Voltar
Mobilidade para quê?

Trem-bala no Japão testa vagões adaptados para trabalho remoto

Objetivo é facilitar a vida de profissionais para que consigam trabalhar com maior mobilidade sem atrapalhar os demais passageiros

09/04/2021 - 2 minutos, 6 segundos


trem bala
Foto: iStock

Pensando em se adaptar ao período de mudanças impulsionadas pela pandemia de covid-19, a JR East, companhia japonesa de trens-bala, resolveu adaptar alguns de seus vagões para “escritórios sobre trilhos”. A ideia está sendo testada desde o início de fevereiro em algumas das composições da linha Tohoku Shinkansen, rota que não foi escolhida por acaso, já que é famosa por percorrer o maior trajeto dentro do Japão: quase 700 quilômetros em 3 horas e meia. 

Leia mais:
Notícia No Seu Tempo: Especial Mobilidade- O impacto dos corredores de ônibus nas cidades
Estacionamentos autônomos: facilidade, conveniência, rapidez e segurança
Conectividade e treinamento: união eficiente para redução de custos

Assine nossa newsletter com os principais debates de mobilidade urbana da atualidade.

Chamado de office car (vagão-escritório, em tradução livre), esse espaço é novidade por oferecer comodidades que auxiliam no trabalho, como roteadores individuais de Wi-Fi e sistema de isolamento acústico para dar mais privacidade aos passageiros.

Passageiro participando do período de testes do vagão-escritório. (Foto: Yuta Ichijo/Asahi Shimbun)
Passageiro participando do período de testes do vagão-escritório. (Foto: Yuta Ichijo/Asahi Shimbun)

Outro grande diferencial é a possibilidade de fazer ligações ou realizar reuniões, atividades que são desencorajadas em um vagão normal, no qual o silêncio é a regra. Para viabilizar o uso da internet para tarefas com alta demanda de consumo e garantir a estabilidade da conexão, foi feita uma parceria com uma empresa de telecomunicações.

Até 26 de fevereiro, todos os passageiros que utilizaram a linha puderam fazer o test-drive do vagão. O uso de máscaras continua obrigatório, e os assentos foram pensados para um período de pandemia, então há um vão maior entre eles.

Em entrevista ao Japan Times, um porta-voz da JR East explicou que a empresa está utilizando o momento atual para entender as necessidades mais comuns dos passageiros que usariam os office cars de forma regular e adaptar o espaço para melhorar a experiência de uso dos clientes.

 "Kit" recebido por todos os passageiros que utilizaram o vagão-escritório: roteador individual de Wi-Fi, lenços com álcool e um par de óculos para melhorar a concentração.  (Foto: Yuta Ichijo/Asahi Shimbun)
“Kit” recebido por todos os passageiros que utilizaram o vagão-escritório: roteador individual de Wi-Fi, lenços com álcool e um par de óculos para melhorar a concentração.  (Foto: Yuta Ichijo/Asahi Shimbun)

Expansão e planos futuros

Caso os testes sejam bem-sucedidos, a JR East trabalhará na remodelagem de seus trens-bala para oferecer o serviço de forma permanente aos passageiros. Além da linha Tohoku Shinkansen, a empresa tem planos de adaptar vagões de outras regiões do Japão, como Kanagawa, Chiba e Saitama. O acesso a esses espaços estará incluso no valor padrão da passagem, não sendo necessário pagar um preço extra para utilizá-los.

De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil para você?
Quer uma navegação personalizada?
Cadastre-se aqui
0 Comentários

Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login