pelo aplicativo. Toda frota é composta por veículos automáticos e com tag de pedágio e de estacionamento. Entre os modelos, há SUVs, Mini Cooper Cabrio e BMW M 235i.

  • 1.500 veículos na frota, incluindo SUVs e até Mini Cooper e BMW
  • 500 pontos de retirada e devolução na Grande São Paulo
  • Todos carros são automáticos e vêm com tag de pedágio

“O grande diferencial da Turbi é a possibilidade de locação por hora. Caso a necessidade de transporte seja pontual, o usuário pode alugar o carro sem a necessidade de uma diária completa”, afirma Luiz Bonini, CGO da Turbi. 

Os aluguéis partem de R$ 10 por hora e mais R$ 0,50 por quilômetro rodado. Se o abastecimento for necessário, há um cartão de combustível no porta-luvas. “O motivo deste modelo é simplificar a vida do usuário, que não precisa devolver o carro com tanque cheio. Logo, o pagamento é feito de forma variável na quilometragem”, afirma Bonini. Em contrapartida, o carro deve ser entregue no mesmo ponto onde foi retirado. 

  • Aluguel parte de R$ 10 a hora e R$ 0,50 por km rodado
  • Abastecimento é por conta da empresa

Desde setembro de 2020, é possível reservar o carro no aplicativo para datas futuras, no raio de retirada e devolução. A startup desenvolveu algoritmo que viabiliza o agendamento de veículos de uma frota que roda dinamicamente, sem travas de horário de devolução.

“O carsharing está totalmente integrado ao momento de mudança de comportamento, no qual usufruir é mais interessante do que possuir. Cada vez mais pessoas e empresas percebem as vantagens de alugar um veículo, em vez de investir em um ativo que gera custos fixos e sofre depreciação”, ressalta o CGO da Turbi. 

Beepbeep dispõe de frota elétrica para aluguel por aplicativo

carro-eletrico-da-frota-da-beepbeep
Carro elétrico da frota da Beepbeep

A mobilidade elétrica já está presente na Beepbeep, plataforma que opera desde julho de 2019 em cidades paulistas como São Paulo, São José dos Campos, Campinas e nos aeroportos de Guarulhos e Viracopos.

O diferencial é só trabalhar com veículos elétricos e one way: é possível pegá-lo em um aeroporto e deixá-lo em outra estação de recarga. Na capital, por exemplo, as estações concentram-se nas regiões sul e oeste — supermercados, estacionamentos, condomínios corporativos, shopping centers e hotéis.

A empresa dispõe de 60 estações, que cuidam da recarga e da higienização dos automóveis. 

Hoje, a frota de 35 veículos tem modelos como Renault Zoe e JAC iEV40. O pacote é por minutos: começa em R$ 0,60 até seis horas e vai diminuindo até o plano de 48 horas, que sai por R$ 0,12 o minuto.

Há, ainda, um custo de R$ 7,90 do desbloqueio. Em uma hora de uso, gasta-se R$ 43,90 e uma diária sai a R$ 195, com seguro.

A autonomia dos veículos é de aproximadamente 300 km e a recarga pode ser feita em qualquer estação sem custo. “Se viajar entre cidades por uma hora, o usuário paga R$ 43,90. Estamos bem competitivos”, afirma André Fauri, fundador e CEO da Beepbeep. 

  • 60 estações para deixar o carro e onde são feitas recarga e higienização
  • Dois modelos: Renault Zoe e JAC iEV40
  • Pacotes por minuto são regressivos: começam em R$ 0,60 e vão até R$ 0,12 
  • Há taxa de R$ 7,90 para desbloqueio 

Fauri destaca alguns perfis de usuários: são pessoas que não querem ter um carro, casais que venderam o segundo veículo — e um deles precisa se locomover eventualmente — e executivos que viajam para fazer uma visita ou reunião. “Cerca de 70% são homens, de 25 a 45 anos”, afirma.

Toyota aluga por hora, dia ou mês

Aluguel por montadoras - KINTO
Kinto Share oferece carros Toyota e Lexus por horas ou dias

É da Toyota a Kinto, divisão de mobilidade que oferece plataforma de compartilhamento de veículos da marca. São 34 concessionárias participantes nos principais centros comerciais do Brasil e 130 veículos disponíveis.

A contratação pode ser por hora, dia ou mês, limitado a 30 dias e seguro incluído. “Atualmente, temos todo o portfólio Toyota e Lexus na plataforma, contando os modelos híbridos das duas marcas.

O preço médio do aluguel diário de um Corolla Altis Premium HV é de R$ 290 e de um Etios Sedan X+ 1.5 AT sai por R$ 144”, afirma Roger Armellini, diretor de Mobilidade da Toyota e diretor comercial da Kinto. Todo o processo é digital, por meio do aplicativo Kinto Share.

  • Kinto Share oferece carros Toyota e Lexus por horas ou dias
  • Diária de um Corolla híbrido sai a R$ 290
  • Em um ano, mais de 70 mil pessoas baixaram o app
  • A Kinto registrou 18 mil usuários
  • 1.200 carros já foram alugados
  • 34 são as concessionárias participantes

Caoa e Nissan entrarão em breve no modelo aluguel por aplicativo

Aluguel por montadoras - Nissan Intelligent Mobility
Kicks, March e Versa são os automóveis que estão no projeto de locação piloto da Nissan

A Caoa, conglomerado de distribuição e fabricação de automóveis (Chery e Hyundai), já oferece aluguel por aplicativo para pessoas jurídicas.

A empresa planeja até o fim do ano um programa de locações de curto ou longo prazo para pessoas físicas. “A grande quantidade de concessionárias espalhadas pelo Brasil nos permite iniciar a locação dos nossos veículos para pessoa física”, afirma Jack Nunes, diretor executivo comercial do Grupo Caoa.

Uma das opções será oferecida quando o cliente deixar seu carro na oficina, com a possibilidade de locação por horas ou alguns dias. Haverá ainda a modalidade de assinatura, por um período mínimo de 12 meses. Ao término do prazo, ele terá a opção de compra com desconto ou prorrogação da locação. Modelos, preços e condições serão divulgados em breve. 

Outra montadora que avançou em seu projeto piloto é a Nissan, atualmente com dois programas em curso. Um deles é destinado a funcionários, lançado no início de 2019, e que entrará em sua quarta fase.

Já o projeto piloto de locação, iniciado em fevereiro, é destinado aos funcionários de fornecedores e prestadores de serviços que atuam na Nissan. As ofertas são dirigidas aos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná, onde a marca possui sede, fábrica e escritórios regionais. 

Os automóveis presentes nesta etapa são Kicks, March e Versa. Os contratos de locação têm duração de 12 meses, com direito às revisões periódicas, seguro completo, assistência 24 horas e opção de compra com desconto após o término do período. Não há, contudo, previsão de quando a montadora fará um programa semelhante para o público geral.