Câmbio automático: como usar em subidas, descidas e curvas? | Mobilidade Estadão | Oficina Mobilidade

Buscando sugestões para:


Logo
Patrocínio

Câmbio automático: como usar em subidas, descidas e curvas?

Por: Redação Mobilidade . Há 9 dias

Publicidade

Mobilidade para quê?

Câmbio automático: como usar em subidas, descidas e curvas?

Veja algumas dicas importantes para dirigir carros com transmissão automática nas ladeiras e ruas sinuosas

2 minutos, 23 segundos de leitura

05/07/2024

Por: Redação Mobilidade

câmbio automático
Ao descer uma serra o ideal é reduzir a velocidade e engatar a L (low). Foto: Getty Images

Dirigir um carro com câmbio automático é muito mais prático devido à existência de tecnologias de assistência ao motorista. Mas como pilotar esse tipo de veículo em terrenos acidentados?

“Atualmente, não há dificuldades em aclives, declives e em curvas para veículos com caixa automática”, afirma Marco Barreto, professor de Engenharia Mecânica da Fundação Educacional Inaciana (FEI).

Segundo ele, muitos carros já dispõem de sistemas de assistência de partida em rampa. Dessa forma, o motorista não precisa se preocupar muito nas subidas mais íngremes.

Em uma ladeira, o motorista precisa de mais força e tração do carro para conseguir chegar ao topo. Por isso, câmbios automáticos contam com o sistema chamado kickdown. Esse recurso reduz uma ou mais marchas quando o condutor pisa fundo no acelerador.

Na hora de estacionar

Além disso, modelos mais modernos contam com a opção L (low) do câmbio, na qual a primeira marcha fica travada. Com isso, facilita o desempenho na subida.

‍“Já nas curvas, as calibrações feitas no desenvolvimento do veículo podem evitar perigos e desconfortos”, diz. Mas ele adverte: “O motorista deve tomar cuidado nas descidas, porque o sistema de freios pode ser mais solicitado por causa da baixa atuação do freio motor”.

Outra cautela é na hora de estacionar o carro automático na descida. “O motorista precisa pará-lo por completo, acionar o freio de mão e, em seguida, mudar a marcha para a posição P (parking)”, explica.

Cuidado com os trancos

Ao sair, o motorista liga o veículo com a marcha na posição P e o pé no pedal do freio. Em seguida, muda para D (drive) ou R (ré). Por fim, desengata o freio de estacionamento.

Quem está acostumado a dirigir carros com câmbio manual tende a usar mais força no pedal de freio, causando trancos ou freadas. Principalmente nas curvas, trata-se de uma ação arriscada, uma vez que pode causar certo desequilíbrio no carro. Por isso, é mais prudente fazer as curvas em baixíssima velocidade.

Outra dica ao “escalar” uma ladeira é não deixar a alavanca na posição D. “É um erro cometido pelos motoristas. Se ele fizer um percurso com subidas íngremes diariamente, o correto é usar as marchas 1 ou L, dependendo do fabricante”, diz o docente. “Essas marchas são indicadas para uso severo e impedem o desgaste, prolongando a vida útil do câmbio.

”Ao descer a serra, por exemplo, o ideal é reduzir a velocidade e engatar a L(low). “Se o carro também possuir opção de trocas manuais, basta reduzir as marchas”, afirma. “Só é preciso tomar cuidado para não engatar uma marcha incompatível com a velocidade. Isso pode levar ao travamento das rodas e perda de controle do veículo.”

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?

Quer uma navegação personalizada?

Cadastre-se aqui

0 Comentários


Faça o login

Espaço do patrocinador

Com Você. Sempre.

Conheça mais de nossos produtos.

VER AGORA