Voltar

Conteúdo original Estradão Estadão

Meios de transporte

Scania acumula dados de 2,9 bilhões de quilômetros todos os meses

Fabricante reúne informações das operações de 360 mil caminhões conectados em todo o mundo

Da redação

01/04/2019 - 2 minutos, 40 segundos


A conectividade veio para ficar e a cada ano mais transportadores enxergam os benefícios que a tecnologia é capaz de promover no negócio de transporte, especialmente no que diz respeito às reduções nos custos operacionais e na disponibilidade do veículo para o trabalho.

Leia mais:
São Paulo ganha a maior frota de ônibus elétricos do País
Caminhões 8x2: um nicho que chegou para ficar
Combustível alternativo para caminhões é desafio no Brasil

A Scania, por exemplo, com a oferta dos chamados Serviços Conectados, o que inclui os planos manutenção da empresa, os contratos cresceram 68% em 2018 em relação a 2017, com 70 mil caminhões a mais assistidos pela empresa. Uma frota que se junta atualmente a 360 mil veículos em todo mundo, acumulando informações das atividades operacionais provenientes de 2,9 bilhões de quilômetros por mês.

É o acervo de dados coletados que permite à empresa oferecer serviços sob medida à operação de transporte, como os chamados Planos Flexíveis, nos quais a manutenção é baseada no uso do veículo. Os dados operacionais do caminhão são monitorados em tempo real para planejar a manutenção no melhor momento possível, não mais programada pelo manual da fabricante, mas de acordo com o que o veículo determinar.

“A conectividade é inestimável em pesquisa e desenvolvimento. O volume de dados operacionais dos veículos rodoviários da Scania dobra a cada vinte meses. Os engenheiros se beneficiam de todas essas informações para projetar novos recursos ou melhorar funções existentes”, conta em nota Claes Erixon, vice-presidente executivo e chefe de pesquisa e desenvolvimento da companhia. “Eles podem se aprofundar em todos os dados anteriores para determinar, por exemplo, o desgaste dos componentes como ponto de partida para um projeto ideal.”

No Brasil, a Scania já soma perto de 15 mil caminhões conectados e planeja chegar a pelo menos 50 mil com a inclusão de modelos anteriores a 2012, ano no qual os veículos passaram a sair de fábrica com o módulo de conexão. Depois, somente no ano passado, 40% dos caminhões novos vendidos pela empresa, pouco mais de 3,4 mil unidades dos 8,6 mil emplacados, ganharam as estradas com algum contrato de manutenção. Segundo a empresa, já são 11 mil veículos presentes no seu portfólio de planos de manutenção, 30% deles são flexíveis.

Segundo Scania, o plano flexível é uma solução individualizada, podendo responder por reduções de até 16% no custo de manutenção e em 75% o tempo de permanência do veículo na concessionária. Mais, o serviço é cobrado considerando o consumo de combustível, se rodar menos, paga-se menos.

“O simples acesso aos dados não passa de uma commoditie, todo mundo pode ter”, acredita Fábio Souza, diretor de serviços da fabricante. “O importante é transformar os dados em informação para ajudar o cliente para obter eficiência e rentabilidade.”

Serviços conectados ainda contribuem para melhorar o desempenho do motorista, afinal, o monitoramento permanente acusa eventuais vícios de condução, como frenagens ou acelerações excessivas. Além do Drive Support, uma espécie de professor no painel dos caminhões Scania que ajuda o condutor com melhores práticas, também a conectividade permite ao gestor intervenções imediatas, o que contribui com aumento da eficiência em tempo real.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login