As apostas da Toyota para um futuro mais sustentável | Mobilidade Estadão | Planeta Elétrico

Buscando sugestões para:


As apostas da Toyota para um futuro mais sustentável

Por: Toyota e Estadão Blue Studio . 06/03/2024

Publicidade

Conteúdo patrocinado por
Mobilidade para quê?

As apostas da Toyota para um futuro mais sustentável

Roberto Braun, diretor de Comunicação da Toyota do Brasil, fala sobre os benefícios do híbrido flex para a transição energética e também do potencial do País como protagonista na descarbonização

4 minutos, 1 segundo de leitura

06/03/2024

Por: Toyota e Estadão Blue Studio

Toyota híbrido flex é opção mais sustentável e econômica.Crédito: Divulgação/ Toyota

É impossível atualmente falar de mobilidade sem levar em conta a sustentabilidade. Os dois conceitos caminham lado a lado quando o assunto é a descarbonização e foram o principal assunto discutido no vodcast promovido pelo Estadão Blue Studio em parceria com a Toyota.

“O Brasil é um dos maiores protagonistas globais em descarbonização. Temos aqui uma alternativa que outros países às vezes não têm, que é contar com etanol em 43 mil postos de combustíveis ao longo do País”, explica Roberto Braun, diretor de Comunicação da Toyota do Brasil.

Na conversa com o jornalista do Estadão Tião Oliveira, Braun deu um exemplo prático da preocupação da montadora com um futuro mais sustentável ao falar do Toyota híbrido flex. O veículo representa um marco na indústria automobilística, combinando a eficiência dos motores híbridos com a versatilidade do etanol brasileiro. Além de ser uma opção mais sustentável e econômica, fortalece a matriz energética nacional. 

“Para o Brasil, o híbrido flex, sem dúvida, nos dá um papel de liderança na eletrificação no mundo, porque é uma solução muito inteligente, prática, acessível e muito sustentável”, explica.

Roberto Braun, diretor de Comunicação da Toyota do Brasil. Crédito: Divulgação/Toyota

O sistema híbrido flex da Toyota adapta-se dinamicamente às condições de condução, alternando entre o motor elétrico e o motor a combustão, proporcionando uma experiência de direção suave e eficiente. 

“Existe uma redução de 30% das emissões de poluentes, incluindo o CO2, e também redução em 30% do consumo de combustível. Além de ser muito prático, também não requer nenhuma mudança de hábito do consumidor, pois, ao recarregar o motor, a bateria externamente, ele se autorrecarrega, então é muito acessível”, exemplifica Braun.

“É muito bacana e ela é muito inteligente, porque tudo isso daí acontece de forma automática, não requer nenhuma condução diferenciada por parte do motorista, não precisa acionar nenhum botão nem nada. Você vai conduzindo o carro, ele parte da inércia em motor elétrico, até atingir 40 km/h, aí ele passa então a alternar entre motor a combustão e motor elétrico”, comenta.

Novidade

Para desenvolver o novo compacto híbrido flex, a Toyota está investindo R$ 1,7 bilhão em sua fábrica em Sorocaba. Com isso, ele se juntaria a outros modelos maiores da empresa que já possuem essa tecnologia. “Temos 66 anos de Brasil e, ao longo desse período, temos investido consistentemente no País, promovendo a sustentabilidade e  consolidando nossa posição e contribuindo para o desenvolvimento econômico brasileiro”, acrescenta.

Braun acredita que essa tecnologia desenvolvida no Brasil pode contribuir também com a descarbonização de outros países da América Latina. “Nós estamos exportando não só design, não só segurança, eficiência, mas também muita tecnologia, muita inovação e muita descarbonização”, diz o executivo. 

Hidrogênio renovável 

O Brasil também está avançando no desenvolvimento de novas alternativas para o uso de biocombustíveis. “Nós temos também a possibilidade de usar o etanol para produzir hidrogênio e com isso abastecer o carro, a célula de combustível com esse hidrogênio feito a partir de etanol”, revela. 

Ele conta que está em andamento um projeto em parceria com Shell, Raízen, USP, Hytron e Senai para testar o uso do hidrogênio produzido a partir do etanol como combustível para veículos. “A Toyota cedeu um carro de célula a combustível a hidrogênio, o Mirai, para o teste. A ideia é testar o carro com esse combustível para ver a performance, a eficiência energética, o consumo, a autonomia e as emissões.”

Além disso, a tecnologia do hidrogênio também pode ser aplicada em outros meios de transporte, como caminhões, ônibus, trens e até mesmo navios. “O Brasil tem, no Nordeste, condições climáticas muito favoráveis. Você tem sol e vento abundantes, e a partir disso é possível produzir o que a gente chama de hidrogênio verde.”

Essa colaboração da Toyota com grandes empresas do setor energético pode ajudar a consolidar mais uma alternativa de combustível para o País e que terá impacto na economia nacional. “O Brasil pode, no futuro, ser um grande exportador de energia limpa para outros países que não têm a mesma condição climática que aqui tem. O hidrogênio é uma aposta promissora para o futuro”, conclui.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

0 Comentários


Faça o login