Voltar

Embaixadores

Marcello von Schneider

Diretor da divisão de ônibus e caminhões elétricos da BYD Brasil

Meios de transporte

A logística como propulsora da transformação sustentável na mobilidade

Os ônibus rodoviários de fretamento 100% elétricos romperam uma barreira importante quando conseguiram alcançar uma autonomia de 350 quilômetros.

27/10/2020 - 2 minutos, 28 segundos


logística - onibus fretado byd
Foto: Divulgação BYD

Os primeiros passos da eletrificação da mobilidade no Brasil ganham um forte e importante aliado, o setor de logística. Empresas preocupadas com uma operação sustentável travam uma disputa saudável pelo pioneirismo na transformação verde. De olho nesse movimento, o Brasil homologou o seu primeiro ônibus 100% elétrico para fretamento rodoviário. Agora, o País vê as primeiras unidades começarem a rodar e com capacidade de crescimento exponencial. 

Leia mais:
O mercado potencial da mobilidade elétrica no Brasil
Transporte executivo abraça a tecnologia
Ônibus Mercedes-Benz OF 1721 é líder de vendas há sete anos

Os elétricos com zero emissão de poluentes no setor de logística podem se tornar, em um curto espaço de tempo, a catapulta para que as empresas se enquadrarem no conceito ESG, que considera impactos em três eixos: sustentabilidade, social e governança. O conceito ESG vem transformando o mercado, que começa a dar maior relevância a essas empresas que se tornam mais resilientes, com menor custo de capital e menos suscetíveis a quedas em cenários adversos. 

Os ônibus rodoviários de fretamento 100% elétricos romperam uma barreira importante quando conseguiram alcançar uma autonomia de 350 quilômetros, o que permite às empresas realizarem operações de curtas e médias de distâncias ou um dia de operação, sem necessidade de recarga no período. Além disso, o veículo chega ao mercado com rápida capacidade de recarga de, no máximo, quatro horas. Os rodoviários de fretamento já foram homologados por duas encarroçadoras, a Comil e a Marcopolo, o que revela a relevância da inovação para o mercado. 

As operações de fretamento já rodam de Norte a Sul do País: Unicamp (Campinas/SP), EDP Porto de Pecém (Fortaleza/CE), Fadesp (Belém/PA), VIX Águia Branca e Vale/Unimar (Vitória/ES). 

Para os passageiros, andar em um ônibus elétrico garante ainda um novo patamar em segurança e conforto. Além do silêncio proporcionado pelo veículo elétrico, a utilização de uma suspensão integral a ar reduz sensivelmente a trepidação. No fator segurança, destaca-se a utilização do sistema de freios a disco, ABS e controle de tração de última geração. Os usuários também se beneficiam de sistema wi-fi, refrigeração total da cabine e tomadas USB em todas as poltronas –  itens indispensáveis em qualquer veículo novo.

Somam-se a todos as vantagens de sustentabilidade, conforto e segurança o fato de os ônibus elétricos serem ainda econômicos em sua operação, apresentando uma redução de custos que varia entre 60% a 70% na comparação a um a diesel convencional. As razões para o baixo custo de operação podem ser creditadas a dois fatores: menor gasto a partir da substituição do diesel pela energia elétrica e o baixo custo da manutenção, garantido pelo número reduzido de peças e engrenagens existentes em um ônibus elétrico.

Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião do Estadão

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login