Buscando sugestões para:


Patrocinados

Em tempo recorde, Stock Car Pro Series dobra de tamanho

Principal categoria de automobilismo do Brasil se consolida em pouco mais de um ano

4 minutos, 8 segundos de leitura

30/03/2022

Por: Alan Magalhães

Público e patrocinadores presentes na revitalizada Stock Car Pro Series. Foto: Duda Bairros/Vicar

Há várias perguntas que são repetidas, há bastante tempo, quando o assunto é automobilismo. “Quer ganhar R$ 1 milhão com esse esporte?” Resposta: invista R$ 2 milhões. O esporte a motor está no rol dos mais caros; afinal, depende de muita tecnologia, fornecedores de ponta e mão de obra mais que especializada. Mas, quando a palavra gestão entra na equação, tudo muda.

Para sustentar tudo isso, a exploração comercial e publicitária do produto é fundamental para sua sustentabilidade. No Brasil, não por acaso, a Stock Car Pro Series é considerada a mais profissional categoria do País.

Em suas 43 temporadas, patrocinadores icônicos foram aliados a ídolos que nela surgiram, como a cera Grand Prix, diretamente ligada ao dodecacampeão Ingo Hoffmann, a Coca-Cola de Paulo Gomes, a Smirnoff de Reinaldo Campello e, mais recentemente, a invasão de laboratórios farmacêuticos, que patrocinam equipes e pilotos, misturando-se com petroleiras. Isso sem nos esquecermos da General Motors, verdadeira madrinha da categoria.

Até semente germina patrocínio

O maior crescimento da história da categoria se deu há pouco mais de um ano, quando sua administração passou a contar com gestores profissionais. Em cerca de 18 meses, os negócios de patrocínio multiplicaram-se por três, mesmo em tempos de pandemia.

O movimento iniciou-se quando o fundo de investimentos Veloci, liderado pelo empresário do ramo de telecomunicações Lincoln Oliveira, comprou a Vicar, promotora da Stock Car. Na montagem de sua equipe, trouxe o executivo Fernando Julianelli, um ex-piloto que acumula experiências de sucesso no mundo corporativo e publicitário.

As transmissões foram reorganizadas por meio de várias emissoras e plataformas, entre elas o site do Estadão, que tratam o produto como se deve, priorizando o respeito ao fã, ao espectador.

Na pista, nomes consagrados estrearam, como Felipe Massa e Tony Kanaan. E outras estrelas renovaram seus contratos: Rubens Barrichello, Nelsinho Piquet, Ricardo Zonta, Cacá Bueno, Daniel Serra, Ricardo Maurício, Gabriel Casagrande e muitos outros. Claro, Qualcomm, Motorola, NewOn e Banco BRB puxaram a fila, seguidas por Intelbras, ArcelorMittal, ATTO Sementes, Betway e a petroleira ENOC, de Dubai, que escolheu a Stock para divulgar seus lubrificantes no Brasil. Elas se juntaram a um time já respeitável de líderes de mercado: Toyota, Chevrolet, Pirelli, Fras-le, Fremax e Gasolina Podium.

“Encontramos a Stock Car já assentada sobre uma boa base técnica e desportiva; faltava apenas aprimorar o marketing”, diz Fernando Julianelli, que ocupa o cargo de CEO da Vicar.

A resposta dos patrocinadores foi imediata

A Chevrolet, por exemplo, comemorou sua 500ª largada na Stock Car – um marco, mesmo para os padrões internacionais. A Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) renovou o patrocínio por três anos e anunciou que a categoria passaria a ser o principal eixo de patrocínio da marca Gasolina Podium.

O banco BRB entrou no jogo com um lançamento, aguardado há décadas pelos fãs do esporte: cartão de crédito fidelizado da Stock Car. “Desenhamos um produto para, de fato, fazer a diferença para os apaixonados pelo automobilismo e pela Stock Car, com benefícios únicos e vantagens exclusivas”, afirma Paulo Henrique Costa, presidente do BRB.

Outros dois grandes cotistas da Stock Car, de fora do segmento automotor, são a ATTO Sementes e a siderúrgica ArcelorMittal, anunciadas recentemente. Referência no setor agrícola e líder na produção de sementes de soja e milheto, a ATTO enxergou na categoria e na dinâmica do trabalho no campo semelhanças importantes.

“Uma equipe da Stock Car, assim como o homem do campo, necessita trabalhar em constante organização, planejamento e eficiência”, compara Mariangela Albuquerque, diretora de marketing da ATTO Sementes.

Novos carros da categoria serão construídos com aço sustentável. Foto: Duda Bairros/Vicar

O aço verde

A ArcelorMittal Aços Planos é parte do grupo líder no mercado global de aço. Segundo a empresa, seu ingresso na Stock Car se deve a um novo cenário mundial, mais focado na sustentabilidade.

Como forma de mostrar a qualidade de sua tecnologia, a ArcelorMittal produzirá o aço a ser empregado na nova geração de carros da Stock Car, que virá nos próximos dois anos.

“A indústria automotiva global está se movimentando com a consciência verde por meio de ações que visam a descarbonização em todo o ciclo de vida dos veículos, desde a produção do aço até a reciclagem”, justifica João Bosco Reis da Silva, gerente-geral de sustentabilidade e relações institucionais da empresa, citando características que estarão presentes no aço a ser utilizado pela Stock Car.

A terceira etapa da Stock Car acontecerá em 10 de abril, no Rio de Janeiro, com transmissão ao vivo pelo site do Estadão

Clique aqui para ler outras matérias sobre a Stock Car!

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login